RAVEN + LEATHER + MELYRA - Quando o espirito jovem do rock se faz mais forte!

Domingo, no boêmio e eclético bairro da Lapa/RJ, tivemos uma noite magnífica de metal, na qual o Raven_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_Pereslado “oitentista” reinou como prova de eternidade. O evento foi uma iniciativa da Be Magic e Scelza Produções e Quem foi, presenciou o bom show das cariocas do Melyra, da veteraníssima vocalista americana Leather e sua magnífica banda de músicos brasileiros e os garotões ingleses do Raven, como prova que o rock nos transforma sempre em eternos adolescentes!

RAVEN + LEATHER + MELYRA - Quando o espirito jovem do rock se faz mais forte! 
Rock Experience - Lapa/RJ 16-6-2019
TEXTO: Marcelo Pereira
FOTOS: Antônio Carlos Paes

Perto das 19h, o público adentrava o andar superior da casa, um aconchegante e bem decorado espaço para shows que só enriquece o potencial cultural da região. Vale lembrar que naquele palco Mister Jimmy Page leiloou uma guitarra doada pelo Iron Maiden no Rock in Rio III em prol da Casa Jimmy há alguns anos. Mas vamos ao rock...

Melyra...
Melyra_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_PeresAos que não conhecem, a Melyra é um quinteto carioca feminino muito promissor e cativante que deixou entusiasmados alguns veteranos do público que no final foram tietar as meninas, principalmente a baterista Drika Martins, que parece uma menininha de 16 anos e tem 24, porém com uma batida bem forte que guardada as proporções técnicas lembra a pegada do saudoso Cozy Powell, tamanha a porrada e precisão nos tambores. Interessante ver somente as guitarristas Fernanda e Roberta estarem com visual de metal e as restantes com roupas de balada, onde hoje não há certo preconceito dos headbangers, coisa que outrora era pertinente (que digam as meninas do Volkana). Em determinado momento a guitarra da Roberta falhou, mas Fernanda (foto) levou na boa. A baixistaMelyra_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_Peres Helena, a vocalista Verônica e a magnífica Drika, as meninas sem visual de metal nos trajes, mostraram que a embalagem do produto não mostra o conteúdo. Tocaram músicas do seu EP “Catch Me if You Can” de 2014 e do álbum “Saving You from Reality” de 2018 num set de aproximadamente 45 minutos. E ainda rolou um medley de suas músicas com trechos de Judas Priest, Led Zeppelin, Iron Maiden e Metallica para aguçar e agitar os marmanjos. Entrevistamos a banda na coluna 1, 2, 3, 4... LEIA: https://bit.ly/2WKh2IB
Setlist:
Molly Whooped
Silence
Nightmare #1/ Judas Priest 
Fantasy
Trip to Hell/Led Zeppelin
Ashes to Ashes
Catch me if You Can/ Iron Maiden
Dead Light
Run & Burn/Metallica


Leather...
Leather_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_PeresA primeira atração internacional, Leather Leone, com seus 60 anos, sendo muitos desses dedicados ao heavy metal, mesmo tenha lançado apenas dois discos em um hiato de quase 30 anos entre um e outro (“Shock Waves” de 1989, e “II” no ano passado). No show, um destaque é a banda que acompanha Leather, todos são os músicos brasileiros. Kiko Shred (guitarrista que estava pela primeiraLeather_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_Peres vez com ela em turnê, e que aproveitou o ensejo após o show para vender seu excelente terceiro álbum solo, “Royal Art”, que conta com Mario Pastore nos vocais, e também o ex-vocal de Yngwie Malmsteen, Michael Viscera, na música “Straight Ahead”); Vinnie Tex (guitarra), Thiago Velasquez (baixo), estes dois últimos citados fizeram parte da gravação da segunda bolacha de Leather Leone (II, lançado em 2018) e para completar o line-up desses magníficos e simpáticos músicos, temos o baterista Marcus Dotta, isso sem contar com a menina Leather Leone e sua energia inesgotável. Ao fim do show, nossos músicos brazucas que também fizeram backing vocals estavam meios afônicos e nossa rainha com a mesma potência vocal. Tocou quatro músicas da banda Chastain (ao qual ainda faz parte da equipe do grande guitarrista David T. Chastain) e mostrou que o rock não envelhece, só enaltece a eterna juventude! Apesar de poucos conhecerem o trabalho da Leather Leone, posso afirmar que ela em conjunto com essa banda ajuda e muito em manter essa qualidade musical, e tomara que essa química continue com novos trabalhos, tenho certeza serão correspondidos pelo público. Excelente show!
Setlist:
Leather_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_PeresHidden in the Dark
The Outsider
Lost at Midnite
We Bleed Metal (do álbum com Chastain de 1995)
Black Smoke
Angel of Mercy (do álbum Ruler of the Wasteland com Chastain de 1986)
Juggernaut
Let me Kneel
For Those Who Dare (do álbum com Chastain de 1990)
Shock Waves
Voice of the Cult (do álbum com Chastain de 1988).


Raven...
Raven_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_PeresChegada a hora da cereja do bolo, a banda dos irmãos Gallagher, criada em 1974, na cidade de Newcastle (Inglaterra) com imensa referência na NWOBHM, estavam pisando em solo carioca pela segunda vez nesses longos 45 anos de existência. John Gallagher (baixo/voz), Mark Gallagher (guitarra) e o caçula Mark Heller (bateria) mostraram o quão o simples é poderoso. Heller, por sua vez ainda é integrante do Fear Factory (tendo tocado em diversas bandas) e substitui Joe Hasselvander (Ex- Phantom Lord, Pentagram, Blue Chair, White Lion entre outros) que saiu em 2018 em decorrência de problemas cardíacos. Antes do espetáculo, foi checado o palco e som pelo exigente John Gallagher, principalmente para ver possíveis apitos do seu microfone tipo “heads” com as caixas de retornos para evitar a maldita microfonia, onde ficava clara a admiração dos presentes ávidos pelo início do show.

Dado o alerta, entram no palco sendo ovacionado com o carisma de anos de estrada desse trio atemporal, onde o mestre das quatro cordas emenda poucas palavras e já detona com o clássico “Take Control”, provando que a noite prometia lembranças de juventude marcada para a maioria veterana dos presentes. O público sempre correspondente, acompanhava os agudos e notas altas proliferadas por John que se divertia com as caretas protagonizadas Raven_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_Perespelo irmão Mark (foi assim durante todo show). Emendaram com “Destroy All Monster” que também tem refrão contagiante para manter a pegada. Mike fica lá no fundinho, escondido, mas mesmo não sendo o foco tem sua pegada firme levando segurança para os irmãos detonarem todas as energias juvenis que os sessentões não querem perder. Na sequência, “Hell Patrol” e “All for One” fazem o público cerrar os punhos e levá-los nas alturas cantarolando o refrão bubblegum.

John dá uma pausa e fala da tecnologia que tanto nos irrita nos shows com galera levantando seus smartphones para gravar e principalmente esquecer a essência do heavy metal em assistir e acompanhar o clima do show, não como crítica aos que faziam isso e sim de um modo geral. Afinal, é sempre bom ver veteranos das guitarras destrincharem riffs de uma aparente simplicidade, mas com a essência galopante que nos faz verdadeiros headbangers, seja com air-guitar, mexendo a cabeça ou todo o corpo, que é forma como o rock n roll dar seu cartão de visita e não em prol de preciosismo musical que fica no intelecto e não faz requebrar o esqueleto.

Continuaram com a pegada e ritmo até a chegada do hit “Rock Until You Drop”, que tenho eterno carinho e faço um trocadilho no fim do texto, o qual possuo o vinil e até hoje, sempre que escuto, imediatamente meu cérebro faz uma ligação com a música Raven_Rock_Experience_Lapa_RJ_FOTO_Antonio_Carlos_PeresRunning With The Devil” do Van Halen e de relance os vôos do David Lee Roth (não me perguntem o porquê!). Depois dessa porrada sonora e com clima que eles não estão acostumados, é óbvio que tem aquele caminho das pedras de solo de guitarra, onde Mark Gallagher destrinchou riffs e mais riffs (e claro, mais caretas) por uns cinco minutos para dar uma refrescada na rapaziada. Após essa viagem das seis cordas, tocaram outras músicas chegando ao clássico, “Mind Over Metal”, e outra quebra de ritmo, dessa vez em solo de baixo de John Gallager, que substituiu o “Flying V branco” por um “Explorer vermelho”, e que em determinado momento tocou um trecho de “Garota de Ipanema” para delírio da galera.

Após agradecimentos, mandam “Break The Chain”, quase na íntegra e com esbarrões entre os irmãos como que numa brincadeira de criança, emendada pelo medley de partes de Black Sabbath (Sympthon of the Universe), AC/DC (It’s a Long Way to the Top (If You Wanna Rock’n’roll), Judas Priest (Hell Bent Fot Leather) e UFO (Rock Botton), que deixaram os entusiastas relembrando seus tempos juvenis e de como a banda transformou esse show numa eterna brincadeira de adolescentes.

Simplesmente imperdível, mas fica o alerta aos cariocas, mas que vale para todo o Brasil, prestigiem os shows, pois sem apoio aos relutantes e resilientes promotores de shows o cenário rock pode ficar bastante carente! - Marcelo Pereira.
Setlist:
Take Control
Destroy All Monster
Hell Patrol
All for One
Hung, Drawn & Quartered
Top of The Mountain
Rock Until You Drop
Guitar Solo
Faster Than the Speed of Light
Tank Threads (The Blood Runs Red)
Mind Over Metal
On and On
Bass Solo
Break The Chain
Crash Bang Wallop

Próximos eventos confirmados da Be Magic Produções:
Tuatha_de_Danann_Pagan_Throne_LiverkingSHOWS: 
Tuatha de Danann + Pagan Throne + Liverking
DATA: 10 de agosto
PRODUÇÃO: Be Magic Produções
LOCAL:  Rock Experience - Rua do Riachuelo, 20 - Lapa/RJ.
EVENTO: https://bit.ly/2vAOZeE


SUPLA_e_Cara de Porco_em_Bangu_RJSHOWS: Supla + Cara De Porco (celebrando 20 Anos) + Melyra + Aneurose (MG), + Ramyrez 77
PALCO ALTERNATIVO COM: Wagner José e seu bando, Kosmo Coletivo e Verme da Lepra.
LOCAL:  Areninha Carioca Hermeto Pascoal - Pça Primeiro de Maio, s/n – Bangu/RJ
DATA: 8 de Setembro de 2019, às 15hs
CLASSIFICAÇÃO: Livre
INFO: (21) 3463-4945
INGRESSOS: Bilheterias da Areninha Carioca Hermeto Pascoal
EVENTO: https://bit.ly/2FarkqE

Portal Rock Press