RIO MONTREUX JAZZ FESTIVAL: De Montreux para o Rio e do Rio para o Mundo!

Anunciada para os dias 23, 24 e 25 de outubro, a 2ª edição do Rio Montreux Jazz Festival será Cartaz Rio Montreux Jazz Festivaltotalmente virtual, devido à pandemia de Covid-19 que segue se alastrando pelo Brasil e o mundo. Na coletiva de imprensa, também realizada de forma virtual, na manhã do dia primeiro de outubro, os produtores Marco Mazzola e Duda Magalhães anunciaram o line-up e falaram sobre a estrutura do evento que será disponibilizado na íntegra e gratuitamente no canal do festival no YouTube. Entre as atrações confirmadas estão Milton Nascimento, Macy Gray, Anat Cohen, João Donato, Stanley Jordan e Diego Figueiredo, Hamilton de Holanda e Amaro Freitas, Duo GisBranco e Lan Lahn, Som Imaginário, A Cor do Som, Sérgio Dias, Yamandu Costa e Toquinho, Marcos Valle e Roberto Menescal, Christian Scott, e o coral Sing Harlem. 

RIO MONTREUX JAZZ FESTIVAL:
De Montreux para o Rio e do Rio para o Mundo!
 

TEXTO: Robert Moura
FOTOS: Divulgação

Rio Montreux Jazz Festival

Depois de superar o grande desafio de realizar a primeira edição do Montreux Jazz Festival na América Latina, ano passado, na cidade do Rio de Janeiro, a produção do evento capitaneada por Marco Mazzola e Duda Magalhães terá outra grande empreitada, logo no segundo ano, com uma edição 100% online. A Rock Press acompanhou a coletiva de imprensa, realizada também de forma online, na qual os produtores ressaltaram a intenção de movimentar e estimular o mercado musical, nesse momento em que a arte e cultura sofrem grande revés no Brasil. 

Duda Magalhães, presidente da Dream Factory, ressaltou que eles evitaram o caminho mais fácil que seria cancelar o evento, observando que nesse ano não ocorreram as edições na Suíça e em Tóquio. O Festival acontecerá apenas no Rio. A maioria das apresentações será realizada na área da piscina do Hotel Fairmont (foto), na cidade maravilhosa, tendo a praia de Copacabana ao fundo. Apenas cerca de 50 pessoas poderão assistir in loco a partir de quartos do hotel. Vale observar que na Suíça já são recorrentes apresentações no Hotel Fairmont. Algumas apresentações ocorrerão em Los Angeles e Nova York, devido à impossibilidade dos artistas virem ao Brasil em função das medidas restritivas geradas pela pandemia. Milton Nascimento que será homenageado no evento fará uma apresentação intimista a partir de sua casa, em Minas Gerais. No ano passado, a produção do evento incluiu shows gratuitos nas ruas da cidade. Para manter o caráter de democratização e promover o acesso ao jazz, dada a impossibilidade de fazer o mesmo em 2020, a opção foi a exibição gratuita integral dos shows no canal do festival no YouTube. Duda lembrou ainda da importância em se defender a Lei de Incentivo à Cultura, com a qual o Rio Montreux Jazz Festival também conta. 

Palco RMJF Fairmont

Sarah Buchwitz, vice-presidente de Marketing e Comunicação da Mastercard, patrocinadora master do evento, falou da felicidade em ver o festival acontecendo novamente esse ano e da proposta da empresa em trazer resultados, mas fazendo o bem. Ela observou ainda que a ideia de democratização do conteúdo do Rio Montreux Jazz Festival vai além da música, além do jazz, significando uma retomada que a música e a cultura merecem ter.

O produtor e fundador da gravadora MZA Music, Marco Mazzola que tem uma ligação histórica com o Montreux Jazz Festival por ser o idealizador da “Noite Brasileira” na Suíça, lembrou de sua luta de 15 anos para trazer o evento para o Brasil, e citou os versos de Raul Seixas (de quem também foi produtor), presentes na canção “Prelúdio”: “Sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade” para ressaltar a importância das parcerias para a realização de tal empreitada. Ele recordou o ideal original do festival suíço que era dar oportunidade para artistas que estavam começando, sendo que sua primeira edição, em 1967, foi em um cassino reunindo 500 pessoas, e hoje eles recebem 250 mil pessoas. A projeção para 2020 era de 300 mil. Mazzola vê a realização da segunda edição do Rio Montreux Jazz Festival como algo que possa estimular as pessoas a tentarem realizar seus sonhos.  

Mazzola falou ainda de uma das marcas registradas do evento que são seus pôsteres. Assim como é recorrente na Suíça, a idealização conta com total liberdade de criação dos artistas. O pôster da edição de 2020 ficou sob responsabilidade de Vik Muniz que trabalhou com crianças da Escola do Vidigal que criaram os instrumentos que foram fotografados para a arte final.

O line-up original do festival estava 90% fechado quando ocorreu o surto da Covid, o que levou a cancelar os contratos pré-assinados. Da lista final de artistas que estarão presentes no evento, Mazzola ressaltou a presença feminina, destacando o pouco espaço que lhes é dado na música instrumental. Os artistas internacionais não virão ao Brasil devido às restrições impostas pela pandemia. Por outro lado, algumas atrações estarão aqui pelo mesmo motivo, como é o caso de Anat Cohen, clarinetista israelense que se dedica a tocar o nosso brasileiríssimo choro, e já estava no País, ficando impossibilitada de ir embora. 

Entre os depoimentos de artistas gravados e exibidos em vídeo na coletiva, Bianca Gismonti e Cláudia Castelo Lan_Lanh_Nelson FariaBranco que receberão a percussionista Lan Lahn (foto), transformando o duo de pianos em um trio, falaram da intenção de celebrar o feminino e que o show intitulado “Luas” será baseado a partir da conexão com as luas e o estado mental que elas trazem. Lan Lahn afirma que será um som doce, leve e potente, como elas são. Macy Gray mandou seu “olá” para o público brasileiro que pode esperar alguma surpresa em homenagem ao Brasil em seu repertório. João Donato anunciou que essa será a primeira vez que toca com seu conjunto em sete meses, devido à reclusão imposta pelo coronavírus. 

Figurinha carimbada Diego_Figueiredo_divulgaçãonos palcos do Brasil, o guitarrista norte-americano Stanley Jordan se apresentará ao lado do violonista Diego Figueiredo (foto). A pianista Luísa Mitre marcará presença com seu Quinteto, assim como a Jazzmin’s, uma big band formada apenas por mulheres. Um toque nostálgico ficará por conta da banda A Cor do Som. Eles foram os primeiros músicos brasileiros a se apresentarem no Festival na Suíça, em 1978.  Além de Milton Nascimento, o eterno Luiz Gonzaga também será homenageado no evento com a apresentação “Viva Gonzagão” que contará com Pipoquinha, Mestrinho e Marcos Suzano visitando o repertório do Rei do Baião. No caso de Milton, a homenagem fica por conta do coral gospel Sing Harlem dos EUA, Samuel Rosa e Maria Gadu. Aliás, o Som Imaginário que também foi banda de apoio de Milton nos anos 70 está entre as atrações. A formação atual conta com Wagner Tiso, Nivaldo Ornelas, Robertinho Silva, Victor Biglione e Luis Alves. A Camerata Jovem do Rio de Janeiro que ano passado apresentou-se ao lado de Yamandu Costa (que estará esse ano em duo com Toquinho) é presença garantida novamente. 

Outro aspecto importante destacado pela produção é que todos os shows foram montados exclusivamente para o Festival, visando oferecer uma apresentação realmente inédita ao público. Segue abaixo a lista completa de artistas que participarão do 2º Rio Montreux Jazz Festival que terá apresentação e entrevistas realizadas por Zeca Camargo.

Cartaz Rio Montreux Jazz FestivalLine-up 
Dia 23 de outubro, sexta-feira 

- A Cor do Som: 42 anos de Montreux Jazz Festival 
- Luísa Mitre Quinteto 
-  Viva Gonzagão! Pipoquinha, Mestrinho e Marcos Suzano
- The Sounds Of Roberto Menescal & Marcos Valle 
- Jazzmin's 
- João Donato: Bossa, Jazz e Salsa 
- Macy Gray
 

Dia 24 de outubro, sábado  
- Camerata Jovem do Rio de Janeiro: Uma Viagem Pelo Brasil 
-  Som Imaginário: Wagner Tiso, Nivaldo Ornelas, Robertinho Silva, Victor Biglione e Luis Alves 
-  PianOrquestra
-  Hamilton de Holanda e Amaro Freitas 
- LUAS: Bianca Gismonti, Claudia Castelo Branco e Lan Lanh 
- Stanley Jordan e Diego Figueiredo 
-  Orkestra Rumpilezz 
-  Christian Scott aTunde Adjuah 

Dia 25 de outubro, domingo  
- Jaques Morelenbaum CelloSam3aTrio 
- Jonathan Ferr 
- Rio Jazz Orchestra 
- Anat Cohen and Friends 
- Sérgio Dias Jazz Mania 
- Toquinho e Yamandu Costa
- Milton Nascimento - Os Sonhos Não Envelhecem - Guests: Sing Harlem, Samuel Rosa e Maria Gadu 
- Funk Orquestra 

 
Motivar e fomentar o mercado musical, um dos setores mais atingidos pela pandemia, é um dos objetivos que levaram os produtores a insistirem na manutenção do festival esse ano, ainda que de forma online. Esperamos que a meta seja atingida e lembramos que os shows poderão ser assistidos ao vivo no canal do Rio Montreux Jazz Festival no YouTube: https://www.youtube.com/riomontreuxjazzfestival. – Robert Moura. 


ROBERT MOURA - É natural de Belo Horizonte. Bacharel em Música (UEMG) e Mestrando em Artes (UEMG). Professor na Alaúde Escola de Música. Tocou guitarra em bandas de Rock na capital mineira, e ainda não se recuperou do fato de não poder ter assistido a apresentação de Corinne Bailey Rae na primeira edição do Rio Montreux Jazz Festival. Atualmente seu trabalho está focado no violão clássico e trilhas para teatro.

 

 

CONTATO ROCK PRESS: 

Envie news e sugestões de pautas da sua banda, selo, fanzine, HQ, gravadora, editora, livro, distro, arte, produtora de show e evento, cinema, cultura alternativa e Underground em geral. A/C: MICHAEL MENESES - michaelmeneses@portalrockpress.com.br 
 

Envio material físico das suas bandas, zine, livro, filme e demais produções para:

PORTAL ROCK PRESS:
CAIXA POSTAL: 30443
Rio de Janeiro/RJ - Brasil
CEP: 21351 - 970

TWITTER:
 https://twitter.com/portalrockpress
FACEBOOK: https://www.facebook.com/portalrockpress
INSTAGRAM: https://www.instagram.com/portalrockpress/
YOUTUBE: https://www.youtube.com/channel/UCy_FOYj2Zxh7beQacpLhPnA