YOUTUBE: 10 filmes brasileiros disponíveis para você assistir durante a quarentena

Nem sempre quarentena e tédio precisam caminhar lado a lado. Pensando no bem-estar dos 10_filmes_nacionais_no_Youtube_ARTE_por_Luciano_Drakkonnossos estimados leitores, preparamos uma lista com 10 grandes filmes brasileiros para preencher os momentos de isolamento que a COVID-19 está impondo a todos nós. E o melhor: todos os filmes listados estão disponíveis no YouTube, basta clicar nos links para ter acesso a grandes pérolas do cinema nacional, com direito a um cardápio variado que abrange clássicos do Cinema Novo e Marginal, chegando até obras das décadas mais recentes.


YOUTUBE:
10 filmes brasileiros disponíveis para você assistir durante a quarentena!

TEXTO: Iuri Freire 
ARTE: Luciano Drakkon
CARTAZES: Divulgação


“Um vírus recém-descoberto é o responsável pela morte de milhares de pessoas ao redor do planeta, fazendo com que a OMS declare estado de pandemia mundial”. Parece uma chamada digna de filme-catástrofe a ser exibido na Tela Quente, mas é a dura e realidade, como a essa altura todos sabemos. A distopia é real e atende pelo nome de COVID-19, popularmente conhecido como coronavírus e que o jornalista e músico, Augusto Licks, escreveu um artigo sobre AQUI na Rock Press. Por conta do seu alto grau de contágio, a recomendação expressa a ser seguida é a de que as pessoas fiquem o máximo de tempo possível nas suas residências em situação de quarentena; ainda que, infelizmente, muitos trabalhadores não venham tendo tal direito respeitado e consequentemente encontrem-se expostos diariamente ao risco da contaminação.

Assim sendo, segue uma lista feita com o intuito de convidar o querido leitor a desbravar as veredas do cinema nacional; e para facilitar tal jornada, listamos dez obras que estão disponíveis no YouTube. Portanto, não me venha com desculpas prontas do tipo “ah, mas tal filme não está presente no catálogo da Netflix” ou “Torrent? Que bicho é esse?”. Basta FICAR EM CASA e acessar o link ao final de cada sinopse aqui presente. Mais fácil que isso, só mastigar água.
 

10 filmes brasileiros disponíveis para você assistir no Youtube

CABRA_MARCADO_PARA_MORRER_filme_de_Eduardo_CoutinhoCABRA MARCADO PARA MORRER (1984, direção: Eduardo Coutinho) - Interrompido em 1964 por ocasião do golpe militar, Eduardo Coutinho retomou a produção do longa 17 anos depois, com a mesma equipe. Porém, se a princípio o filme seria uma narrativa ficcional a respeito da trajetória do líder camponês João Pedro Teixeira, assassinado em 1962, ao retomar o projeto, o diretor opta por apresentar em forma de documentário os rumos que a família daquele homem tomou após a sua morte, além de entrevistar os moradores locais que vinham participando do projeto inicial que teve de ser abandonado, uma espécie de filme sobre o não-filme. Seja em 1964, 1981 ou nos tempos atuais, a luta pela terra não cessa jamais, e Cabra Marcado é uma prova inconteste de tal fato. Mais do que um filme, temos aqui um documento histórico potente, ainda que doloroso.
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=HGSRLIs8BGw


TERRA_EM_TRANSE_filme_de_Glauber_RochaTERRA EM TRANSE (1967, dirigido por Glauber Rocha) Elenco: Jardel Filho, Paulo Autran, José Lewgoy. - Clássico absoluto do Cinema Novo, um petardo verborrágico em forma de alegoria política (ou seria o contrário?). Dirigido pelo genial baiano Glauber Rocha, visto por muitos como o maior diretor de cinema nascido no Brasil. Vemos aqui um mosaico metafórico da história brasileira escarrado em nossas faces por intermédio do carnaval, da guerrilha, da poesia, da antropofagia, da marginalidade, da hipocrisia burguesa, do grito sufocado pelo trabalhador faminto. Passados longos 53 anos de seu lançamento, essa obra permanece terrivelmente atual e absolutamente obrigatória. 
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=zYQecb9C0g4

 


OS_FUZIS_filme_de_Ruy_GuerraOS FUZIS (1963, dirigido por Ruy Guerra). Elenco: Atila Iorio, Nelson Xavier, Maria Gladys, Paulo Cesar Pereio. Em vez do pão, a bala. Eis a síntese de outra grandiosa obra do Cinema Novo, dessa vez dirigida pelo luso-brasileiro nascido em terras moçambicanas, Ruy Guerra. As vísceras do subdesenvolvimento representadas pela miséria - repertório constante dentre os realizadores cinemanovistas guiados pela Estética da Fome, de Glauber Rocha - servem de contraponto ao uso da força bruta como mecanismo inútil e opressor de aniquilar o faminto em vez de sua fome. 
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=Lmpn4nzdiYA
 




São_Paulo_Sociedade_Anônima_filme_de_Luiz_Sérgio_PersonSÃO PAULO, SOCIEDADE ANÔNIMA (1965, dirigido por Luiz Sérgio Person) Elenco: Walmor Chagas, Eva Wilma, Ana Esmeralda, Otelo Zeloni. - Direção primorosa de Luiz Sérgio Person, este clássico obrigatório do cinema brasileiro é um frio retrato existencialista da mediocridade pequeno-burguesa perdida em meio à euforia desenvolvimentista observada no “Brasil do Futuro” da década de 1950. Para além de ser o pano de fundo da obra, a selva de pedra paulistana é um personagem crucial dentro do filme, atuando como o organismo vivo que massacra os anseios do protagonista, brilhantemente interpretado por Walmor Chagas.
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=ns-LPKhz_AE

o-bandido-da-luz-vermelha

O_BANDIDO_DA_LUZ_VERMELHA_filme_de_Rogério_SganzerlaO BANDIDO DA LUZ VERMELHA (1968, dirigido por Rogério Sganzerla). Elenco: Paulo Villaça, Helena Ignêz, Pagano Sobrinho, Luiz Linhares. - Marco elementar do cinema marginal; o que poderia ser a mera reprodução dos crimes perpetrados por João Acácio Pereira da Costa, cuja alcunha batiza o longa, o que se assiste diante da tela é um filme enérgico, pulsante, satírico, que subverte a todo o momento as até então regras vigentes da linguagem cinematográfica (a exemplo do que Jean-Luc Godard – influência confessa de Rogério Sganzerla – já havia feito em Acossado). Feito sob medida para qualquer pessoa que queira enveredar pelos clássicos da cinematografia nacional: eis aqui uma obra obrigatória, abarrotada de grandes frases que certamente ressoarão na mente de quem assisti-la ("O terceiro mundo vai explodir, quem tiver de sapato não sobra... não pode sobrar!"). 
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=pSbBA4OiqBc

 

FEBRE_DO_RATO_filme_de_Cláudio_AssisFEBRE DO RATO (2012, dirigido por Cláudio Assis). Elenco: Irandhir Santos, Nanda Costa, Matheus Nachtergaele, Juliano Cazarré. - Febre do Rato é poesia suja em estado bruto, embebida em suor, sexo e paixão. A fotografia em preto e branco avulta os contrastes que permeiam essa obra, o terceiro longa-metragem dirigido pelo verborrágico Cláudio Assis, autêntico representante da fina flor do cinema pernambucano contemporâneo, de onde saíram alguns dos melhores filmes brasileiros da última década. Irandhir Santos nos brinda com uma atuação visceral na sua interpretação do poeta anarquista Zizo, artífice da poesia safada - segundo o próprio - que brada a quem quiser ouvir que podem calar as bocas oficiais, mas nunca a poesia. Eis aqui um dos melhores filmes brasileiros do século XXI.
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=kjOV1w257J0


LAVOURA_ARCAICA_Filme_de_Luiz_Fernando_CarvalhoLAVOURA ARCAICA (2001, dirigido por Luiz Fernando Carvalho) - Elenco: Selton Mello, Raul Cortez, Caio Blat, Simone Spoladore, Leonardo Medeiros. - Primeira (e até agora única) incursão do premiado diretor de novelas Luiz Fernando Carvalho no cinema, esse filme é uma adaptação da obra literária homônima de Raduan Nassar. Lavoura Arcaica é puro deleite poético, não espere encontrar aqui um longa calcado nas agruras da realidade social brasileira, tal como estava em alta na época em que o filme foi lançado, nos idos dos anos 2000. Em vez disso, há uma atmosfera algo onírica que perpassa as suas quase 3 horas de duração, recheadas de diálogos que conseguem mesclar aspereza com poesia, amparados pelas excelentes atuações do elenco (Selton Mello e Raul Cortez estão soberbos). A longa duração pode assustar, mas vale a pena desligar-se do mundo aqui fora e imergir sem medo na grandiosa e ao mesmo tempo estranha beleza que emana desta sublime obra cinematográfica.
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=FnibQvMlq-I

Boi_Neon_filme_de_Gabriel_MascaroBOI NEON (2016, dirigido por Gabriel Mascaro) - Elenco: Juliano Cazarré, Maeve Jinkings, Alyne Santana, Vinicius de Oliveira. - Em se tratando de Boi Neon, não espere encontrar um filme com enredo clássico calcado na velha fórmula do início-meio-fim. O que se vê em tela é uma obra que se utiliza do universo da vaquejada para fazer uma espécie de dança das cadeiras dentre vários estereótipos pré-estabelecidos: há o machão bruto que sonha em se tornar estilista, há a moça grávida munida de intenso apetite sexual, há a mulher caminhoneira, há o jovem vaqueiro vaidoso detentor de longos cabelos e assim por diante. Aparentemente despretensiosa, a trama é construída no sentido de fazer com que o espectador seja um mero observador do cotidiano daquelas pessoas ali retratadas, e é justamente essa simplicidade que evidencia a beleza e a força presentes nesta produção que, além dos méritos já mencionados, possui uma das mais belas cenas de sexo presentes em um filme brasileiro nos últimos anos. 
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=JjL4z4nT7_M


ARÁBIA_filme_Affonso_Uchoa_e_João_DumansARÁBIA (2018, dirigido por Affonso Uchoa e João Dumans). Elenco: Aristides de Sousa, Murilo Caliari, Renata Cabral, Renan Rovida. - Um autêntico road movie do Brasil profundo. A errante vida de um proletário brasileiro em suas andanças pelos grotões de Minas Gerais traduzida por meio de um cinema político em estado bruto, isento de sentimentalismo barato, julgamentos morais ou caráter panfletário difuso. O terrível despertar da consciência social pelo qual o protagonista é acometido em dado momento da trama é epifânico e doloroso, colocando-o pequenino frente à existência da Grande Máquina - tal qual versou Drummond - visto que estamos em mineiras plagas. Brilhante, amargo e necessário. 
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=tHuqmfJIDQA

MILITARES_DA_DEMOCRACIA_OS_MILITARES_QUE_DISSERAM_NÃO_filme_do cineasta_Silvio_Tendler

MILITARES DA DEMOCRACIA: OS MILITARES QUE DISSERAM NÃO (2014, dirigido por Silvio Tendler) - Documentário obrigatório para quem deseja explorar um tema ainda pouco debatido no que diz respeito à ditadura civil-militar-empresarial brasileira: os militares que ousaram postar-se contra o golpe de 1964. Ao que contrário do que apregoa o senso comum, as forças armadas brasileiras já foram o lar de militares comunistas, progressistas e nacionalistas (os de verdade, não partidários do nacionalismo fajuto de Bolsonaro e seus asseclas) que acabaram sendo perseguidos e (muitos deles) mortos pelo governo golpista que se formou naquele período. Extremamente necessário para estes tempos em que cretinos possuem a desfaçatez de clamar pela volta da ditadura militar.
ASSISTA: https://www.youtube.com/watch?v=6hD8JIHbu3w

#FiqueEmCasa...
Caso seja possível, respeite a quarentena e fique em casa, só saindo em caso de extrema necessidade. Como forma de te ajudar a passar por esse momento que exige tamanha dedicação, a Rock Press formulou essa lista com 10 grandes filmes brasileiros. E jamais se esqueça de valorizar o cinema nacional, #Recomendamos! - Iuri Freire.

 

Iuri Freire - Comunista, vascaíno, salgueirense, agitador cultural no subúrbio carioca e podcaster em Trincheiras da Esbórnia (OUÇA AQUI!).

Luciano Drakkon - é tatuador e body piercer do estúdio Drakkon Skincraft, Morador de Campo Grande no Rio de janeiro, também é baixista na banda de Ho Drakon Ho Megas Stoner Doom, (ou como dizia o tio Lemmy,  sem rótulos, apenas uma banda do bom e velho Rock n' Roll). Skatista e motociclista, atualmente cursa Jornalismo na Universidade Estácio de Sá.
CONTATOS:
Estúdio Drakkon Skincraft:

Facebook: https://www.facebook.com/LucianoDrakon/
Instagram: https://www.instagram.com/lucianodrakkon/
Deviantart: https://www.deviantart.com/lucianodrakonxi

Banda Ho Drakon Ho Megas:
Facebook: 
https://www.facebook.com/Ho-Drakon-Ho-Megas-355430761314793/
Instagram: https://www.instagram.com/h.drakon.h.m/

Portal Rock Press