Que se deem flores em vida - Tia Maria Do Jongo tem sua história contada em Musical!

O JONGO - Patrimônio do Rio de Janeiro, um ritmo trazido pelos negros da região Congo-Angola durante o Brasil-Colônia. Tia Maria do Jongo da Serrinha FOTO PAULA ELIANEUé!? A Rock Press com uma matéria sobre o Jongo da Serrinha, e justamente no Dia Mundial do Rock!? SIM! Acreditamos que o Jongo assim como diversas manifestações culturais devem ter o devido reconhecimento, seja no rock, na Black music, no samba. Na cena rock é comum reclamar não temos o merecido espaço na mídia, contudo nem sempre reconhecemos que outras iniciativas artísticas também não recebem a devida atenção. Logo aproveitamos que a história de Tia Maria do Jongo virou um musical para contar em algumas linhas um pouco dessa história!


Que se deem flores em vida - Tia Maria Do Jongo tem sua história contada em Musical! 
TEXTO: Maristani Fernandes – FOTOS: Paula Eliane e Divulgação


O Jongo é Patrimônio Imaterial da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro- é um ritmo trazido pelos negros que vieram da região Congo-Angola na época do Brasil-Colônia. Esses negros eram de origem Banto e faziam parte da grande família etnolinguística chamada Angola, Congo, Cambina, Benguela e Moçambique, sendo estes, os primeiros que por aqui chegaram.

Tia Maria do Jongo da Serrinha FOTO DIVULGAÇÃOO Jongo nos antigos tempos, era  dançado apenas pelos mais velhos, os jovens apenas observavam, e não podiam participar. Porém, Vovó Maria Joana Rezadeira (que aparece nesse álbum da Clara Nunes de quem foi mãe de santo) e Mãe de Santo na Clara_Nunes_LP_Brasil_MesticoSerrinha (Madureira/RJ) em companhia do filho Mestre Darcy do Jongo e Tia Maria do Jongo começaram a se preocupar com o futuro do Jongo. E assim, com o passar do tempo, com as ideias surgindo, fundaram o Grupo Jongo da Serrinha, para ensinar aos mais jovens suas raízes, ancestralidade e mostrar todo aquele valor cultura para todos. O grupo fez inúmeras apresentações e Mestre Darcy perpetuou o Jongo para todos os lugares por onde passou.

Porém, segundo relato de Tia Maria do Jongo, um dia, Mestre Darcy pediu para Tia Maria cuidar das crianças do grupo. Ela aceitou e pouco tempo depois, em dezembro de 2001, Mestre Darcy faleceu. Desde então, Tia Maria do Jongo cuida do legado do Jongo da Serrinha. Vale ressaltar, que Tia Maria faz parte da galeria de  fundadores do GRES Império Serrano, sendo a única(o) ainda viva(o). Agora, sua vida será contada em um musical. Justa homenagem. Que se deem flores em vida! 

“Tia Maria, Rainha Do Jongo” – o Musical!

A história de Tia Maria, hoje com 97 anos ganha vida no musical “Tia Maria, Rainha Do Jongo”. A iniciativa partiu do próprio Jongo da Atriz Ana Cê dará vida à Tia Maria em Musical sobre o Jongo da Serrinha FOTO DIVULGAÇÃOSerrinha e terá apresentações nos dias 13 (Hoje) e 20 de julho, no Centro Cultural da Justiça Federal. (Serviço abaixo). Tia Maria será representada no espetáculo pela a atriz Ana Cê e o espetáculo contra com grande elenco de músicos e dançarinos e da participação da própria Tia Maria do jongo. Vale prestigiar, assim como valorizar, as novas bandas de garage, o shows undergrounds da vida! - Maristani Fernandes.


SERVIÇO e FICHA TECNICA:
MUSICAL:
“Tia Maria, Rainha Do Jongo”
LOCAL: Centro Cultural da Justiça Federal – Av. Rio Branco, 241 - Centro/RJ
DATA: 13 e 20 de julho, às 19h
INGRESSOS: No Local
FICHA TÉCNICA:
Idealização:
Jongo da Serrinha
Direção de arte: Rui Cortez
Direção musical: Adriano Furtado
Concepção e pesquisa de repertório: Lazir Sinval
Pesquisa de texto: Carla Dias (Escola de Belas Artes-UFRJ)
Design gráfico e fotografia: Alcino Giandinoto
Desenho de luz: Dani Sanches e Jocacy Araújo
Coordenador de financiamento coletivo: Marcelo de Brito
Visagista: Karin Rodrigues
Figurino: Rui Cortez
Produção de figurino: Bárbara Oyá, Gil Alves, Carolina Aranha e Luana Ferreira
Registro fotográfico e projeções: Rui Zilnet,
Atriz: Ana Cê
Músicos: Tia Maria do Jongo, Deli Monteiro, Lazir Sinval, Luiza Marmello, Adriano Furtado, Rafael Nogueira, Anderson Vilmar, Dilmar José, Vinícius Bastos e Alan Gonzaga.
Dançarinos: Eliane Torres, Suellen Tavares, Suzana Tavares, Andrea França, Karin Rodrigues, Valéria Barros, Aline Oliveira, Ivo Mendes, Custódio Rodrigues, Marquinhos de Minas, Luiz Paulo, Gerson Leal, Brayon Mattos e Renato Mendonça.

*MARISTANI FERNANDES, é Professora de música, ritmista da Bateria do GRES Império Serrano e eterna amante do Heavy Metal. 
 

Portal Rock Press