"Qual é o sentido da vida? Desloque-se de sua própria existência e encontre um novo caminho.”

“IMAGEM SOCIAL” – Essa é a coluna de Tania Lima, militante do movimento negro, na luta pela igualdade social e cursando EDUCAR Arte por Nane Medusa cedida ao Portal Rock Press Coluna Imagem Socialmestrado em Políticas Públicas na UFRJ, Tania Lima vai expor semanalmente no PORTAL ROCK PRESS questões sociais em prol não apenas da música e/ou da cultura em geral, mas que podem ser colocadas em praticas no cotidiano por um bem estar social para todos. Essa coluna assim como outros espaços do portal dará voz para artistas plásticos, fotógrafos, tatuadores, chargistas e todos que queriam ilustrar em prol da consciência social! 

"Qual é o sentido da vida?
Desloque-se de sua própria existência e encontre um novo caminho.” 
Por: Tania Lima – Arte Por Nane Medusa Tattoo*

Sou moradora da Ilha do Governador bairro da zona norte do Rio de Janeiro há 51 anos. A Ilha tem seus encantos. Foi lá que conclui o meu segundo grau (Ensino Médio) e aprendi a aprender. Todas as disciplinas se apoiavam em aspectos humanos independente de suas essências ou ditas aplicabilidades. Estudei cidadania, cantei no Coral, fiz Teatro, Técnicas Agrícolas e Industriais, mas o que lembro sempre quando falo da escola daquela época é dos conselhos dos meus professores. Eles sempre diziam para sermos  CURIOSOS. Eles estimulavam essa busca pelo conhecimento descompromissado. 

Explico melhor:
O conhecimento não estava só na sala de aula. A ideia é que as aulas fossem precursoras de uma busca mais completa do conhecimento. Bem, como era legal estudar... Estudei, tornei-me CURIOSA. Diplomei-me em Administração e Sociologia e fiz  um lato sensu em Docência do Ensino Superior. Hoje estou às voltas com o Mestrado em Políticas Públicas na UFRJ.

Falar de Políticas Públicas me aproxima de um tema recorrente em nossa Sociedade: O Preconceito. A galera tem preconceito e discrimina geral; Discrimina pessoas/culturas e até  música. Sou militante da causa e do Povo Negro. Na verdade milito a favor de termos Direitos. A coisa é tão esquizofrênica quando pensamos em discriminação aqui no Brasil que as pessoas não assumem que ela exista. Quer um exemplo? Pergunte a um cidadão brasileiro sobre música. Peça que ele fale do estilo que ele mais gosta e de um que ele não aprecie contando a historia e/ou surgimento de ambos. Você receberá respostas evasivas e descontextualizadas principalmente do estilo que ele não aprecia e que por isso ele não valoriza. Pronto, se eu não aprecio, não tem valor. Mas e o outro? Aquele que curte, compra CDs e vai a shows? Bom aquele é o desvalorizado. Andei pensando sobre o ROCK. A primeira pessoa que me ocorreu foi Elvis Presley. Poxa o cara marcou uma época, peça fundamental ao Rock e cultura como um todo. Pesquisando mais, descobri que antes dele a população negra já cantava o gênero. Ops! Eram os negros! Elvis era branco e coube a ele popularizar o gênero para uma elite tão branca quanto. Mas minha curiosidade resgatou grandes roqueiros negros como Jimi Hendrix e Chuck Berry, autor de “Johnny B.Good”, imortalizada pelo personagem "Martin Mcfly" vivido pelo ator Michael James Fox na trilogia “De Volta para o Futuro”. O Rock já era cantado pelos negros na década de 1950, e de certa forma até antes disso com o Blues e a Música Gospel, coube aos brancos o popularizar nos anos 1950 e 60. Para muitos deve ser difícil entender que o ROCK é uma música negra porque nem todos os negros se associam a este estilo musical. Preconceito?

Bem, eu tenho uma proposta, a partir de hoje deixar a razão contaminada por valores coloniais de fora das análises musicais. Vamos ouvir com o coração, quem sabe você acaba dando uma chance para o Rock, Blues, Jazz, etc? - Tania Lima

Tania Lima Portal Rock Press Coluna IMAGEM SOCIALSobre Tania Lima é formada em Administração, Sociologia, possui lato sensu em Docência do Ensino Superior, cursa Mestrado em Políticas Públicas na UFRJ, milita em causas sociais, em prol do movimento afro e nunca se cansa de lutar!
 

 


*Sobre Nane Medusa Tattoo: Baixista da banda carioca de HC Fokismo, grafiteira desde sempre e tatuadora desde 2014. A artista já participou de eventos de tatuagem em prol dos animais e oferecem descontos em tatuagens aos que doarem alimentos para sua campanha em beneficio de famílias carentes. 
Seu estúdio funciona na Travessa Marechal Mallet, N: 376 no bairro de Magalhães Bastos/RJ – Conheça seus trabalhos em: 
https://www.instagram.com/nanemedusatattoo/

Comentários

Comentários não permitidos neste 'Post'.