Planet Hemp Celebra seus 25 Anos em Show Histórico na Fundição Progresso!!! (1/11/2018).

Passado e futuro desfilaram em 1 de novembro no palco da Fundição Progresso. O Planet Hemp Planet_Hemp_na_Fundição_Progresso_RJ_1_11_2018_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOcomemorou seus 25 anos de carreira, e o rapper Rincon Sapiência mostrou seu 1º, e premiado álbum. Juntos balançaram as estruturas, e deixaram o gostinho de que vai ser difícil parar o bonde do tempo, mesmo usando a força...

Planet Hemp Celebra seus 25 Anos em Show Histórico na Fundição Progresso!!!
Lapa/RJ – 1 de Novembro de 2018
TEXTO: Alexandre Beckão – FOTOS: Larissa Zanchetta.

Na sabedoria popular, costuma se dizer: “O Tempo é o Senhor de Tudo!”. E na última 5ª feira (01/11) na Fundição Progresso (Lapa/RJ), o show de comemoração dos 25 anos de carreira do Planet Hemp foi a máxima dessa frase. Quase uma constante ultimamente, o tempo não estava firme, mas nem mesmo o risco de chuva tirou a nossa ansiedade e expectativa para o show. Durante a concentração na Praça Cardeal Câmara, ponto de encontro tradicional da Lapa/RJ, se percebia que seria um evento daqueles com a galera se aglomerando desde cedo. Ali, já era possível ver o quanto o Planet é querido por seus fãs, sejam eles mais jovens ou “da antiga” (como eu!) numa comunhão de passado e futuro, que deu gosto de ver. Numa noite com várias atrações acontecendo, o Circo trazia os irmãos Cavalera tocando os clássicos do Sepultura, já o Teatro Odisseia trazia a lenda do Punk-HC inglês The Varukers em nova passagem pelo Brasil. Mas mesmo com essa concorrência de peso o show do Planet Hemp teve sua lotação esgotada, e ingressos na hora só na mão dos cambistas. Mais uma vez, minha parceira de missão foi a inabalável Fotografa Larissa Zanchetta. E depois de devidamente credenciados, partimos na cobertura dessa grande festa. Como sempre, deixo aqui nosso obrigado a Produção. Valeu!!!

Feira_Brenfa_Universo_Canábico_2018_Fundição_Progresso_1_11_18_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOAntes dos shows, não poderíamos deixar de comentar, que acontecia no 2º piso da Fundição a 1ª edição da Feira Brenfa – Universo Canábico 2018. O evento promoveu o debate sobre o uso da cannabis, e de suas aplicações industriais, medicinais, terapêuticas, sociais e comerciais. Além dos stands de produtos, teve a participação de médicos e especialistas no uso medicinal da erva, como o neurologista Dr. Eduardo Faveret, do Instituto Estadual do Cérebro (IEC), e do ativista Alexandre Meirelles, um dos primeiros cultivadores a ter permissão judicial para isso. Ele planta cannabis para produzir medicamento para seu filho Gabriel, que sofre de epilepsia. Também teve a exposição, “Baseado no Cotidiano”, do fotografo Phill Whizzman que registra a maconha em momentos do cotidiano de usuários e não usuários. A Brenfa foi uma realização da Cambota Produções, uma empresa reconhecida na produção cultural e gestão de eventos por todo o país nos últimos 20 anos.

Vamos ao shows...
Antes e depois dos shows, a pista ficou aos cuidados mais que especiais de Zedoroque, e do lendário Wilson Power, que detonaram geral com muito Punk Rock, Rapcore e Samba. Valeu DJs!!!

RINCON SAPIÊNCIA - Como já ouvi dizer, o futuro começou ontem, e Rincon Sapiência representa exatamente isso. Desde o Rincon_Sapiência_na_Fundição_Progresso_RJ_1_11_2018_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOlançamento de seu 1º trabalho o EP - SP Rincon_Sapiência_na_Fundição_Progresso_RJ_1_11_2018_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOGueto BR (2013), ele vem acumulando fãs e admiradores cada vez que alguém ouve o seu som. É inevitável não se deixar envolver por suas rimas, e com a sua mistura de Rap, Afro, Trap e Eletrônica. Com uma das visões mais modernas e antenadas da cena musical brasileira, ele vem causando um alvoroço com seu novo trabalho o multipremiado Galanga Livre (2017), por sua originalidade, estilo e conteúdo.

Acompanhado do ótimo DJ Mista Luba, que também ajuda nos backing vocals, ele dançou, correu, pulou, protestou e se divertiu muito com a plateia. Em quase uma hora de show, ele disparou vários de seus sucessos. Começando com uma Intro estilizada, logo veio “Galanga Livre”, na sequência “A Coisa Tá Preta” e “Moça Namoradeira”.

Depois veio “Ostentação a Pobreza” e um breve discurso sobre os rumos sombrios do país; “Crime Bárbaro” fez todo mundo pular e Rincon_Sapiência_na_Fundição_Progresso_RJ_1_11_2018_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOcantar junto; Seguida do balanço de “Elegante”, que também foi cantada em coro pelo público; Na sequência foi a vez de “Afro Rep”, que com suas rimas e beat fez a casa pular muito; “Ponta de Lança (Verso Livre)” foi cantada em coro; E pra fechar em alto estilo “Afronta” som de Boy Killa que Rincon participa. Feliz com o resultado, fez foto com a plateia e agradeceu muito a calorosa recepção. Se você perdeu ou não sabe nada sobre ele, pode ficar tranquilo, que depois dessa apresentação logo, logo ele tá de volta... E não como convidado!!! Salve o futuro... Salve Rincon Sapiência!!!

Deborah_Motta_do_Centro_Cultural_Fundição_Progresso_01_11_18_FOTO_Larissa_Zanchetta_CREDITO_OBRIGATÓRIO2Antes do Planet Hemp o diretor-presidente da Fundição veio pessoalmente ao palco agradecer a Diretor_Presidente_do_Centro_Cultural_Fundição_Progresso_01_11_18_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOcolaboração de todos na casa, e apresentou artista Deborah Motta do Centro Cultural Fundição Progresso executando acrobacias no tecido sobre a plateia. Parabéns pelo belo espetáculo!!!



PLANET HEMP - Depois de toda a polêmica pré-eleições entre Marcelo D2, e o então, Sr. candidato eleito, a expectativa de como seria o show estava lá nas alturas. Mas Planet_Hemp_na_Fundição_Progresso_RJ_1_11_2018_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOquando as luzes se apagaram, toda essa expectativa se concretizou num ato democrático de protesto, que aos poucos se tornou um ato de resistência cultural e político. Com as luzes apagadas surgiram no telão às palavras: “1º de Janeiro de 2019 Sai o Vampiro, Entra o Demônio! Diga Não Ao Fascismo! A Luta Continua!”, que foi seguido com o coro de “Bozonaro Vai Tomar no CU!!!”, e por incrível que pareça vaias foram ouvidas. Ou seja, o que leva um fascistoide/lambe-botas/metido a moralista a ir num show de lendários “Maconheiros”, que de acordo com eles Planet_Hemp_na_Fundição_Progresso_RJ_1_11_2018_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOmesmos, vivem da Lei Rouanet??? A única resposta possível é a incoerência, a alienação religiosa e a falta de cultura, que levaram tantos pobres (principalmente os de caráter e espírito!) a votar no candidato dos pastores, militares e patrões. Antes de continuar, peço desculpas aos nossos leitores se as palavras os tiveram ofendido, mas o Planet Hemp conseguiu ser uma das poucas bandas entre as grandes do Rock brasileiro a ter um posicionamento político claro, e declarado nesse momento tão ridículo, retrogrado e vergonhoso da nossa história. Mas depois que as palavras deram lugar a uma contagem regressiva, o que se viu foi a banda mais feroz em atividade no Brasil. E assim, Marcelo D2, BNegão, Formigão, Pedrinho, Nobru e o novo integrante Pedro Augusto (Tecladista) entraram em cena, e literalmente com sangue nos olhos, detonaram um show sensacional. Não pelo repertório, já que não lançam nada novo há 18 anos, mas pela pressão, sincronia e empatia com o seu público.

Começaram com a sua tradicional introdução de “Não Compre, Plante”, pra logo em seguida entrar com “Legalize Já!” cantada a Planet_Hemp_na_Fundição_Progresso_RJ_1_11_2018_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIOplenos pulmões por todo o público (Bolsominions incluídos! risos); Ainda no embalo veio “Dig Dig Dig (Hempa)” e “Planet Hemp”; “Fazendo a Cabeça” foi cantada em uníssono com o público; “Queimando Tudo” veio na sequência, durante ela atiraram uma bandeira do Uruguai no palco, D2 se enrolou nela e brincou dizendo que poderia se mudar para lá por conta da legalização, e de Pepê Mujica; “Maryjane” veio com força total, assim como “100% Hardcore”; “Raprockandrollpsicodeliahardcoreragga” foi cantada em coro com o público, que já tinha enlouquecido e começado uma gigantesca roda de Pogo; “Ex-quadrilha da Fumaça” e “Zerovinteum” vieram pra acalmar um pouco.

Aproveitando o momento de calmaria, BNegão agora enrolado numa bandeira do movimento LGBT citou o caso Marielle pedindo a punição de seus responsáveis, e foi acompanhado por palmas e gritos de “Marielle Presente!” por todos na plateia (ficou fácil achar os minions, todos calados, e coniventes). Aproveitando o momento, MD2 celebrou os Amigos que já se foram como Chico Science e Chorão, pra na sequência tocar “Samba Makossa” (Chico Science & Nação Zumbi) cantada por todos; Depois de mais uma pequena pausa, foi a vez da pressão subir de novo, convidando MC Paulão ao palco mandaram as versões de “Crise Geral” (Ratos de Porão) e “Seus Amigos” (Serial Killer), já tradicionais em seu repertório; Mais uma homenagem, dessa vez feita com um mar de isqueiros acesos, mandaram “Cadê o Isqueiro?” do Mr. Catra e “Quem Tem Seda?”; Lembraram de seu amigo de longa data, Gustavo Black Alien (ex-Planet Hemp) com “Deisdazseis”; Planet_Hemp_na_Fundição_Progresso_RJ_1_11_2018_FOTO_Larissa_Zanchetta_CRÉDITO_OBRIGATÓRIONa sequência veio “Stab” e “Contexto”.

Empolgados com o público, MD2 puxou no improviso “Futuro do País”, que depois virou “A Culpa é De Quem?”, e a galera pirou; Depois de muitos agradecimentos, fecharam em grande estilo com “Mantenha o Respeito” cantada mais uma vez em uníssono com toda a Fundição. No fechamento com todos à beira do palco pra agradecer ao público, soltaram nos falantes “Eu Sou o Rio” do lendário e mitológico Black Future. Depois de tudo, a única certeza é que a luta continua e a resistência somos nós mesmos, pois como eles dizem a 25 anos... “Os Cães Ladram, Mas a Caravana Não Para!” Parabéns Planet Hemp, obrigado pela festa e que venham mais 25 anos!!! - Alexandre Beckão!

Portal Rock Press