TRIBUTO AO INÉDITO.DOC - Documentário sobre o rock carioca na virada do milênio chega ao Youtube - ENTREVISTA com o diretor Marcelo Pedra!

Depois de um ano de exibições pelo Brasil e Portugal, o documentário “Tributo ao Inédito.DOC” de Marcelo_Pedra_tributo-ao-inedito_DOC_no_OI_FUTURO_FOTO_NEY_QUEIROZMarcelo Pedra, Renato Cantharino e Vitor Rocha, terá sua estreia no YouTube, na próxima terça-feira (3/12). O filme narra a cena rock carioca na virada do milênio, mais especificamente a produção das coletâneas homônimas que renderam shows, festas e histórias. Entrevistamos o músico e diretor Marcelo Pedra (FOTO), na Coluna 1,2,3,4..., que falou do filme e seus projetos.

TRIBUTO AO INÉDITO.DOC
Documentário sobre o rock carioca na virada do milênio chega ao Youtube - Entrevista com o diretor Marcelo Pedra

ENTREVISTA: Michael Meneses
FOTOS: Ney Queiroz e Divulgação

Discos_tributo-ao-inédito

No final da década de 1990, a juventude lutava por uma conexão discada e com ela passava horas tentando  realizar um simples download, que ainda era uma novidade. Não obstante, a própria internet era algo novo e para muitos inacessível. Bandas e músicos, batalhavam para gravar um disco e lançá-lo em CD. Alguns persistentes, consumiam discos de vinil. As fitas K7s eram vistas como itens obsoletos, os DVDs substituíram o VHS e os discos laser, e restavam algumas raras salas de cinemas de rua. Isso, só para relacionar algumas mídias usadas por aqueles que cresceram lendo revistas (incluindo a Rock Press), assistindo clipes na MTV, e comprando CDs. Mesmo porque disponibilizar músicas e filmes em plataformas digitais era algo naquele momento, ainda, reservado ao futuro.tributo_ao_inédito_Rato_no_Rio

Passados cerca de 20 anos, os discos de vinil voltaram ao mercado, e fitas K7s voltaram a ser fabricadas. Por outro lado, muitos músicos não pensam em lançar CDs, mas singles e álbuns virtuais. E os filmes, além das salas em shoppings, ganharam a internet como opções de exibição.

Foram naqueles anos, que a geração carioca que se criou nos shows do Garage, teve a sacada, de produzir na base do “faça você mesmo” quatro coletâneas (três CDs físicos e um disco virtual) com sons inéditos. Era o melhor, do então Rock do Rio de Janeiro. As coletâneas foram intituladas de “Tributo ao Inédito”, um projeto que fez história ao lado de outras iniciativas do início do milênio que  foram o diferencial para a efervescência no Rock carioca, entre as quais, o Festival Rato no Rio (cartaz), onde o Tributo ao Inédito teve show de lançamento com casa cheia!

Agora, momentos memoráveis daquela fase estão documentados em Tributo ao Inédito.DOC, por meio de depoimentos e imagens raras dos shows e eventos, com as bandas que participaram do projeto. Não ficaram de fora, músicos e bandas como Jason, Jimi James, Zumbi do Mato, Djangos, Leela, Mandril, Cara de Porco, entre outros nomes que vivenciaram o momento.

SuaDEBATE_tributo-ao-inedito_DOC_no_OI_FUTURO_FOTO_NEY_QUEIROZ estreia ocorreu em janeiro de 2019 na Areninha Carioca Hermeto Pascoal (a eterna Lona Cultural de Bangu/RJ), na ocasião do festival Lona Rock Sunday (LEIA AQUI). Em seguida, o filme circulou com exibições em shows e mostras independentes por diversas cidades, entre elas, Rio de Janeiro, Salvador/BA, Volta Redonda/RJ, Brasília/DF, Jaraguá do Sul/SC, Americana/SP, Porto Alegre/RS, Vitória/ES, Recife/PE, João Pessoa/PB, Brasília/DF, Belo Horizonte/MG, e em junho, foi exibido em Lisboa (Portugal). Em algumas sessões, ocorreram debates sobre o filme e essa cena musical, como na exibição no Oi Futuro RJ em maio de 2019. (ASSISTA AQUI!).

O documentário sobre um projeto que sempre buscou ser democrático será disponibilizado no YouTube, na próxima terça-feira (3/12). Sendo assim, se você ainda não teve a chance de assistir ao Tributo ao Inédito.DOC, essa é a chance, e se você já assistiu, “vale (MUITO) a pena ver de novo”!

O filme foi dirigido por Marcelo Pedra, Renato Cantharino e Vitor Rocha, porém, assim como na época do lançamento dos discos, todo mundo ajudava, à sua maneira (assessoria, artes, produção, logística). O doc. também é um exemplo de colaborativismo no underground. Além da direção, Marcelo assina a trilha sonora. Por conta do seu lançamento no YouTube, batemos um papo com Marcelo Pedra na Coluna 1, 2, 3, 4... da Rock Press:

1 – Michael Meneses/Rock Press - Qual foi a motivação para a realização do documentário?
Marcelo_Pedra_tributo_ao_inédito_doc_SUBMUNDOMarcelo Pedra -
Nossa motivação era a de contar a história de um período que achávamos muito interessante, tanto pela efervescência artística, quanto pela capacidade de realização que os artistas envolvidos tinham aquela altura. Um fenômeno interessante daquele momento no Rio de Janeiro é que muitos artistas passaram a conduzir a sua produção e as suas carreiras de uma forma mais autônoma e organizada. Sem dúvida isso foi efeito do aprendizado de muitos anos tocando no Garage de forma mambembe, que possibilitou a nossa turma chegar no início dos anos 90 com mais informação e meios para construir um movimento como o Tributo. Mais do que contar a história da coletânea Tributo ao Inédito, tínhamos a vontade de registar um período da cena musical da cidade que, na nossa avaliação, merecia um registro.

2 – Rock Press - Depois de um ano de exibições em festivais e eventos, o filme chega ao Youtube. Foi cogitado o lançamento em DVD via crowdfunding ou por alguma produtora?
Marcelo Pedra -
Não. Nós queríamos mesmo era assistir ao documentário em comunidade, conversar, trocar com as pessoas. Pensamos na exibição em canais de TV por assinatura e estamos trabalhando para que esses outros canais de exibição do documentário possam ser viabilizados.

3 – Rock Press - O filme rodou o Brasil e até o velho continente. Fale um pouco das exibições...
Marcelo Pedra -
Conseguimos viabilizar DEBATE_tributo-ao-inedito_DOC_no_OI_FUTURO_FOTO_NEY_QUEIROZmuitas exibições. Exibimos em quatro Regiões do país (Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste), chegando à dez estados brasileiros. Além disso, realizamos duas exibições em Lisboa (Portugal). Quisemos fazer das exibições o mesmo movimento que foram os shows da Coletânea Tributo ao Inédito, misturando artistas, estilos musicais, em shows que eram algo além do disco. Nas exibições, sempre estivemos em parceria com artistas plásticos que faziam exposições, poetas que apresentavam suas poesias, jornalistas que promoviam debates sobre diferentes temas, músicos em shows ao vivo, enfim cada exibição foi uma possibilidade de assistir ao documentário e se relacionar com arte das mais diferentes formas.
    
4 – Rock Press - O que a cena independente de hoje pode aprender com a cena da virada do milênio e vice-versa?
Marcelo Pedra - Penso que o filme contribui com o cenário atual quando compartilha uma experiência de um trabalho construído 100% de forma colaborativa e solidária. Cada artista contribuiu com alguma habilidade específica (design gráfico, produção de eventos, administração, técnicas de gravação e mixagem, horas de estúdio, ...). Esse modelo de trabalho é, na minha opinião, o grande legado do Tributo.

5 – Rock Press - Fale dos seus próximos projetos e deixe seu recado aos leitores da Rock Press...
Marcelo Pedra -
O percurso do documentário nos possibilitou dois outros “filhos”, que foram os clipes, para as três músicas inéditas que compus para o filme. Nos associamos a dois diretores (Gustavo Pozzobon e Gabby Vessoni) que produziram clipes para duas das três músicas inéditas compostas para o documentário (Massa Grossa e Recomeço - disponíveis no YouTube). Agora estamos em processo de produção do terceiro clipe, que deve sair no início do próximo ano. Também será muito legal se conseguirmos realizar alguns shows com os artistas que participaram da coletânea na época, para nos divertirmos ainda mais em 2020. 

Lançamento no Youtube

Hoje, as iniciativas independentes de rock e cultura são embriões de novas histórias. Amanhã, tais evento terão tudo para ter suas histórias contadas em documentários e livros, assim como iniciativas como o “Tributo ao Inédito”. Então lute você também pela sua música, arte e construa sua história!

Existe um ditado que diz que “Tudo Acaba em Pizza”, no caso do projeto Tributo ao Inédito, ele começou com pizza (assista e saberá o porquê). Porém, agora que o filme está chegando no YouTube (serviço abaixo), vale a degustação mútua de boa pizza + filme, afinal, Tributo ao Inédito.DOC é uma verdadeira aula do “Faça Você Mesmo” para as gerações atuais e futuras. Por isso, #Recomendamos e tornamos a dizer: #ASSISTA! – Michael Meneses!

Tributo ao Inédito.DOC:

ESTREIA NO YOUTUBE: https://www.youtube.com/watch?v=RXVG5jxb-6w
tributo_ao_inédito_docDATA: 03/12/2019 às 21h
EVENTO: https://www.facebook.com/events/2382150935378248/

Um filme de: Marcelo Pedra, Renato Cantharino e Vitor Rocha
Trilha sonora original: Marcelo Pedra
Direção e edição: Vitor Rocha
Arte: Flávio Flock
Com: Chacal, Alexandre Griva, Flávio Flock, Heron, Marcelo de Souza, Júnior Vernin, Marco Homobono, Gabriel Muzak, Ricardo Dias, PC Stocc, Vital, Marcelo Pedra, Vitor Rocha, Bianca Jhordão, Mariana Eva, Rodrigo Brandão, Dias JR, Larry Antha, Thiago de Souza, Marcelo Xhá, Leonardo Panço, Nelson Burgos, Ricardo Oliveira, Júnior Abreu, Rogério Weimann, Zé Felipe, Renato Catharino, Marcelo Mendes e Cris Lobo.

Músicas originais do documentário:
“Massa Grossa” -
Filme: Gustavo Pozzobon - Música: Marcelo Pedra: https://www.youtube.com/watch?v=0Da7FHRkjNw&t=6s
“Recomeço” - Por Gabby Vessoni - Música de Marcelo Pedra: https://www.youtube.com/watch?v=0NWzTkj-yO8

REDES SOCIAIS:
Facebook:
@tributoaoineditodoc
Instagram: @tributoaoinedito.doc
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCqjDOwKxF3NChOK9vwptHBA 

Portal Rock Press