THE VIBRATORS IN RIO! – A noite histórica que você perdeu!

Domingo a noite pacata na Lapa, nada extraordinário acontecendo no bairro mais the_vibrators_foto_marcelo_pereiraboêmio do Rio de Janeiro. Apenas alguns bares e biroscas funcionando, todos focados em rodadas de birita, nos gols da rodada e/ou em rodadas dançantes. Salvando o rock, o La Esquina que recebeu a banda The Vibrators, uma lenda britânica do punk rock e que apresentou um show cheio de vigor, provando que os mais de 40 anos de história são uma aula para a garotada cansada ou aos que acham que já passaram da idade para o rock and roll! Antes, as bandas cariocas Judy and the Outsiders, Ramyrez 77 e 77Idols tiveram a honra de iniciar os trabalhos.

THE VIBRATORS IN RIO – A noite histórica que você perdeu!
Judy and the Outsiders + Ramyrez 77 + 77Idols + Vibrators
Lá Esquina - Lapa/RJ - 2 de Maio – 2019
TEXTO: Michael Meneses – FOTOS: Marcelo Pereira.

the_vibrators_foto_marcelo_pereiraMudança brusca no tempo, (carioca parece ser feito de açúcar), violência na cidade (sempre teve), futebol (mais do mesmo quase diariamente), não existe transporte público circulando 24 horas (isso já é pedir demais)... os motivos que poderiam fazer um show como esse ter um público abaixo das expectativas é enorme, mas deixo outros itens para reflexão e/ou para o TCC de alguém e que precisam ser estudados:
1 - Músicos que só aparecem nos shows quando suas bandas vão tocar.
2 – Shows acontecendo simultaneamente, e às vezes ocorrendo na mesma região.
3 – Divulgação forte na mídia, em lojas, em eventos e não apenas nas redes sociais.
4 - Lembra quando os shows passavam pelo Brasil e não chegavam ao Rio e o público carioca ficava de “Mi, mi, mi...”?! Agora temos ótimos shows nacionais e internacionais acontecendo na cidade, o povo não chega junto!
Vários outros itens poderiam ser incluídos na lista, mas acreditamos que cabe a cada um, olhar para sua zona de conforto e se perguntar: “É essa Cena Rock que eu quero e o que posso fazer para melhorá-la?”.

Também acreditamos que algumas das respostas foram tomadas pela produção do evento que fez na base do “Faça Você Mesmo” o que caberia da parte deles fazer, no quesito divulgação, ingressos antecipados, mídia... Mas, vamos aos shows...

Judy and the Outsiders...
judy_and_the_outsiders_foto_marcelo_pereiraAbrindo os trabalhos, o quarteto Judy and the Outsiders, banda que conta com Judy (guitarra e vocal), Daniel Leal (baixo), Carol Resende (bateria) e um dos malucos de carteirinha do underground carioca, Mr. Gordinho na guitarra. Juntos, apresentaram um som visceral. Cabe a nos reconhecer que a Judy and the Outsiders foi uma escolha certeira da produção para essa noite, afinal, pelo o que se viu, o futuro da banda é logo ali. CONHEÇA: https://bit.ly/2MZ4jh0

Ramyrez 77...
Ramyrez_77_foto_marcelo_pereiraVeteranos do Punk Rock Bubblegum da cena carioca, o trio formado por Chucky Ramyrez (baixo e vocal), Bellz Ramyrez (guitarra e vocal) e Mella Ramyrez (bateria) passou fácil o recado e como qualquer banda do estilo, apresentou um punk-rock engrenado em modo 1, 2, 3, 4... Um momento engraçado do set foi quando Chucky Ramyrez contou sua história de inspiração para a música “1001 à Noite” e o Pete, baixista do Vibrators, que estava sentado em uma mesa próxima ao palco, degustando um vinho e assistindo ao show falou: “Moment Talk”, quem escutou riu, descontraído ainda mais o set. CONHEÇA: https://bit.ly/2ZrSfGo

77Idols...
77Idols_foto_marcelo_pereiraA última banda de abertura fez um set da qual podemos classificar como arrasa quarteirão! Formada por Reinaldo Gore e Fábio Bolinha (guitarras), Júlio longo (baixo), Marcelo Nunes (bateria) e novamente o Mr. Gordinho (agora atacando de vocal). Ambos são figuras carimbadas do underground do Rio de Janeiro e de ponto fraco do set, apenas o fato de ser uma banda cover de clássicos dos “Ídolos do Punk 77” como o próprio nome sugere. Entre os clássicos, versões para Sex Pistols, Clash, Ramones, Cock Sparrer, Buzzcocks, Misfits e Sham 69. Ficam dois questionamentos: Poderia ser uma banda autoral? Sim, autoral sempre! Mas e o show funcionou? Sim, muito, animaram geral! CONTATO: https://bit.ly/2FbHX5z

The Vibrators...
the_vibrators_foto_marcelo_pereiraMesmo com um público abaixo do esperado para essa assistir essa lenda do punk mundial, o que se viu no Lá Esquina foi PURA HISTÓRIA! É bem verdade, que a essa altura o público deu uma pequena encorpada, mas longe da expectativa e digno para essa noite. Entre os presentes, gente que viveu os primórdios da cena punk carioca e outros que fazem mesmo sem perceber a história do rock carioca atual.

O power-trio britânico subiu ao palco com o baterista Eddie (único da the_vibrators_foto_marcelo_pereiraformação original do Vibrators) usando uma camisa do Brightlingsea Regent F.C., clube rubro-negro inglês formado pela fusão entre o Brightlingsea United e o Regent Park Rangers. E assim, foi dado o pontapé inicial e o rock rolou bonito no gramado o La Esquina Stadiun. Literalmente, um clássico do punk!

Na linha de frente, Pete (baixo) e Nigel (guitarra) tocam a bola pra frente com precisão típica de jogadores que sabem o peso e a responsabilidade da camisa que vestem e juntamente com Eddie, segue uma boa troca de passes nos vocais. E como falamos de história, a banda abre com “Bad Time” e tome “Amphetamine Blue”, “Automatic Lover”, “Troops Of Tomorrow”, o hino “Baby Baby”, “Pure Mania” entre outros. Entre alguns sons que ficaram de fora do set, "Yeah, Yeah, Yeah" e "Destroy".the_vibrators_foto_marcelo_pereira

Voltaram para a prorrogação do bis, veio com “London Girls” e “Wrecked on You” e ao final, mais interação com o público, aliás, a banda desde cedo circulava pelo La Esquina tranquilamente, interagindo com os presentes. No mais, a certeza que estivemos em noite foi memorável, onde a única parte lamentável foi você que não foi e perdeu essa aula de história do rock. – Michael Meneses!

Leia nossa entrevista conduzida pelo Sílvio Campos da banda Karne Krua com o Eddie:https://bit.ly/2Xcn6sN

Portal Rock Press