OSCAR 2021: a hora e a vez do streaming!

Numa edição em que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas adotou novas regras Oscar_2021para a inscrição de filmes em virtude da pandemia de Covid-19, a Netflix domina com 35 indicações recebidas. A Amazon Studios também se destaca com 12.

OSCAR 2021:
A hora e a vez do streaming!

TEXTO: Nilvio Pessanha
FOTOS: Divulgação

Foi anunciado no último dia 15 de março, as indicações para o Oscar 2021. E, como já era esperado, o streaming dominou, com grande destaque para a Netflix que recebeu 35 indicações, incluindo duas para melhor filme, “Mank” e “Os 7 de Chicago”. Já era algo previsto, após a flexibilização das regras para inscrição de filmes oriundos do streaming, por causa da crise pandêmica de Covid-19 que fez com que salas de cinema fossem fechadas no mundo inteiro. Pela primeira vez, filmes disponibilizados diretamente nas plataformas de streaming estão elegíveis para o Oscar. Essa alteração foi anunciada como temporária, mas tudo indica que dificilmente voltará a ser como era antes da pandemia. Quem também se beneficiou com essa mudança foi a Amazon Studios que teve 12 indicações, consolidando o domínio das plataformas nessa edição do Oscar. Confira a lista dos indicados ao final dessa matéria.

Oscar 2021

Destaques para “Mank”, mulheres na categoria de direção e Chadwick Boseman

Mank_filme_com_10_indicações_no_Oscar_2021Dentre os filmes indicados, o destaque foi “Mank”. O filme produzido pela Netflix emplacou 10 indicações. Entre elas, melhor filme, melhor ator e melhor direção. Outro fato que merece menção é a primeira vez de duas mulheres indicadas para o Oscar de melhor direção no mesmo ano. Chloé Zhao e Emerald Fennel foram indicadas, respectivamente, pela direção de “Nomadland” e “Bela Vingança”. Além disso, Chloé Zhao é a primeira mulher a receber quatro indicações no mesmo ano, por direção, montagem, roteiro adaptado e melhor filme. Por falar em primeira vez, este ano também terá a primeira de um ator não branco indicado postumamente. Chadwick Boseman, que faleceu em agosto do ano passado (leia aqui), recebeu a indicação para a estatueta de melhor ator por “A Voz Suprema do Blues”.

O Brasil fora da disputa

O Brasil não terá nenhum representante no Oscar deste ano. Após “Babenco - Alguém tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou” ter ficado antecipadamente fora da disputa por uma indicação ao Oscar de melhor filme Estrangeiro, todas as atenções se concentraram em “Bacurau” (nossa resenha) que, apesar de ser um filme de 2019, estreou em 2020 nos EUA, ficando elegível para disputar estatuetas. As expectativas foram crescendo com as críticas positivas vindas da imprensa estadunidense. Indicações e conquistas em outras premiações elevaram também essas expectativas. Porém os prêmios que costumam ser prévias do Oscar ignoraram “Bacurau” e indicou o que realmente veio a se confirmar no anúncio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, o cinema brasileiro está fora do Oscar.

Vale dizer que isso não diminui em nada a produção cinematográfica nacional que vem sendo lembrada e premiada constantemente em vários festivais e premiações pelo mundo a fora, inclusive o Festival de Cannes, que é um dos principais do calendário do cinema mundial. Além de “Bacurau” e “Babenco - Alguém tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, outras obras que estiveram elegíveis e tentaram uma indicação foram os curtas de live action “Baile”, o curta documental “Carne” e o curta de animação “Umbrella” (Leia aqui).

Meus pitacos e os esnobados

A_Voz_Suplema_do_Blues

Film_Nomadland_Chloé ZhaojpgVou destinar essa parte do texto a dar os meus palpites e também falar de quem, ao meu ver, ficou injustamente de fora. Apesar das 10 indicações de “Mank”, o meu destaque pessoal vai para “Nomadland”. Acho que o filme dirigido por Chloé Zhao, não só ganhará o prêmio de melhor filme, como levará a maior parte das estatuetas a que concorre, 6 no total. Zhao deve levar melhorCarey Mulligan_Indicada_ao_Oscar_de_Melhor_Atriz_por_Bela_Vingança direção e tem grandes chances de levar melhor roteiro adaptado. Nomadland deve levar ainda fotografia e há uma boa possiblidade de levar melhor atriz com a atuação estupenda de Frances Mcdormand, embora Carey Mulligan também tenha feito um ótimo trabalho em “Bela Vingança” e tenha boas chances também. Eu daria a estatueta para Mcdormand. Vale lembrar que também concorre nessa categoria Viola Davis, que nunca pode ser desprezada.

Dificilmente o Oscar de melhor ator não irá postumamente para Chadwick Boseman. E, se for, não será uma mera homenagem. Será realmente o reconhecimento de uma bela e competentíssima interpretação em “A Voz Suprema do Blues”. Assim como acho que dificilmente a estatueta de melhor ator coadjuvante não vai para as mãos de Daniel Kaluuya por “Judas e o Messias Negro”. Já a categoria de atriz coadjuvante é talvez a mais imprevisível neste ano. A Judas_e_o_messias_negro_no_Oscarminha preferência recai sobre Youn Yuh-Jung, pela sua atuação em “Minari”, se tornou primeira sul-coreana a ser indicada.

Na seção dos esnobados do Oscar, o grande destaque, sem dúvida, vai para “Destacamento Blood”. Apesar de ter filmes melhores dentro da filmografia de Spikee Lee, o longa é facilmente superior a alguns dos indicados. Assim como o próprio diretor poderia ter sido lembrado. Mas com certeza, o grande esnobado é Delroy Lindo. Sua atuação no longa de Lee é impactante e não tem justificativa para a sua não indicação. Outra injustiça é a não indicação de “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre” para melhor filme. O longa de Eliza Hittman é melhor do que boa parte dos indicados. Hitman, inclusive, poderia ser a terceira mulher indicada no mesmo ano a melhor direção.

Oscar de trilha sonora

Por falar em “Destacamento Blood”, o longa recebeu apenas uma indicação e foi a de melhor trilha sonora original, que foi composta por Terence Blanchard. O compositor já havia trabalhado com Spike Lee em “Infiltrado na Klan”, “A última noite” e “Malcon”. Tem grandes chances de levar o prêmio. Outro destaque em trilha sonoravai para "Soul". A produção da Pixar estar indicada tanto para trilha sonora como para melhor animação, para qual é favorito, a animação é uma exaltação ao jazz, e sua trilha sonora é composta por Trent Reznor e Atticus Ross, do Nine Inch Nails, e Jon Batiste. Quem também, ao meu ver, tem grandes chances de levar uma estatueta é a canção "Fight for you", canção composta e interpretada pela cantora H.E.R. para o longa "Judas e o messias negro". Disputando com "Speak now", de "Uma noite em Miami", que foi escrita pelo próprio ator e cantor que também está indicado a ator coadjuvante por sua atuação como cantor e compositor Sam Cooke, conhecido como o Rei do Soul. 

Transmissão da cerimônia...
A cerimônia de premiação ocorrerá no dia 25 de abril no Teatro Dolby, em Hollywood. Os direitos de transmissão são do canal ABC, que não está disponível no Brasil. Até o momento, a única opção por aqui, é o canal de TV por assinatura TNT. - Nilvio Pessanha

Todos os indicados:

Melhor filme
"Meu pai"
"Judas e o messias negro"
"Mank"
"Minari"
"Nomadland"
"Bela vingança"
"O som do silêncio"
"Os 7 de Chicago"


Melhor atriz:
Viola Davis - "A voz suprema do blues"
Andra Day - "Estados Unidos Vs Billie Holiday"
Vanessa Kirby - "Pieces of a woman"
Frances McDormand - "Nomadland"
Carey Mulligan - "Bela vingança"


Melhor ator:
Riz Ahmed - "O som do silêncio"
Chadwick Boseman - "A voz suprema do blues"
Anthony Hopkins - "Meu pai"
Gary Oldman - "Mank"
Steve Yeun - "Minari"

Melhor direção:
Thomas Vinterberg - "Druk - Mais uma rodada"
David Fincher - "Mank"
Lee Isaac Chung - "Minari"
Chloé Zhao - "Nomadland"
Emerald Fennell - "Bela vingança"


Melhor atriz coadjuvante:
Maria Bakalova - "Borat: fita de cinema seguinte"
Glenn Close - "Era uma vez um sonho"
Olivia Colman - "Meu pai"
Amanda Seyfried - "Mank"
Yuh-Jung Youn - "Minari"


Melhor ator coadjuvante:
Sacha Baron Cohen - "Os 7 de Chicago"
Daniel Kaluuya - "Judas e o messias negro"
Leslie Odom Jr. - "Uma noite em Miami"
Paul Raci - "O som do silêncio"
Lakeith Stanfield - "Judas e o messias negro"


Melhor filme estrangeiro:
"Druk - Mais uma rodada" (Dinamarca)
"Shaonian de ni" (Hong Kong)
"Collective" (Romênia)
"O homem que vendeu sua pele" (Tunísia)
"Quo vadis, Aida?" (Bósnia e Herzegovina)


Melhor roteiro adaptado:
"Borat: fita de cinema seguinte"
"Meu pai"
"Nomadland"
"Uma noite em Miami"
"O tigre branco"


Melhor roteiro original:
"Judas e o Messias negro"
"Minari"
"Bela vingança"
"O som do silêncio"
"Os 7 de Chicago"


Melhor trilha sonora:
"Destacamento blood"
"Mank"
"Minari"
"Relatos do mundo"
"Soul"


Melhor som:
"Greyhound: Na mira do inimigo"
"Mank"
"Relatos do mundo"
"Soul"
"O som do silêncio"


Canção original:
"Fight for you" - "Judas e o messias negro"
"Hear my voice" - "Os 7 de Chicago"
"Husa'vik" - "Festival Eurovision da Canção: A saga de Sigrit e Lars"
"Io sì" - "Rosa e Momo"
"Speak now" - "Uma noite em Miami"


Melhor animação:
"Dois irmãos: Uma jornada fantástica"
"A caminho da lua"
"Shaun, o Carneiro: O Filme - A fazenda contra-ataca"
"Soul"
"Wolfwalkers"


Melhor curta de animação:
"Burrow"
"Genius Loci"
"If anything happens I love you"
"Opera"
"Yes people"


Melhor curta-metragem em live action:
"Feeling through"
"The letter room'"
"The present"
'"wo distant strangers"
"White Eye"


Melhor documentário:
"Collective"
"Crip camp"
"The mole agent"
"My octopus teacher"
"Time"


Melhor documentário de curta-metragem:
"Collete"
"A concerto is a conversation"
"Do not split"
"Hunger ward"
"A love song for Natasha"


Efeitos visuais:
"Problemas monstruosos"
"O céu da meia-noite"
"Mulan"
"O grande Ivan"
"Tenet"


Melhor fotografia:
"Judas e o messias negro"
"Mank"
"Relatos do mundo"
"Nomadland"
"Os 7 de Chicago"


Melhor edição:
"Meu pai"
"Nomadland"
"Bela vingança"
"O som do silêncio"
"Os 7 de Chicago"


Melhor design de produção:
"Meu pai"
"A voz suprema do blues"
"Mank"
"Relatos do mundo"
"Tenet"

Melhor figurino
"Emma"
"A voz suprema do blues"
"Mank"
"Mulan"
"Pinóquio"


Maquiagem e cabelo:
"Emma"
"Era uma vez um sonho"
"A voz suprema do blues"
"Mank"
"Pinóquio"

 

Nilvio Pessanha é morador do bairro de Campo Grande na zona oeste carioca, agitador cultural, coordenador do cineclube Cine Rua ZO, professor de língua portuguesa e literatura no município e do estado do Rio de Janeiro, pai do Francisco, vascaíno, é membro dos podcasts Trincheiras da Esbórnia (OUÇA AQUI!) e Cine Trincheiras (CONHEÇA AQUI)!  

CONTATO ROCK PRESS: 

Envie news e sugestões de pautas da sua banda, selo, fanzine, HQ, gravadora, editora, livro, distro, arte, produtora de show e evento, cinema, cultura alternativa e Underground em geral. A/C: MICHAEL MENESES - michaelmeneses@portalrockpress.com.br 
 

Envio material físico das suas bandas, zine, livro, filme e demais produções para:

PORTAL ROCK PRESS:
CAIXA POSTAL: 30443
Rio de Janeiro/RJ - Brasil
CEP: 21351 - 970

TWITTER:
 https://twitter.com/portalrockpress
FACEBOOK: https://www.facebook.com/portalrockpress
INSTAGRAM: https://www.instagram.com/portalrockpress/
YOUTUBE: https://www.youtube.com/channel/UCy_FOYj2Zxh7beQacpLhPnA