PSYCHO CARNIVAL 2019: A Folia Psychobilly Curitibana!

Carnaval é época de colocar o bloco na rua e se divertir à sua maneira, seja no samba, axé, pagode ou no frevo. Ovos_Presley_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAESPorém, eventos pelo Brasil colocam o rock na passarela. Destaque ao Psicodália em Santa Catarina, Palco do Rock na Bahia, e ao Psycho Carnival em Curitiba/PR que em 2019 completou 20 anos e promoveu quatro dias de folia com 24 shows. Por conta disso, encaramos chuvas torrenciais e horas de congestionamento na estrada, mas que não evitaram que a Rock Press colocasse o seu bloco de pauta nas ruas de Curitiba na cobertura do carnaval mais rockabilly do país.

Psycho Carnival 2019: A Folia Psychobilly Curitibana!
Paraná – Carnaval Março - 2019
TEXTOS e FOTOS: Antonio Carlos Paes

O Psycho Carnival se dividiu em dois eventos. Um gratuito, e intitulado “Esquenta Psycho Carnival” que aconteceu no Bar Lado B Pup, no centro da capital paranaense, e outro no Jokers Pub, onde ocorreram os shows principais. Infelizmente, por escassez de passagens e problemas na estrada (Rio X Curitiba), não foi possível marcar presença no dia de abertura do festival, que teve inicio na sexta-feira (1/3). Contudo, segue um rápido balanço do que foi o dia de abertura do festival e em seguida, uma geral dos dias que sucederam a vigésima edição do Psycho Carnival.

Sexta-feira - 1/3...
O primeiro dia de festival teve início com o power trio curitibano Psycho Daime, que contou com uma jam com Bruno Teixeira do Diddley Duo. Em seguida, os paranaenses do Mongo que em seu set fizeram uma versão para “I will survive” de Gloria Gaynor. Oriundos de Guarapuava/PR e apresentando um surf music sci-fi a banda Kingargoolas, que faz uso dos primeiros instrumentos eletrônicos (produzidos nos anos 20, os chamados theremins). Representando Joinville/SC, Tampa do Caixão. Um dos destaque do dia foi sem dúvida o HC do Agrotóxico (SP). Encerrando a noite, Os Catalépticos, uma lenda do psychobilly nacional. E tudo, era só o começo...

Sábado 02/03...
Skullbillies – (Curitiba/PR) – O segundo dia de esquenta Psycho Carnival, começou com os paranaense da Skullbillies. Formada por: Bone Shaker (bateria/vocal), Fabrício (baixo/vocal) e Rocker GT (guitarra/vocal) promoveram um som seco, forte, com tendências ao punkabilly e com batidas rápidas, agitaram os psychosbillies presentes. Apresentaram músicas que fizeram parte das coletâneas “The More I Work, The Faster My Money Goes” (distribuída pelo selo Nada Pop) e da “Psychozoides” (uma iniciativa da Zombies Union Rec.). Destaque para: "Querida Vítima", "Psycho Defunto" e "Sete Palmos".

Zabilly – (Colombo/PR) - Em seguida, foi a vez da Zabilly, cujos integrantes são: Jura (baixo/vocal), Guilherme (guitarra/backing vocal) e Sandro (bateria/backing vocal). Seguindo a linha de psychobilly, o Zabilly focou seu set no disco “Mecânica do Horror”, dentre elas: “Monstro do Armário”, “Poeira na Estrada”, “Lixando o Platinado”, e sobrando espaço para uma versão de “O Enxofre e a Cachaça” da banda Hillbilly Rawride. 

Em ambos os shows, as bandas tiveram uma excelente receptividade do público, que interagiram o tempo todo. Após o esquenta, os psychobillies estavam prontos para agitar, agora no Joker´s Pub, palco principal. O local era muito bem decorado e possuía uma excelente estrutura de iluminação, som e com direito a uma cortina de palco, semelhante aos anfiteatros dos anos 40.
Time_Bomb_Girls_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES
Time Bomb Girls - (São Paulo/SP) - A primeira banda da noite, foram as meninas da Time Bomb Girls, formada por Camila Lacerda (bateria/voz), Déia Marine (baixo/voz) e Sayuri Yamamoto (guitarra/voz), fizeram uma excelente apresentação, mostrando influências do punk, rockabilly e psychobilly. Sons como “Not a Sad Song”, “Waste of Time” e “Confere com a Muda”, deram o tom. Destaque para as versões de “Minha fama de mau” do Tremendão Erasmo Carlos, (virou: “Minha fama de má”), “Bomb the Twist” da banda The 5. 6.7.8´s e “Caranga Infernal” da Roberto Terremoto e os Abalos Sísmicos.
Chucrobillyman_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES

Chucrobillyman (Curitiba/PR) - Imaginem uma banda de um homem só!? Assim é o Chucrobilly Man, instrumentista amazonense e residente em Curitiba. Seu nome é Klaus Koti e com esse projeto com o qual já lançou cinco discos, vem mostrando um excelente diferencial para a cena underground. Em seu set, Chucrobillyman deu uma geral em seu material, com destaque para “Nothing to choose”, “Friend Chicken Blues”, “Garotas com Decotes Violentos”, “Macumba for you”, entre outras músicas de sua autoria que estão entre os seus cinco discos. Vale muito a pena conhecer o trabalho desse camarada.

Rancho Rancho_Relaxo_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAESRelaxo - (Argentina) - A primeira atração internacional da noite foram os Hermanos do Rancho Relaxo, que chegaram com um rockabilly agitado, o que parece ser uma característica entre as bandas argentinas. Tocaram em especial músicas do disco Chimbulain Rocket, como “Mummy Arm”, “Burnning Heart”, além da faixa título. Também reservaram espaço para versões de “Sentimento fatal” do pós-punk argentino Los Violadores e para “Revenge is Mine” dos americanos do The Quakes.Mullet_Monster_Mafia_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES


Mullet Monster Máfia (Piracicaba/SP) – A quarta atração do Psycho Carnival apresentou um surf music instrumental de nível internacional. Músicas como “Brack Beach”, “Black Coffin Board”, “Surf no Limits”, e o hino “Neptune´s Fury” em que eles incluíram a introdução da música “Raining Blood” do Slayer e ficou perfeito. Outro destaque do show foi a participação do trompetista JC Moloncio músico da primeira formação da banda.
Test_Pilot_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES

Test Pilot – (Suécia) – A quinta atração, foram os suecos do Test Pilot que apresentaram um rockabilly de qualidade, músicas do álbum Parachute Party como “Flipped Out”, “Thin Blue Line”, “Test Pilot Beat” e “The Blob” animaram.
Hillbilly_Rawride_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES

Hillbilly Rawride - (Curitiba/PR) – A última banda misturou country, hillbilly, psychobilly, dando vida a um som original e agitado, ao melhor estilo faroeste. Com guitarra, banjo, rabeca, honk tonk e bateria. O Hillbilly Rawride fez um excelente set, com direito a “Beber até Morrer” do Ratos de Porão. O ponto alto, foi o hino “O Enxofre e a Cachaça”, com o público acompanhando em uníssono, finalizando o segunda dia de Psycho Carnival em um tom de épico.

Domingo 03/03...
Um dos Autógrafos_com_Mao_Garotos_Podres_na_Cervejaria_Maniac_Brower_Co_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAESeventos do Psycho Carnival foi a tarde de autógrafos com o Mao do Garotos Podres que aconteceu na Cervejaria Manics Brower Co. patrocinadora do Psycho Carnival. A voz do Garotos Podres atendeu a todos com muita carisma e brindou os presentes com diversas histórias vividas por este expoente do punk rock nacional. Entre os fãs de várias cidades que levaram seus discos e camisetas surradas para serem autografadas, destaque, ao casal gaúcho, Tiele Cardozo e Leonardo Aguiar que casaram na sexta feira (1/3) e foram passar a lua de mel curtindo os shows do Psycho Carnival.

Além da sessão de autógrafos com o Mao, a cervejaria Manics Brower Co. oferecia um tour aos cliente ondeSurf_Aliens_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES era possível conhecer o processo de produção da cerveja. Agora vamos ao shows...

Surf Aliens (São Paulo/SP) - O domingo de carnaval em Curitiba começou o surf music da Surf Aliens, banda formada por Christian Targo (guitarra), Ricardo Teixeira (Baixo) e Mário Rolim (Bateria). O show aconteceu ao ar livre, no Parque das Ruinas. “Tentáculos”, “O especialista”, a bela baladinha “Nova lua”, foram alguns dos sons apresentados, além de “Psycho Boing”, som em homenagem aos 20 anos do Psycho Carnival, e covers Zumbi_Walk_Curitiba_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAESpara “Papiline” do The Chantays, “Misirlou” do DickAgrotóxico_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES Dale e “Jack The Ripper” do Link Wrey.

Durante o show do Surf Aliens, iniciou-se a concentração da Zumbi Walk 2019, um evento paralelo ao festival e que levou centenas de “zumbis” a desfilarem pelas ruas de Curitiba. Enquanto isso, no palco do Esquenta Psycho Carnival as bandas Grade (Curitiba) e os paulistas do Agrotóxico (foto), faziam bonito no Lado B Pub, diante de um público sedento em prestigiar a punk-rock.
João_Cascaio_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES
João Cascaio Band (Curitiba/PR) - A terceira noite do festival teve início pelo pessoal do João Cascaio Band, seu som fundia country, blues e rock´n´roll, no qual se nota uma forte influência de Hank Williams, (de quem tocaram; “Hey good lookin´”). A banda canta em português e focaram seu set em sons do álbum Volume 1, destaque para a música “Curitiba”.Wood_Surfers_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES


Wood Surfers – (Londrina/PR) – E tome Surf Music Instrumental, com a Wood Surfers, banda revelação do estilo no Brasil. Sons como, “Marola 5”, “Depois das 3hs”, “Shot”, “Ostras Bêbadas”... não me deixam mentir.
Tom_White_&_The_Mad_Circus_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES

Tom White & the Mad Circus (Hungria) - A terceira banda da noite apresentou um rockabilly nervoso, afinal os húngaros do Tom White & The Mad Circus não estavam de brincadeira. Uma excelente presença de palco e uma reciprocidade com o público absurda. Em seu setlist, além de composições próprias “7-Es Busz” e “Give Me One jar of Draft Beer”, tocaram “Boppin the Blues” do Carl Perkis, “Black Slacks” do The Sparklestones, “Hillbilly Wolfman” de Sonny George, “Slow Down” do Jack Earls, Porém, a grande surpresa, foi eles tocarem “Entra Nessa” dos gaúchos do TNT. Baita show!
Red_Light_Gang_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES

Red Light Gang (São Paulo/SP) – Enquanto o Psycho Carnival comemorava seus 20 anos, os paulistas do Red Light Gang comemoram 10 Anos de história e vieram com tudo apresentando sons como “What a Bad Luck”, “Moonshine Queen”, “It´s Your Voodoo Working”, e os covers para “Christine” da Siouxsie and the Banshees, “Slug” dos Ramones e “Angelfuck” do Misftis. Entrevistamos a Gang da Luz Vermelha, em: http://portalrockpress.com.br/red-light-gang-10-anos-do-rockabilly-da-gang-da-luz-vermelha.
Sick_Sick_Sinners_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES
Sick Sick Sinners (Curitiba/PR) - A penúltima banda foi o psychobilly brutal do Sick Sick Sinners. A banda já possui uma carreira internacional dentro do circuito psychobilly e seu set incluiu músicas como “Cadillac Podreira”, “We Wanna Drink Some More”, “Curitiba Rotterdam Psycho”, entre outras porradarias extremas que eles tocam. Como banda anfitriã do Psycho Carnival, coube a eles saudarem os visitantes, já que muitos pegam a estrada e saem de outros estados e países para prestigiar o evento.

Garotos_Podres_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAESGarotos Podres – (São Paulo/SP) – Com nova formação, o show da banda foi desses para fechar a noite com chave de ouro. Além do Mao, hoje o Garotos Podres contam com; Deedy (Guitarra), Uel (Baixo) e Tony Karpa (Bateria). Iniciaram com “Garoto Podre” e dai em diante, cada música era uma aula de história do mestre Mao. Em “Johnny”, ele comentou sobre o regime militar, em que censores da polícia federal poderiam ir a sua casa prendê-lo dependendo da letra, e que o pessoal que apóia o novoGarotos_Podres_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES governo não tem noção do que foi a ditadura no Brasil e diante dos discursos anti-facista, os gritos de “Bolsonaro Vai tomar no Cu” ecoavam. Hinos, não faltaram: “Expulsos do Bar”, “Vomitaram no Trem”, “Anarquia Oi!”, “Papai Noel Velho Batuta”, “Aos fuzilados da CSN”, “Avante Camarada!”, “Nasci pra ser selvagem”, “Um grito em meio à multidão”, “Rock de Subúrbio”, “Ditador”, “Escolas”. Outro destaque foi a versão de “Grandola, Vila Morena” dos anos 60 de Zeca Afonso, regravada nos anos 70 por Nara Leão e pela banda 365 na década de 1980, essa música foi usada pelo Movimento das Forças Armadas Portuguesas (MFA) como senha na Revolução dos Cravos e tornando-a símbolo da revolução na democracia em Portugal. Fecharam a noite com o clássico “Vou fazer cocô”!

Segunda - 04/03...
O último dia do festival foi intenso! Muita coisa boa e músicos surpreendentes, seja no palco do Esquenta no Lado B Pub, ou no principal no Joker´s Pub. O que torna, difícil dizer qual foi o melhor dia do Psycho Carnival, tendo em vista que o tom de equilíbrio na qualidade do evento e das bandas, nós deu a certeza que o fesFish'n_Creepers_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAEStival como um todo, foi excelente!


Fish´n Creepers - (Curitiba/PR) – Dando início aos trabalhos no Lado B Pub o Fish´n Creepers apresentou um psychobilly influenciado pelos ingleses do The Meteors. O destaque do set do foram os sons: “The Evil Dead”, “Killer Boy”, Exploitation” e Into a Canibal”.

Voodoo_Brothers_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES
Voodoo Brother (São Paulo/SP) – O duo formado por Camila Lacerda (bateria/vocal/chocalhos) e Vince Cave (guitarra/vocal), possuem influências de rock dos anos 50, com punk e garage-rock que são sentidas em músicas do disco “Green Kahuma”, tais como: “Voodoo girl”, “Voodoo night”, “Pais das maravilhas”, “Green Kahuma” e o cover de “Frenzy” de Screamin´Jay Hawkins.

Diddley_Duo_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAESDiddley Duo (Curitiba/PR) – Utilizando instrumentos artesanais de uma única corda, os chamados de Diddley Bow, e que eram usados nos primórdios do blues. A dupla composta por Breno Teixeira (Diddley Bow) e João Kolachinsky (bateria). A apresentaçãoDiddley_Duo_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES foi basicamente instrumental, salve em “Prosac´s Blues” que teve a participação da cantora Laura Dallas, participaram também foi Gustavo Toscan da banda Decadência & Partigianos tocando sanfona e Fábio Elias do Relespública tocando guitarra. Entre os sons, destacamos: “Bad ass Boogie”, “The Boogie Diddley”, “Lo fi Trip”, “Footprints at the Highway”. Dentre seus instrumentos, o que mais me chamou atenção foi um pedaço de caibro (“perna de 3”), com uma garrafa de cerveja e uma corda. Para mim a única classificação ao Diddley Duo é: “Gênios”!

Spitfire_Demons_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES
Spitfire Demons (São Paulo/SP) - Mostrando um psychobilly pesado e seco, como de tradição e com forte influência do hardcore. A banda se destacou em sons como; “One-way-ticket to hell” e “Losing Control”, além nas instrumentais: “Twilight Syndrome” e “Evil Ride”, nestas duas últimas mostram suas raízes na surf music. Fizeram um set enérgico, com direito a “Insight” do Dead Kennedys. Sem duvida, Uma nova promessa ao psychobilly nacional.
Drakula_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES

Drakula (Campinas/SP) – Apresentando um psycho death surf music a banda tocou músicas do EP “Massacre a Meia noite”, e dos discos, “Vilipêndio a Cadáver” e “Comando Fantasma”. O show, sobretudo, foi agressivo com a banda apresentando uma excelente interação com o público. No geral, um set de primeira linha!

 Jinetes_Fantasmas_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES
Jinetes Fantasmas (Argentina) - Promovendo sons dos discos; “King Kong Stomp”, “Dimension Psycho” e “Terror, Sangra, Delírio” esses Hermanos chamam a atenção em sons como: “Cuidado”, “Dimension Psycho”, “Botas de Cuero Negro”, “Frankentein em mi Casa”, “Mi Chica Pin Up”. Ao final de um show, que definimos como agressivo, a banda estava muito agradecida em participar da edição de 20 anos de Psycho Carnival.
Frenetic_Trio_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAES

Frenetic Trio – (Londrina/PR) - Com um psychobilly brutal ao extremo, que lhe rendeu a fama de Napalm Death do psychobilly, a banda apresentou músicas do disco homônimo como: “Living Dead”, “Maniac”, “Bring me another beer”, “Sick tormentor”, e “Frenetic killers”. Na ocasião, estava sem a presença do seu baterista, mas sendo muito bem substituído por Orleone Recz (Sick Sick Sinners). Com esse show o Frenetic Trio provou que mesmo dentro de um estilo específico, pode haver uma abrangência musical valiosa agregando estilos e conquistando outros públicos.

Ovos_Presley_Psycho_Carnival_2019_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PAESOvos Presley - (Curitiba/PR) - Finalizando o Psycho Carnival, a lenda do psychobilly nacional, Ovos Presley! E o que esperar do show da banda anfitriã da casa? Um baita show e tradicionalmente insano! O vocalista Ademir surgiu no palco com cabeça enfaixada, igual uma múmia, mantendo a tradição hilária da banda. Na ocasião, a banda não contou com o guitarrista Wallace Barreto, que acompanhava a esposa na maternidade. Wallace foi substituído por Mutant Cox (Hillbilly Rawride / Sick Sick Sinners / Catalépticos). No set, músicas como: “Vai tomar no cu”, “Monstro doido”, “Triste homem azul”, “A date with Ovos” como: “P.Q.P”, “Papai é um morto vivo”, “Filho de Elvis”, “Cadillac podreira”, “Defuntos sabem dançar”, “Voodoo”, “Cão sarnento”, “Ruas inundas”. Hinos dignos de uma festa de 20 anos de história! Leia entrevista com a Ovos Presley em: http://portalrockpress.com.br/1-2-3-4-com-wallace-barreto-da-banda-ovos-presley

Assim foi o carnaval rock´n´roll de Curitiba, com muita cultura, música, amizades, excelente cerveja e um legado eterno representando não apenas o psychobilly, mas, o underground num todo. Parabéns pelos 20 anos Psycho Carnival e que venham outros 20 anos pela frente! - Antonio Carlos Paes.


CONTATO ROCK PRESS:
Envie News e sugestões de pautas da sua banda, selo, fanzine, HQ, gravadora, editora, livro, HQ, distro, arte, produtora de show e evento, cinema, cultura alternativa e Underground em geral. A/C: MICHAEL MENESES - michaelmeneses@portalrockpress.com.br 

Envio material físico:
PORTAL ROCK PRESS:
CAIXA POSTAL: 30450
Rio de Janeiro/RJ - Brasil
CEP: 21351 - 970

TWITTER:
 https://twitter.com/portalrockpress
FACEBOOK: https://www.facebook.com/portalrockpress
INSTAGRAM: https://www.instagram.com/portalrockpress/

Portal Rock Press