THE CALLING: Fãs atendem o chamado da banda e marcam presença no show em BH, na Mister Rock!

Em sua nona passagem pelo Brasil, a banda The Calling tirou os belo-horizontinos de casa numa noite chuvosa, na The_Calling_Mister_Rock_BH_BRAZIL_FOTO_Celio_Junioúltima sexta-feira (14/12), e fez um show com grandes doses de saudosismo, mas também apresentou novidades do novo álbum que pretendem lançar em 2020.

THE CALLING:
Fãs atendem “o chamado” da banda e marcam presença no show em BH, na Mister Rock!

Belo Horizonte/MG – 14 de Dezembro de 2019
TEXTO: Robert Moura
FOTOS: Célio Junio

The_Calling_Mister_Rock_BH_BRAZIL_FOTO_Celio_Junio

Formada em meados da década de 1990, foi somente no início dos anos 2000 que a banda californiana The Calling alcançou projeção com seus dois álbuns, “Camino The_Calling_Mister_Rock_BH_BRAZIL_FOTO_Celio_JunioPalmero” (2001) e “Two” (2004). Eles interromperam suas atividades em 2005, só retornando em 2013. Boa parte do tempo dessa pausa se deveu à doença de Parkinson, mal do qual o vocalista Alex Band convalesceu por longo período. Ao lado do guitarrista Aaron Kamin, ele liderou a banda que mesmo com pouco tempo na ativa passou por diversas formações. Atualmente, em turnê, além de Alex, a banda conta com Travis Loafman (guitarra), Al Berry (baixo) e Daniel Thomson (bateria). Essa é a nona vinda deles ao Brasil, na noite anterior o show foi no Circo Voador no Rio de Janeiro (LEIA AQUI), e eles se preparam para lançamento de novo disco.

O pequeno movimento na portaria e a chuva que caía sobre a capital mineira, que dois dias antes completara 122 anos The_Calling_Mister_Rock_BH_BRAZIL_FOTO_Celio_Juniode idade, pareciam anunciar um público ínfimo para o The Calling. Com muito bom senso, os responsáveis pela Mister Rock fizeram uma espécie de ante-sala se utilizando de umas divisórias para que as pessoas que aguardavam na fila pudessem entrar na casa e se esconder da chuva. Acabou sendo um bônus para o público que pôde ficar ouvindo a passagem de som, ainda que não desse para ver o palco. Embora não tenha lotado, percebia-se que quem compareceu realmente curtia a banda cantando esfuziantemente suas canções. A maior parte da plateia era formada por pessoas que, visivelmente, os acompanharam no começo de sua carreira, na época em que viviam sua adolescência. 

Logo que The Calling subiu ao palco, abrindo o show com “One By One”, me chamou a atenção o quanto as gravadoras costumam pasteurizar o som de determinados artistas, pois a banda que nos discos soava demasiadamente limpa e pop soltava nos alto-falantes uma sonoridade bem mais Rock do que The_Calling_Mister_Rock_BH_BRAZIL_FOTO_Celio_Juniochegava aos nossos ouvidos através das rádios há cerca de duas décadas. Tive essa mesma impressão quando vi a banda The Cranberries ao vivo, em 2010. Vale lembrar que as principais influências do The Calling vêm do Grunge e do Hard Rock. Na sequência, eles mandaram “Adrienne”, “Our Lives”, “Could It Be Any Harder”, “Stigmatized” e “Things Will Go My Way”.

Um momento voz e violão de Alex Band proporcionou muita interação com a plateia, ele aceitou sugestões de canções, que, inclusive, acabou rendendo uma versão mais curtinha de “Wherever Will You Go” (que seria tocada na íntegra no encerramento do show). Sozinho em cena e de violão em punho, ele cantou ainda, “Thank You” e “If Only”. De repente, Alex Band sai do palco, e o guitarrista Travis Loafman inicia um solo à la Santana, e o baixista Al Berry e o baterista Daniel Thomson o acompanham tentando imprimir um swing latino. Alex retorna rapidamente e começa a cantar “Why Don’t You & I”, gravada em parceria pelo vocalista e o músico mexicano. 

The_Calling_Mister_Rock_BH_BRAZIL_FOTO_Celio_Junio“Tonight” e “Stand Up Now”, músicas da carreira solo de Alex, entraram no setlist. Obviamente, os momentos de catarse ficaram por conta de músicas como “Adrienne” e o seu maior hit, “Wherever Will You Go”, com a qual encerraram a apresentação, retornando para um breve bis com “Anything”. Importante registrar que eles também apresentaram “Waiting At Your Gate”, novo som que deve constar no próximo disco que planejam lançar em 2020.

O show agradou em cheio aos presentes, e mesmo as vendedoras que cuidavam do “merchan” da banda passaram para o lado de The_Calling_Mister_Rock_BH_BRAZIL_FOTO_Celio_Juniofora do balcão no final para dançar e curtir os últimos momentos da apresentação. Como observação do uso da tecnologia, pudemos ver o técnico de som em alguns momentos no meio da plateia controlando o som usando um tablet e um smartphone. E, foi impossível não reparar, entre os figurinos simples e discretos utilizados pela banda, o belo pisante brilhante usado por Alex. - Robert Moura.

 

ROBERT MOURA - É natural de Belo Horizonte. Bacharel em Música (UEMG) e Mestrando em Artes (UEMG). Professor na Alaúde Escola de Música. Tocou guitarra em bandas de Rock na capital mineira. Atualmente seu trabalho está focado no violão clássico e trilhas para teatro.

Posted by Michael Meneses Wednesday, December 18, 2019 2:10:00 PM Categories: Alex Band and The Calling Carlos Santana Grunge Mister Rock POP Pop-Rock Rock Rock Mineiro Santana The Calling
Portal Rock Press