Um Homem de Sorte - Carl Palmer’s ELP Legacy in Rio

Retornando ao Brasil, após quatro anos, Palmer, apesar de estar próximo da casa dos 70, mostra que Carl Palmer no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIOainda tem muito combustível pra queimar e que podem parar tudo, menos o show! Com direito à participação de nomes como Ritchie, Vid e Tony Platão, o ex-baterista do Emerson, Lake & Palmer e Asia realiza mais uma apresentação memorável no Vivo Rio!

"Um Homem de Sorte - Carl Palmer’s ELP Legacy - Vivo Rio/RJ (25/05/18)"
TEXTO: Rick Olivieri – FOTOS: Michael Meneses
!

Carl Palmer no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIO

Sim, Carl Palmer é um homem de sorte, por vários motivos. Aos 68 anos, o único membro remanescente do Emerson, Lake & Palmer é um Carl Palmer no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIOsobrevivente, não só em sua jornada por este mundo, mas também, musicalmente. Assim como vários de seus contemporâneos, muitos dos quais passaram pelo Brasil recentemente (Phil Collins, Steve Hackett, Chrissie Hynde, David Byrne, Glenn Hughes, PFM, Ozzy Osbourne e etc.), ele nem de longe é apenas um "veterano de guerra", mas um artista que continua na ativa, independente de todo o peso que o tempo traz. Com seus companheiros de banda, ele continua levando adiante o legado de um dos maiores expoentes da música progressiva de todos os tempos. E com sucesso, não somente graças à sólida discografia de seu antigo grupo, mas também ao seu carisma junto aos fãs  e extrema competência no domínio das baquetas. Palmer costuma constar da lista dos maiores bateristas de Rock, ao lado de músicos como Neal Peart, John Bonhan, Stewart Copeland, Ginger Baker, Cozy Powell e Ian Paice. Sorte, ainda, por que devido ao seu  nome, brilhantemente construído ao longo da carreira, o público fez questão de comparecer ao Vivo Rio nesta noite, mesmo com toda a situação atualmente enfrentada de falta de combustível etc.

Bem-vindos de Volta, Amigos, ao Show que Nunca Termina!
Carl Palmer no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIOE  os fãs do RJ - alguns dos quais, puderam prestigiar sua performance em Carl Palmer e Simon Fitzpatrick no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIO2014 - têm mais uma oportunidade de conferir a maestria de seu ídolo comandando o show. Contando com um bom público presente e alguns poucos minutos de atraso, a banda entra no palco e cada um assume seus lugares: Paul Bielatowicz (guitarra) à direita, Simon Fitzpatrick (baixo) à esquerda e fugindo ao padrão normalmente visto em shows de rock, a bateria Pearl de Carl Palmer não está posicionada apenas no centro, mas também bem à frente do palco. Afinal, mesmo cercado de excelentes músicos, ele é o grande destaque e ter a bateria como centro das atenções não é apenas interessante pela questão do foco, mas também serve para dar uma nova dimensão e valor a um instrumento comumente colocado em último plano. De fato, é provável que a maioria das pessoas que não toquem algo, visualize uma banda nesta sequência hierárquica: voCarl Palmer e Paul Bielatowicz no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIOcal, guitarra, teclado, baixo e, por último, bateria.

Mas o ELP's Legacy subverte por completo esta lógica. Com um repertório que enfatiza a parte mais instrumental, os sons de teclado sendo tocados ao fundo, apenas quando necessário e sem um músico presente e com cantores convidados se revezando e entrando para cantar apenas uma música, temos uma estrutura de espetáculo bastante fora do comum e deveras interessante.

Carl Palmer no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIOO setlist é iniciado com "Abaddon's Bolero" (do álbum Trilogy) e  sua introdução em cadência de marcha, que segue num constante crescendo. O curioso desta música é que ela foi executada pouquíssimas vezes ao vivo, devido à complexidade de reproduzir a sonoridade obtida no registro em disco, com múltiplos overdubs de sintetizador. Muitos se surpreendem ao saber que Greg Lake deu uma força a Keith Emerson, com um Mellotron. Após Simon Fitzpatrick trocar rapidamente de baixo, se inicia a parte instrumental da ótima e intensa "Karn Evil 9: 1st Impression, Part 2" (do Brain Salad Surgery), levantando de vez a platéia. Ao término desta, Palmer vai até o microfone, posicionado mais à frente (algo que faria com frequência ao longo da noite) e conversa com o público, fazendo menção à célebre frase "Welcome Back, My Friends, To the Show that Never Ends"! 

Em seguida, as intrincadas "Tank" e "Knife-Edge" (do primeiro álbum do ELP), onde os três podem mostrar parte de seu virtuosismo nos respectivos instrumentos. Aliás, tanto Paul quanto Simon fazem um excelente trabalho para estar à altura de Emerson e Lake ao lado de Palmer, e  gostam de usar e abusar da técnica de "two hands", incomum para a primeira metade da década de 70, a não ser por um mais comedido Steve Hackett.

O Manda-Chuva vem anunciar a próxima música e começa dando uma pista, remetendo à capa do álbum do ELP onde consta uma arte representando os três componentes da banda e faz uma piada sobre a figura mais à direita,  arrancando risadas da platéia. Logicamente, é a vez da lindíssima "Trilogy" (do álbum homônimo). Aqui temos um começo mais suave - e talvez seja a parte do show em que Paul mais faz lembrar o jeito de tocar de outro guitarrista, Stanley Jordan.  E os dois terços restantes são de pura pauleira! Ao término desta, Carl Palmer sai um tanto apressadamente do palco e a banda faz uma breve pausa. Ao retornar, o músico pede desculpas pela interrupção e anuncia "Canario", do Love Beach (trabalho de 1978, e pertencente a um período visto pelos fãs como já menos grandioso para o Rock Progressivo). Independente de ter sido lançada num momento em que o cenário andava estranho e incerto quanto ao futuro próximo, a música possui um ritmo que consegue, tranquilamente, contagiar e entreter a audiência, mostrando que sobreviveu ao teste do tempo.

Elevando ainda mais o nível, a próxima é uma cover do fantástico King Crimson,  “21st Century Schizoid Man”. No telão, vemos a marcante imagem da arte da capa do álbum In The Court Of The Crimson King - provavelmente, uma das mais memoráveis de todos os tempos. Após um mais que competente solo de guitarra - com direito ao elogio de alguém da platéia, que quebrou o silêncio gritando aquele palavrão começado pela letra "f" - a banda encerra a primeira parte do show com a genial  e divertida "Hoedown" (também do Trilogy). Desta vez, Carl Palmer e Ritchie no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIOrodam no telão, imagens de filmes de bang-bang com o ator norte-americano John Wayne.

Na sequência, é a hora das participações especiais. Palmer chama o nosso velho e conhecidoCarl Palmer no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIO Ritchie (sim, aquele mesmo que fez parte do Vímana, ao lado de Lulu Santos e Lobão, nos anos 70 e que nos anos 1980 já em carreira solo emplacou hits, como “Menina Veneno”, nas rádios!) para cantar "Lucky Man". E o inglês, radicado no Brasil e já com uma trajetória de experiências de lidar com músicos de Progressivo, como Hackett e Patrick Moraz, dá conta do recado, perfeitamente. Após o solo de baixo, que culmina com Fitzpatrick e Palmer numa levada que lembra o  Charleston é a vez de Vid (do grupo Vid e Sangue Azul)Carl Palmer e Tony Platão no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIO, cantar "From the Beginning" (outra do Trilogy) e de Tony Platão (do Hojerizah) levar um dos maiores sucessos da carreira do ELP, a bela "C'est La Vie", acompanhado por violão Carl na percussão.

Na terceira e última parte do espetáculo, temos a magnífica "Tarkus", com direito a uma animação contendo imagens do famoso do tanque-tatu do álbum homônimo. Emendada por trecho de "Carmina Burana" (obra-prima de Carl Orff), a extraordinária "Fanfare for the Common Man" (do Works, Volume 1) e, como não poderia deixar de ser, o esperado e tradicional solo de bateria. "Nutrocker" (do primeiro álbum) fecha a noite com imagens do Emerson, Lake & Carl Palmer no Vivo Rio 25 5 2018 FOTO Michael Meneses CREDITO OBRIGATÓRIOPalmer rolando no telão. 

Aplausos gerais e a certeza de que se estiverem assistindo lá de cima, Greg Lake e Keith Emerson estão orgulhosos e satisfeitos pelo ex-companheiro de banda manter vivo um forte legado. - Rick Olivieri

Portal Rock Press