Som (e o Sonho) Nosso De Cada Dia - Teatro Municipal de Niterói - 05/05/2018

Quem poderia imaginar que bandas até então consideradas extintas no cenário do progressivo pudessem se apresentar novamente?Som Nosso de Cada Dia em Niterói RJ FOTO MICHAEL MENESES ROCK PRESS Credito Obrigatório Se alguém tivesse me dito isso alguns anos atrás certamente diria que se tratava de apenas um sonho, mas como muitos dizem por aí, quase todo sonho pode ser realizado. E foi o que justamente o que ocorreu com a apresentação da banda Som Nosso de Cada Dia no Teatro Municipal de Niterói na noite do último, 5 de maio de 2018.

Som (e o Sonho) Nosso De Cada Dia
Teatro Municipal de Niterói/RJ - 5/5/2018
TEXTO: Marcus Larbos e Michael Meneses – FOTOS: Michael Meneses!

Som Nosso de Cada Dia em Niterói RJ FOTO MICHAEL MENESES ROCK PRESS Credito Obrigatório

Todo sonho tem uma "Casa Encantada" para ganhar vida, nesse caso "Este é o Lugar", foi o Teatro Municipal João Caetano de Niterói/RJ, também é preciso uma "Casa das Maquinas" para dá vida a esse sonho, no caso essa maquina é a Vertice Cultural, que juntamente com o Teatro Municipal de Niterói vem dando "Um Passo a Frente" e fazendo um bonito trabalho em prol desse "Som Imaginário" que é rock progressivo nacional! 

Som Nosso de Cada Dia em Niterói RJ FOTO MICHAEL MENESES ROCK PRESS Credito ObrigatórioE foi graças a essa parceria que rende frutos entre o Teatro Municipal de Niterói e a Vertice Cultural que o Rio de Janeiro recebeu o Som Nosso de Cada Dia, banda capitaneada pelo lendário Pedro Baldanza (Ou simplesmente Pedrão) - excelente baixista e membro original da banda, e que teve o cuidado de reunir um time de músicos de alto nível e experiência para esse grande retorno da banda que são eles Pedro Calasso (Projeto PretoSom Nosso de Cada Dia em Niterói RJ FOTO MICHAEL MENESES ROCK PRESS Credito Obrigatório Véio) percussão e vocal; Marcelo Schevano (Casa das Máquinas/ Golpe de Estado/ Carro Bomba) guitarra/vocal; Fernando Cardoso (Violeta de Outono) teclados e Edson Guillardi (Terreno Baldio) na bateria. Apesar do público presente de certa ter sido satisfatório, particularmente esperava que estivesse mais cheio tanto por conta da relevância da banda em si como pela oportunidade de assistir o retorno da mesma aos palcos e especificamente no Rio de Janeiro. Apesar disso, em nada comprometeu a memorável apresentação do Som Nosso de Cada Dia. O show começou com uma interessante e temática introdução, preparando o clima para atacarem com a bela “Água Limpa” do álbum “Som Nosso” segundo da banda e lançado em 1977. Em seguida, tocaram um dos mais conhecidos e emblemáticos sons da banda, “Bicho do Mato”, do álbum “Snegs”. Inclusive vale ressaltar a boa afinação e timbre de Pedro Calasso que se encaixou perfeitamente tanto na música como nas demais canções cantadas por ele, diga – se de passagem.

A cada intervalo entre as músicas, Baldanza fazia ótimas explanações acerca das letras, seus significados e em vários momentos descontraiu o público com seu bom humor ou brincadeiras com os demais integrantes. Além das já aguardadas e também clássicas “Sinal da Paranoia”, “Marravilha”, “Direccion Aquarius” Som Nosso de Cada Dia em Niterói RJ FOTO MICHAEL MENESES ROCK PRESS Credito Obrigatórioe “Snegs di Buiffrais” vale destacar a execução da inédita “Lixo Percapta” com uma interessante levada bem “jazz rock brazuca” e com uma letra inteligente e Som Nosso de Cada Dia em Niterói RJ FOTO MICHAEL MENESES ROCK PRESS Credito Obrigatórioreflexiva. Outro momento marcante foi em “Tinta Preta Fosca” – a música iria se chamar “Pura Puta”, porem com um título desses, logicamente naqueles tempos seria vetada pelos órgãos de censura da época e por isso sua letra sofreu alterações no dia de sua gravação. Assim explicou o Pedrão; Entretanto a canção continua forte e com muita personalidade.

Ao final, nos presentearam com a espetacular “A Outra Face”, considerada por muitos como uma das melhores músicas do prog nacional de todos os tempos. Como de praxe o tradicional “bis” foi pedido de pé e a banda fechou o set com chave de ouro, tocando “Vida de Artista”, música essa que possui um cunho de protesto e que soa pertinente até os dias de hoje, e certamente Som Nosso de Cada Dia em Niterói RJ FOTO MICHAEL MENESES ROCK PRESS Credito Obrigatóriocontinuará sendo, pois sua mensagem é atemporal. 

A apresentação durou cerca de uma hora e meia, mas o clima de encantamento e interação entre a plateia e a banda era tamanho que pareceu terem tocado apenas meia hora! E conforme a frase dita por Pedrão Baldanza: “Beber a vida num gole só, ainda que nos custe a vida!”, foi o resumo de todos os que ali estavam fizeram – esvaziaram a “garrafa” e brindaram o Som e Sonho Nosso de Cada Dia! – Marcus Larbos e Michael Meneses!

Portal Rock Press