Um Matanza Fest digno do Clube: Justabeli, Carro Bomba, Olho Seco e Matanza! - Circo Voador/RJ – 28/7/18

Quanta responsa escrever sobre um dos últimos shows do Matanza, banda que nos últimos 22 de anos manteve oLarissa_Zanchetta_Matanza_28 de julho_Circo_Voador_RJ folego do Rock Brasileiro em uma das suas últimas apresentações no palco do Circo Voador, a casa mais acolhedora do Rio, e que já estava efervescente desde cedo por conta do show #LulaLivre e que reuniu grandes nomes da MPB. Legitimando a arte da democracia daquele momento na Lapa! Na lona do Circo ainda participaram dessa edição do Matanza Fest, os paulistas do Justabeli, Carro Bomba e a lendária Olho Seco. Agora se você perdeu essa festa, relaxe, em outubro uma nova data se confirma!

 Um Matanza Fest digno do Clube: 
Justabeli, Carro Bomba, Olho Seco e Matanza!
Circo Voador – 28 de Julho de 2018
TEXTO e FOTOS: Larissa Zanchetta.

Com os ingressos esgotados já há vários dias, cambistas ofereciam ingressos por valores em torno de 200 reais. Tão logo o Circo Voador abriu Larissa_Zanchetta_Justabeli_28 de julho_Circo_Voador_RJseus portões o povo foi chegando e descolando um espaço na grade, e enquanto esperava pelo início dos shows, o DJ dava o ar de sua graça com sons para aquecer as cabeças que logo mais seriam sacudidas.

Larissa_Zanchetta_Justabeli_28 de julho_Circo_Voador_RJ_2_OKTendo como mestre de cerimonia o vocalista da banda Diabo Verde, Paulinho Coruja. A primeira banda a se apresentar foi o Justabeli, em atividade desde 2001 e com a formação consolidada desde 2015 o power trio formado por; War (baixo e vocal), Victor P. (guitarra) e Furnaletto (bateria), apresentou um Death/Black Metal com uma presença de palco que foi sinônimo de conquista de publico que agitou com vontade. Seu set foi rápido, porém, intenso e focando em sons como; “Satanic War Black Metal”, “Parabellum”, “Ad Bellum Et Gloria”, “Cause The War Never Ends…”, “Intense Heavy Clash”, “Warcrime”.


Na Larissa_Zanchetta_Carro_Bomba_28 de julho_Circo_Voador_RJsequencia, é a vez da banda a Carro Bomba. Em atividade desde em 2000, é cantando em português. Apresentou a Larissa_Zanchetta_Carro_Bomba_28 de julho_Circo_Voador_RJsua MPB (Música Pesada Brasileira). Formada por Rogério Fernandes (vocal), Marcello Schevano (guitarra), Ricardo Schevano (baixo) e Biel Astolfi (Bateria). Se exista quem estava no Circo e não conheciam o som do Carro Bomba, estes saíram de lá satisfeitos com a grata descoberta, afinal a banda fez uma empolgante apresentação. Sons como “Pragas Urbanas”, “Máquina”, “Bala Perdida”, “Queimando a Largada”, “Punhos de Aço”, “Fuga” e “Fico sem Palavras” provaram isso.
 
Larissa_Zanchetta_Olho_Seco_28 de julho_Circo_Voador_RJDiferencial, história um eterno legado ao punk rock brasileiro, e por que não mundial!?: “Isto é Olho Seco”! Assim Larissa_Zanchetta_Olho_Seco_28 de julho_Circo_Voador_RJpodemos resumir a importância do Olho Seco, banda percursora do punk no brasil. Há mais de 30 anos frequentando os palcos do rio, a banda novamente fez bonito. Hinos da história do punk nacional como "Que Vergonha”, “Isto é Olho Seco”, “Botas Fuzis e  Capacetes”, logicamente não ficaram de fora. Vale destacar que por todo o conjunto da obra a banda é merecedora de ter sido incluída no Matanza Fest. Um show digno de ser classificado como histórico, talvez por isso, seja no palco ou no pit a energia se fez presente, com o frontman Fabio Sampaio e banda, dando uma aula de como se escreve uma história punk em 16 músicas Veja set list:

1 - Me tirem deste inferno
2 - Olho de Gato
3 - Vida Violenta
4 - Castidade
5 - Botas, Fuzis e Capacetes
6 - Muito Obrigado
7 - Que vergonha
8 - Haverá Futuro?
9 - Caminho suicida
10 - Ignorante
11 - Lutar, Matar
12 - Eu não Sei
13 - Nada
14 - Isto é Olho Seco
15 - Todos Hipnotizados
16 - Bandeiras Vermelhas.

 No “Melhor” Cenário Possível, Matanza!

Larissa_Zanchetta_Matanza_28 de julho_Circo_Voador_RJ


Larissa_Zanchetta_Matanza_28 de julho_Circo_Voador_RJEm meio ao clamor do público, que gritava “Matanza!”, os donos da festa sobem ao palco do Circo Voador naquele que atéLarissa_Zanchetta_Matanza_28 de julho_Circo_Voador_RJ então seria o derradeiro Matanza Fest no Rio. Com Jimmy London comandando a massa, as paletadas de Marco Donida e Maurício Nogueira, Dony Escobar no baixo e Jonas Cáffaro nas baquetas, a banda em atividade desde 1997 embalou a grande festa. Com sua tradicional mistura de hardcore com trash metal, folk irlandesa e country norte americano, Matanza abriu os trabalhos com “O Chamado do Bar” legitimando a partir dali o titulo de “Matanza Fest” pelos seus criadores show.
 
No meio do show, Jimmy perguntou ao público o que estariam fazendo no dia 27 de outubro de 2018, e levando a todos ao ápice ao anunciar em seguida a confirmação de uma nova data para um “novo” derradeiro último show do Matanza, ali mesmo no palco do Circo Voador.
 
Larissa_Zanchetta_Matanza_28 de julho_Circo_Voador_RJO show teve seus derradeiros acordes com os clássicos “Ela Roubou Meu Caminhão”, um hino do cancioneiro do underground popular desde 2001, “Estamos todos Bêbados” e “Bom é Quando Faz Mal” de 2003 encerram mais uma noite memorável no Circo Voador. Prova disso foi a camisa ensopada de suor espremida pelas mãos de Jimmy retratou o quão intenso foi o show, que teve duração de aproximadamente de 2h30 e quase sem intervalos entre as músicas, foi intensamente na lata! – Larissa Zanchetta.
 
Setlist Matanza:
1 - O Chamado do Bar
2 - Meio Psicopata
3 - Country Hardcore Funeral
4 - Último Bar
5 - Eu não Gosto de Ninguém
6 - Santa Madre Cassino
7 - A sua Assinatura
8 - Pé na Porta, Soco na Cara
9 - Odiosa Natureza Humana
10 - Tudo Errado
11 - Clube dos Canalhas
12 - Ela Não me Perdoou
13 - Conforme Disseram as Vozes
14 - Remédios Demais
15 - Mesa de Saloon
16 - Mulher Diabo
17 - Carvão, Enxofre e Salitre
18 - Interceptor V-6
19 - Ressaca Sem Fim
20 - Maldito Hippie Sujo
21 - A Arte do Insulto
22 - Pior Cenário Possível
23 - Todo ódio da Vingança de Jack Buffalo Head
24 - Matanza em Idaho
25 - Tempo Ruim
26 - Whisky para um Condenado
27 - Rio de Whisky
28 - Eu não Bebo Mais
29 - Ela Roubou meu Caminhão
30 - Estamos todos bêbados
31 - Bom é Quando Faz Mal

Portal Rock Press