PAUL McCARTNEY - Os anos 2010: De volta ao Brasil... até a Freshen Up Tour

Finalmente, iniciam-se nessa semana os shows da “Freshen Up Tour” de Paul McCartney noPaul_McCartney_dossiê_2010_à_2019 país. Os concertos acontecem nos dias 26 e 27/03, em São Paulo e no dia 30/03, em Curitiba. A Rock Press marcará presença nestas apresentações, mas antes deixamos vocês com o último capítulo deste dossiê sobre o artista, no qual repassamos os anos 2010, quando a presença do beatle no Brasil tornou-se regular a cada turnê. 

DOSSIÊ: PAUL McCARTNEY – THE LONG AND WINDING ROAD
CAPÍTULO 8 – Os anos 2010: De volta ao Brasil... até a Freshen Up Tour 
TEXTO: Robert Moura – FOTOS: Divulgação

paul_mccartney_freshen_up_brazil.jpg

Paul_McCartney_Foto_PromocionalApós mais uma década incrivelmente agitada, Paul McCartney iniciou os anos 2010 com nova turnê, e desde então, não saiu mais dos palcos mundo afora. Álbuns de estúdio e ao vivo também foram lançados, como o mais recente “Egypt Station” que o colocou no primeiro lugar das paradas, posto que não ocupava desde o início dos anos 1980. Depois de se apresentar no Chile e na Argentina, Paul chega essa semana para os shows no Brasil. Os ingressos para a primeira noite em São Paulo (26/03) no Allianz Park, e a apresentação de Curitiba (30/03) no Couto Pereira estão esgotados. Ingressos para o segundo show de Sampa (27/03), ainda podem ser adquiridos em: https://bit.ly/2Danf47. “I've got so many lessons to learn, what am I doing wrong, I don't know”

Up And Coming Tour... Back In Brazil...
Em 2010, Paul McCartney cairia na estrada com a “Up And Coming Tour” que oPaul_McCartney_up_and_coming_tour traria novamente ao Brasil para shows em Porto Alegre (7/11), e em São Paulo (20 e 21/11). Destacaram-se apresentações no pequeno 100 Club em Londres, no Apollo Theatre em Nova York, e no Hollywood Bowl (onde havia se apresentado pela última vez há 46 anos com os Beatles). As músicas “Venus And Mars/Rockshow” voltariam ao “setlist”. Numa entrevista, Paul diria que o primeiro show de São Paulo e a apresentação na Casa Branca quando foi homenageado pelo presidente Barack Obama com o Gershwin Prize For Popular Song foram os pontos altos da turnê (além de Paul, a cerimônia contou com apresentações de Stevie Wonder, Corrine Bailey Rae, Herbie Hancock, Elvis Costello, Dave Grohl e o pianista Lang Lang). Paul também foi homenageado no Kennedy Center Honors, com participações do No Doubt, Norah Jones, Dave Grohl, Steven Tyler, James Taylor e Mavis Staples, e a presença do presidente Obama e a primeira dama, Michelle.

Paul colaborou com Fran Healy da banda Travis, gravando o baixo em “As It Comes” de seu disco solo, “Wrecokorder”. Em agradecimento, Fran tornou-se vegetariano. Paul ficou surpreso quando Fran lhe contou a novidade. Dias depois, Paul lhe presenteou com três livros de receitas vegetarianas escritos por Linda. No dia 7 de julho, Paul apareceu de surpresa e tocou “Birthday” no show de aniversário de Ringo, no Radio City Music Hall, em Nova York.

Archive Collection...
Ainda em 2010, Paul iniciou uma série de relançamentos de seus álbuns remasterizados, a Archive Collection. O primeiro foi “Band On The Run”, e até o momento saíram: “McCartney”, “McCartney II”, “Ram”, “Wings Over America”, “Venus And Mars”, “Wings At The Speed Of Sound”, “Tug Of War”, “Pipes Of Peace”, “Flowers In The Dirt”, “Wild Life” e “Red Rose Speedway” Além das gravações originais, os boxs trazem versões alternativas, faixas inéditas ou presente apenas em singles, DVDs, e vasto material que incluem livros, fotos, reproduções de ingressos, entre outros itens que fazem a alegria dos fãs.

Paul retornaria com a “Up And Coming Tour” ao Brasil, em 2011, para shows no Rio de Janeiro (22 e 23/05). Na sequência, ele emendou a turnê “On The Run”, que incluiu “Junior’s Farm” e “Letting Go” (não tocadas desde os anos 1970); “ The Night Before”, “I’m Looking Through You”, “The World”/”All You Need Is Love” (citando “She Loves You”) dos Beatles, e “Come And Get It”.

Nancy Shevell...
Paul se casaria pela terceira vez, em 2011. A nova união seria com Nancy Shevell com quem ele iniciara um namoro em 2007. A oficialização do enlace foi realizada no cartório de Marylebone (mesmo local em que Paul se casou com Linda em 1969), no dia 9 de outubro (por coincidência, data do aniversário de Lennon). O vestido de Nancy foi desenhado por Stella McCartney. Ringo e sua esposa Barbara Bach estavam presentes. Após a cerimônia, houve uma pequena recepção DVD_The_Love_You_Make_Paul_McCartneyna casa de McCartney. Nascida em 20 de novembro de 1959, em Nova York (assim, como Linda), Nancy é uma executiva muito bem-sucedida, sendo vice-presidente de um conglomerado, na área de transporte. 

The Love We Make...
Dez anos após o atentando de 11 de setembro em Nova York, Paul lançou o documentário “The Love We Make”. Dirigido por Albert Maysles, o filme é uma crônica que mostra a passagem de Paul pela cidade (que estava em Nova York no dia do atentado), a preparação e o concerto beneficente para a cidade organizado por ele, incluindo de Eric Clapton, Mick Jagger, David Bowie, Jay Z, e o ex-presidente dos EUA, Bill Clinton. O título, “The Love We Make” (“o amor que nós damos”) parafraseia “The End” dos Beatles: “and in the end, the love you take is equal to the love you make” (“e no final, o amor que você recebe é igual ao amor que você dá”).

Ocean’s Kingdom...
Album_Oceans_Kingdom_Paul_McCartneyDando sequência às suas composições na seara da música clássica, Paul apresenta o ballet, “Ocean’s Kingdom”. A obra foi encomendada pelo New York City Ballet, e gravada com regência de John Wilson pela London Classical Orchestra (alcançando o primeiro lugar na parada de música clássica dos EUA e o segundo na Inglaterra). A coreografia ficou a cargo de Peter Martins. Dividido em quatro partes: “Ocean’s Kingdom”, “Hall Of Dance”, “Imprisonment” e “Moonrise” e se trata de uma história de amor em dois mundos fantásticos, o reino do oceano (“ocean’s kingdom”) e o reino da Terra. O amor surge com encontro desses dois mundos. A versão “Deluxe” disponível nas plataformas digitais contém a gravação ao vivo, realizada em 21 de setembro de 2011, com a New York City Ballet Orchestra conduzida por Fayçal Karoui.

No mesmo ano, Paul fez uma participação em “Rare Bird Alert”, disco gravado pelo ator Steve Martin e a banda de bluegrass, The Steep Canyon Rangers, no qual cantou “Best Love”. E, o tributo a Buddy Holly, “Rave On”, incluiu duas versões de “It’s So Easy” gravadas por ele.

Kisses On The Bottom...
O álbumAlbum_Complete_Kisses-Paul_McCartney de releituras de standards do jazz, “Kisses On The Bottom”, lançado em 2012, apesar da grande produção, soa mais como um projeto despretensioso e prazeroso que um cara que já fez tudo o que ele fez na carreira pode se dar ao luxo (e direito) de fazer: a começar pelo trocadilho do título, extraído da letra da música de abertura “I'm Gonna Sit Right Down”, que ao mesmo tempo quer dizer "beijos na parte de baixo" ou "beijos no final", no caso de uma carta, também pode ser interpretado como "beijos na bunda". A produção é de David LiPuma que trabalhou com Miles Davis, George Benson, Marcus Miller, João Donato, Tom Jobim, João Gilberto, e Diana Krall que toca nas gravações acompanhada de sua banda, além das participações do guitarrista John Pizzarelli e seu pai Bucky Pizzarelli (ex-guitarrista de Frank Sinatra), Eric Clapton e Stevie Wonder e a London Symphony Orchestra. Em “I'm Gonna Sit Right Down” (Ahlert/Young), piano, guitarra e bateria fazem o riff completado com o baixo solo na introdução. Mas não se enganem, não é Paul quem toca o instrumento. Esse é o seu primeiro álbum apenas como cantor (ele só toca violão em “Get Yourself Another Fool” e “The Inch Worm”). Sua voz surge suave e com leve falsete, fazendo uma linha bem Fred Astaire. Em “Home (When Shadows Fall)” (Steeden/J. Clarkson/H. Clarkson), o destaque vai para a elegante guitarra de John Pizzarelli com seus arpégios dialogando com a orquestra e a voz de Paul. “It's Only a Paper Moon” (Arlen/Harburg/Rose) surge com ritmo mais suingado que caiu muito bem na voz do Paul, um solo de violino passeia pela canção num jogo de pergunta-resposta com a voz e o assobio de Paul. Em “More I Cannot With You” (Loesser), é necessário destacar a guitarra mais uma vez. Paul sussurra a letra com arranjo suave e minucioso. Em “The Glory of Love” (B. Hill), o contrabaixo introduz a canção e acompanha a voz de Paul com exclusividade durante quase todo o primeiro minuto da canção. “We Three (My Echo, My Shadow and Me)” (Mysels/Robertson/Cogane), mostra que o grande destaque instrumental fica mesmo por conta da guitarra que sempre aparece muito bem (Bucky Pizzarelli também toca nessa faixa), para contrabalançar Paul faz uma de suas melhores interpretações. Macca parece se sair melhor nas canções mais suingadas, e “Ac-Cent-Tchu-Ate The Positive” (Arlen/Mercer) é uma delas. Composição inédita de McCartney, “My Valentine”, não destoa das canções de “Kisses”. Eric Clapton faz o solo de violão. “Always” (Irving Berlin) caiu muito bem na interpretação de Paul, e tem outro belo solo de guitarra. Em “My Very Good Friend the Milkman” (Spina/Burke), o destaque fica por conta do assobio de Paul e solo de trompete. “Bye, Bye, Blackbird” (Henderson/Dixon) foi gravada por outro beatle antes, Ringo Starr, em “Sentimental Journey”. O piano aparece de maneira mais efetiva nessa canção. Com um pezinho no blues, “Get Yourself Another Fool” (Henry/Tucker) traz Clapton na guitarra solo. “The Inch Worn” (Loesser) tem um clima melancólico que remete mais à Inglaterra do que aos EUA, tanto que até parece uma composição de Paul. “Only Our Hearts”, é outra inédita de Paul que não foge do estilo jazzístico e tem participação especial de Stevie Wonder fazendo um solo de gaita.

Single_Christmas_Kisses_Paul_McCartneyA edição “Deluxe” incluiu uma versão de “Baby’s Request”, lançada originalmente em “Back To Egg”. Já o “Complete Kisses” incluía a apresentação no Capitol Studios (que teve algumas faixas lançadas inicialmente com exclusividade no iTunes e sairia no DVD “Live Kisses”), mais os bônus: “The Christmas Song (Chestnuts Roasting On An Open Fire)”, incluída no single de natal, “Christmas Kisses”, em vinil com a gravação “Wonderful Christmastime” no lado B; “Baby’s Request”, “My One And Only Love” e “My Valentine” com arranjo de Johnny Mandel. O DVD, que vem com um encarte de 40 DVD_MusiCares_Paul_McCartneypáginas, tem como bônus, seis versões do clipe de “My Valentine” com participação de Natalie Portman e Johnny Depp, making of da gravação do clipe dirigido por McCartney, dois álbuns de fotos e uma entrevista de Paul e Tommy LiPuma, e depoimentos de Stevie Wonder e Eric Clapton. As fotos são de Mary McCartney.

MusiCares...
A MusiCares Foundation, cujo objetivo é ajudar músicos em necessidade financeira, pessoal ou médica, homenageou Paul, em cerimônia ocorrida no dia 10 de fevereiro de 2012. Artistas, como Norah Jones, Alicia Keys, James Taylor, Diana Krall, Dave Grohl, Neil Young, e Sérgio Mendes, interpretaram algumas de suas canções, e Paul tocou: “Magical Mystery Tour”, “Junior’s Farm”, “My Valentine”, Nineteen Hundred And Eighty Five”, e “Golden Slumbers/Carry The Weigth/The End”. O show saiu em DVD, em 2015.

On The Run Tour...
On_The_Run_Tour_Paul_McCartney_BannerO Brasil se tornaria parada regular das turnês de Paul, e ele regressaria ao país com a “On The Run Tour” para shows em Recife (22 e 23/04) e Florianópolis (25/04). O repertório não mudou muito em relação à “Up And Coming Tour”, mas contou com “The Night Before” dos Beatles estreando ao vivo. Ele incluiu “Hope Of Deliverance” (Bogotá), “Every Night” (Guadalajara, Cidade do México), “Mull Of Kyntire (Vancouver e Edmont). Em 4 de junho, ele tocou no The Queen’s Diamond Jubilee Concert, no Victoria Memorial, em Westminster. O “set”, incluiu “Magical Mystery Tour”, “All My Loving”, “Let It Be”, “Live And Let Die” e “Ob-La-Di, Ob-La-Da”. E, em 27 de julho ele tocou “The End” e “Hey Jude” na abertura dos Jogos Olímpicos de Londres.

Sempre apoiando causas nobres, Paul fez vocal e guitarra solo na regravação da música “He Ain’t Heavy, He’s My Brother”, sucesso dos Hollies, para o projeto The Justice Collective, um coletivo composto por diversos artistas, como apoio às famílias e vítimas do desastre ocorrido no estádio de Hillsborough, numa partida de futebol entre o Liverpool e o Nottingham Forest, em 1989, que resultou na morte de 96 pessoas, deixando 766 feridos. Ele também se apresentou no “12-12-12 The Concert For Sandy Relief”, no Madison Square Garden, evento beneficente que reuniu vários artistas em prol das vítimas do furacão Sandy que causou enormes estragos na região nordeste dos EUA e do Caribe. O curto “setlist” incluiu “My Valentine” com participação de Diana Krall; e “Cut Me Some Slack”, que foi tocada pela primeira vez. Ela foi gravada durante a jam com os integrantes remanescentes do Nirvana, Dave Grohl, Krist Novoselic e Pat Smear, e lançada dois dias depois no YouTube. Paul tocou ci-guitar (guitarra no formato de uma caixa de charutos). Em março de 2013, sairia o disco “Sound City: Real To Reel” com uma versão de estúdio da música, que eles voltariam a tocar num show de Paul, em Seattle (terra natal do Nirvana) no dia 19 de junho de 2013.

Em outubro foi lançado o álbum de canções natalinas, “Holidays Rule”, com diversos artistas.  A gravação de Paul de “The Christmas Song (Chestnuts Roasting On Na Open Fire)” foi incluída. Ainda, em 2012, Paul participaria do disco “Blow Your Pants Off” do comediante Jimmy Fallon cantando a versão “original” de “Yesterday”, que fora batizada provisoriamente de “Scrambled Eggs” (“Ovos Mexidos”), quando a melodia lhe veio à mente durante um sonho nos anos 1960. A letra inicialmente improvisada por Paul que já tinha versos cômicos ganhou outros versos de Gerard Bradford e Mike DiCenzo,

New...
Album_New_Paul_McCartneyEm 2013, Paul trabalhou com jovens produtores em “New”, Giles Martin (filho de George Martin, que havia produzido Jeff Beck, Elvis Costello, Kate Bush), Paul Epworth (Adele, Primal Scream), Mark Ronson (Nikka Costa, Lily Allen, Amy Winehouse, Adele, Duran Duran), Ethan Johns (Kings Of Leon, Joe Cocker, Counting Crows). Não é nenhuma novidade, mas Paul mantém a exploração de instrumentos não convencionais no rock como fez tantas vezes, sejam eles típicos de regiões africanas como ngoni, djembe ou da Grécia como o bouzouki; a tábua de lavar roupas “washboard” de origem no blues norte-americano; uma percussão eletrônica executada num iPad; e mesmo instrumentos de brinquedo como o “play-me-a-songbook”. Ao mesmo tempo, Paul não abandona a raiz de seu passado musical. Não é à toa que ouvimos referências ao Queen e Beach Boys e aos Beatles. Este é mais um trabalho no qual ele responde pela gravação de boa parte dos instrumentos, mas, também conta com sua banda de apoio dos shows, eventuais músicos adicionais nas cordas e metais, e Epworth na bateria em algumas faixas. Com um riff com guitarra “rasgada”, “Save Us” (McCartney/Epworth), abre o disco num clima alto astral. Rock melódico de primeira. Tem um quê do Paul anos 1980, mas lembra muito o Queen, seja pelos vocais, seja por sua levada da música, e mesmo o tema faz lembrar “Save Me”, música da banda. A criatividade melódica de Paul dá sinais de que nunca irá acabar. “Alligator” já lembra um pouco a sonoridade de “Off The Ground” (1993), nela, os vocais vão para uma linha mais Beach Boys. Ela tem uma melodia com variações inesperadas, como o refrão que surge como um breve e belo interlúdio vocal. Como na letra anterior, Paul fala em precisar ser salvo: “I want someone who can save me” (Eu preciso de alguém que possa me salvar). “On My Way To Work”, apresenta o mesmo misto de sonoridade vintage e moderna das faixas anteriores. Violões e guitarras fazem a linha de frente. Um órgão solitário introduz “Queenie Eye” (McCartney/Epworth) dando a sensação que vamos ouvir uma balada, mas a entrada dos vocais e demais instrumentos levam a música para um lado inesperado: um rock psicodélico que ecoa com a fase “Magical Mystery Tour”, lembrando mais John (de “I’m The Walrus”) e George (de “Blue Jay Way”) do que Paul (embora, ela tenha algo meio “You Never Give me you Money”). A letra de “Early Days” fala dos primeiros tempos ao lado de John: “Dressed in black from head to toe/Two guitars across our backs/We would walk the city roads/Seeking someone who would listen to the music/That we were writing down at home” (Vestidos de preto da cabeça aos pés/Dois violões em nossas costas/Queríamos andar pelas ruas da cidade/Procurando alguém para ouvir as músicas/Que estávamos escrevendo em casa). Mais uma bela homenagem de Paul ao velho amigo. “New” soa como Beatles de 1966/67 e um pouco de Beach Boys, até porque as duas bandas no auge de suas carreiras andaram trocando influências. Meio lounge, “Aprecciate”,  segue a linha dos projetos paralelos de Paul, como o Fireman e seus flertes com a música eletrônica. O rock volta à tônica em “Everybody Out There”. Uma aula de como compor, arranjar, gravar e produzir uma música pop de qualidade. Só não é tão simples quando você tenta fazer em casa. A família McCartney participa nos vocais. “Hosanna” é outra balada conduzida por violões, um velho efeito de flanger que andou passeando em outras canções reaparece nessa faixa. Uma dose do lado mais soul de Paul surge na dançante “I Can Bet”. Cantada de forma sussurada, a balada romântica, “Looking At Her”, tem uma textura instrumental moderna com programação eletrônica usada sob medida. Com intensa presença no disco, os teclados conduzem “Road” (McCartney/Epworth) que vai um pouco para a linha do lounge e da new wave e encerra a edição padrão do CD. A Deluxe Edition traz como bônus: o rock “Turned Out”, a balada country “Get Me Out Of Here”, e uma faixa escondida, “Scared”, apenas Paul cantando e tocando piano. E a “Collector’s Edition” trazia um CD extra com “Struggle”, “Hell To Pay”, “Demons Dance”, mais versões ao vivo de “Save Us”, “New”, “Queenie Eye” e “Everybody Out There” captadas em no Tokyo Dome, no Japão; e o documentário “Something New” com bastidores da divulgação e os clipes de “Quennie Eye”, “Save Us”, “Appreciate” e “Early Days”. A edição japonesa incluiu “Struggle”. A capa foi inspirada no trabalho do artista plástico Dan Flavin. “New” não apresenta necessariamente um “novo” Paul, mas o “velho” Macca que sempre está ligado ao que está rolando.

Out There Tour...
Out_There_Tour European_Paul_McCartneyMais do que passar pelo Brasil, “Out There”, a nova turnê de Paul estrearia aqui, mais exatamente no dia 4 de maio de 2013, em Belo Horizonte, no Estádio do Mineirão.  O repertório viria bastante renovado com “Listen To What To The Man Said” e “Hi, Hi, Hi” que não tocava desde as turnês dos Wings; e “Eight Days A Week”, “Your Mother Should Know”, “All Together Now”, “Being For The Benefit Of Mr. Kite!” e “Lovely Rita”, outras canções dos Beatles jamais tocadas ao vivo pela banda. Depois seguiu com shows em Goiânia (06/05) e Fortaleza (09/05). Das músicas menos frequentes no repertório, rolaram “San Francisco Bay Blues” (em São Francisco/EUA) e “Mull Of Kyntire” (nas cidades de Winnipeg e Regina no Canadá). A turnê seguiria em 2014. “Kansa City” foi tocada na cidade homônima como Paul sempre faz em seus shows lá. Em Lubbock (cidade natal de Buddy Holly, tocou sua canção, “It’s So Easy”, também executada em Dallas). Uma nova passagem pelo país teve shows em Vitória (10/11), Rio de Janeiro (12/11), Brasília (23/11) e São Paulo (25 e 26/11). Depois de uma pausam a “Out There” retornou em 2015. A partir do show em Osaka no Japão (21/04/1015), seriam incluídas as novas “Save Us”, “New”, “Queenie Eye” e “Everybody Out There”. “Can’t Buy Me Love” voltaria ao “setlist” na Terra do Sol Nascente, onde ele começaria a tocar o single “Hope For The Future”. “Temporary Secretary” apareceu a partir do show de Londres (23/05). “Another Girl”, outra inédita dos Beatles nos palcos, foi incluída a partir de Amsterdã (07/06), e “Four Five Seconds” em Columbus/EUA (13/10).

Em 21 de setembro de 2013, Paul se apresentou no iHeart Radio Music Festival em Las Vegas. O “set” incluiu as novas “Save Us”, “Everybody Out There” e “New”, além de “Magical Mystery Tour”, “Let Me Roll It”, “Another Day”, “Lady Madonna” e “Live And Let Die”. Em 9 de outubro, ele fez uma apresentação especial na Frank Sinatra School Of The Arts, em que além de tocar, respondeu a perguntas dos estudantes. Paul realizou uma apresentação surpresa no Times Square em Nova York para o lançamento de “New” no dia 10 de outubro. Num palco montado num caminhão ele tocou as faixas do novo álbum “New”, “Save Us”, “Everybody Out There” e “Queenie Eye”. No dia 18, Paul fez novo show-surpresa, dessa vez no Convent Garden em Londres. Ele tocou as mesmo quatro músicas apresentadas na Times Square. No dia 21 de novembro ele fez um mini-concerto no programa Late Night de Jimmy Fallon.

On Air – BBC Live 2...
Beatles_Live_at_the_BBC_Volume_2Em novembro de 2013, foi lançado o CD duplo “On Air – Live At The BBC Volume 2” que trazia novas gravações dos Beatles feitas em programas da rádio inglesa. Assim, como no primeiro volume lançado em 1994, os discos têm diálogos, músicas conhecidas da discografia da banda, e outras inéditas com eles, como: “Words Of Love” (Buddy Holly) e “I’m Talking About You (Chuck Berry). No mês seguinte, saiu “The Beatles Bootleg Recordings 1963”, uma coletânea com 59 gravações inéditas. Ela foi lançada com exclusividade no iTunes. A intenção foi garantir os direitos autorais das gravações inéditas, uma vez que após 70 anos, elas se tornariam de domínio público.

Dando seguimento às suas colaborações com outros artistas, Paul tocou baixo e fez segunda voz em “All Of Me” doDVD_Rockshow_Paul_McCartney álbum “Old Sock” de Eric Clapton; e com o The Fireman, ele participou da faixa “Out Of Sight” (também lançada em single) do disco “Hide” do grupo de música eletrônica italiano, The Bloody Beetroots. Ainda, em 2013, o filme “Rockshow” da histórica turnê de 1976 dos Wings saiu em DVD eBeatles_Bootlegs_1963 Blu-Ray em cópia restaurada e remasterizada e pela primeira vez com a íntegra da apresentação.

Em 2014, juntamente com Martin O’ Donnell, Paul escreveu a suíte sinfônica, “Music Of The Spheres”, em oito movimentos para a trilha do videogame Destiny para PlayStation e Xbox. Inspirado no game, Paul compôs e gravou o single “Hope For The Future”.

Uma nova versão de “Wonderful Christmastime” foi gravada em parceria com o grupo vocal “Straight No Chaser”. Ela saiu no EP do grupo, “Under The Influence: Holiday Edition”. Paul colaboraria com Kanye West nas músicas: “Only One”, composta por Kanye, Paul, Kirby Lauryen, Noah Goldstein e Mike Dean. Também lançada em single, ela saiu no álbum “Yeezus” do cantor, de 2014; e “All Day” que foi lançada apenas como single digital, em 2015. Ela incluiu samplers de uma composição inédita de Paul feita em 1969 cujo título provisório era “Two Fingers & Whistling”. Paul e Kanye fariam outra colaboração contando com a cantora Rihanna em “FourFiveSeconds” (composta por Paul, Kanye, Kirby Lauryen, Mike Dean, Dave Longstreth, Dallas Austin, Elon Rutberg e Noah Goldstein), lançada em janeiro de 2015. O trio tocouDVD_Beatles_Album_1 a canção no 57º Grammy Awards.

A coletânea, “1”, com as canções dos Beatles que alcançaram o primeiro lugar nas paradas, ganhou uma versão de luxo, em 2015, batizada de “1+”. O pacote incluía o CD lançado originalmente em 2009; e dois DVDs com 50 vídeos promocionais e performances ao vivo das canções, com comentários de Paul e Ringo; e um livro. O box também saiu na versão CD + 2 Blu-rays.

Paul fez um show especial em função do Valentine’s Day (dia dos namorados) no Irving Plaza, em Nova York, em 14 de fevereiro de 2015. O repertório contou com “One After 909” e “It’s So Easy” de Buddy Holly. Em junho, ele se apresentou no Firefly Music Festival em Dover, e em julho Roskilde Festival na Dinamarca e no Lollapalooza em Chicago. Ainda em 2015, McCartney participou do disco homônimo do supergrupo, “Hollywood Vampires”, formado por Joe Perry, Johnny Deep e Alice Cooper, na releitura de “Come And Get It”.

Pure McCartney...
Album_mccartney_pure_mccartney_paul_mccartneyUma coletânea caprichada foi lançada em 2016. Além dos inevitáveis HITS, ela incluiu músicas menos conhecidas como “Warm And Beautiful”, “Arrow Through Me” e “Too Much Rain”. “Pure McCartney” saiu em CD duplo e também em versão “Deluxe”, em CD quádruplo. OBeatles_ DVD_Eigth_Days_A_Week vídeo “Pure McCartney VR” de 45 minutos em realidade virtual, dirigido por Tony Kaye, foi lançado como parte da campanha de divulgação.

Eight Days A Week – The Touring Years... e Live At The Hollywood Bowl...
Dirigido por Ron Howard, o filme “Eight Days A Week – The Touring Years” foi lançado nos cinemas, e em DVD/Blu-ray. O documentário aborda as turnês dos Beatles entre 1962 e 1966, começando no Cavern Club e indo até o último show em Candlestick Park, em São Francisco. Paralelamente, foi relançado o álbum “Beatles Live At The Hollywood Bowl”, original de 1977, ganhou uma edição em CD com faixas bônus. 

Sempre envolvido em diversos projetos, Paul compôs e gravou “In The Blink Of An Eye” gravou para a trilha do filme de animação “Ethnel & Ernest”. E, o cantor Frank Ocean incluiu trechos da letra de “Here, There And Everywhere” em “White Ferrari”, de sua autoria com Kanye West, e Paul e John Lennon foram creditados na faixa lançada em “Blonde”.

One On One Tour...
One_On_One_Tour_Banner_Paul_McCartneyA nova turnê foi batizada de “One On One” e rodou o mundo entre abril de 2016 e dezembro de 2017. “Love Me Do” e “You Won’t See Me” dos Beatles apareceram como novidade. No show de Minneapolis, nos dias 4 e 5 de maio, Paul prestou uma homenagem Prince, falecido duas semanas antes, tocando “Let’s Go Crazy”. Paul tocou nos festivais de verão de Milwaukee (EUA), Wertcher (Bélgica) e Landgraaf (Holanda). “A Hard Day’s Night”, abria os shows. O Desert Trip, festival ocorrido no deserto da Califórnia teve duas noites com McCartney (8 e 15/10). Rihanna cantou “FourFiveSeconds”  no show do dia 15, e Neil Young se uniu a ele em “A Day In The Life” / “Give Peace A Chance” e “Why Don’t We Do It In The Road”. Entre os dois concertos, ele fez uma apresentação surpresa para 300 pessoas, no dia 13/10 no Pappy & Harriet’s, em Pioneertown, um pequeno bar da cidade. Paul voltaria ao Brasil, em 2017, para shows em Porto Alegre (13/10), São Paulo (15/10), Belo Horizonte (17/10) e Salvador (20/10).

Paul fez outra série de colaborações: ele toca baixo em “Show Me The Way” e faz vocais em “We’re On The Road Again” do disco “Give More Love” de Ringo Starr; toca bateria em “Sunday Rain” de “Concrete and Gold” dos Foo Figthters; O volume dois de “Holidays Rule” traria “Wonderful Christmastime” regravada com o apresentador Beatles_The_Christmas_Records_AlbumJimmy Fallon do “Tonight Show” e a banda do programa, The Roots. E, Charlotte Gainsbourg gravou “Songbird In A Cage”, de Paul, no álbum “Rest”.

Em 2017, os discos com mensagens de natal faladas e musicadas, gravados especialmente para o fã-clube oficial da banda entre os anos de 1963 e 1969, foram reunidos numa caixa de vinil e lançadas sob o título de “The Beatles’ Christmas Records”. No mesmo ano, foi lançada uma edição comemorativa de 50 anos de “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, com nova remixagem feita por Giles Martin em um CD estéreo, o CD em mono, dois CDs com takes alternativos, e DVD e Blu-ray com mixagens em surround 5.1, o documentário “The Making Of Sgt. Pepper” de 1992, e um livro. No ano seguinte, o “Álbum Branco” também saiu em edição comemorativa de 50 anos Super Deluxe similar, num box, que além de dois CDs, com as gravações originais, mais quatro CDs com takes alternativos e um Blu-ray áudio com mix em mono, estéreo, e 5.1 DTS.


Egypt Station...
Album_Egypt_Station_Paul_McCartneyProduzido por Greg Kurstin com co-produção de McCartney, “Egypt Station” deu a Paul o primeiro lugar nos EUA, em 2018. Algo que não acontecia desde 1982, com “Tug Of War”. Paul pensou no trabalho como um álbum conceitual em que cada música seria uma estação diferente. A primeira coisa que se ouve ao colocar o disco para tocar são os ruídos de uma estação. No final da vinheta, “Opening Station”, surge um coro com uma harmonia que cria o clima e prepara o ouvinte para a delicada e introspectiva, “I Don’t Know”. Apesar de ser uma de suas especialidades, não é comum que Paul inicie um disco com uma balada. Sua porção rock’n’roll já aparece na faixa seguinte, “Come On To Me”, cuja letra traz maliciosos trocadilhos sexuais. A balada acústica, “Happy With You”, fala na redenção de quem andava perdido e se reencontra em um novo amor. “Who Cares” questiona a atitude de quem se ocupa em ferir os outros com comentários maldosos: “Who cares what the idiots say?” (“Quem se importa como que os idiotas dizem?”), desabafa Paul. “Fuh You” tem uma pegada soul com um coro típico do gospel norte-americano. A letra de “Confidante” é uma declaração de amor ao violão, instrumento que não raras vezes foi tratado pelos compositores como um confidente. O manifesto pacifista, “People Want Peace”, traz novamente ao repertório de Paul, o tema que sempre lhe foi tão caro. O romantismo de McCartney Single_Back_in_Brazil_Paul_McCartneyreaparece em “Hand In Hand” e “Dominoes”. O canto de pássaros introduz “Back In Brazil”, que foi inspirada na música brasileira e começou a ser escrita numa de suas passagens por aqui. A música ganhou um clipe gravado em Salvador (com direção de Charlie Lightening, e produção executiva do fotógrafo Marcos Hermes, referência da fotografia de música no Brasil) e inclui imagens de sua apresentação no estádio Fonte Nova, em 2017. O cravo é o principal condutor de “Do It Know” que também tem a esperança como tema. “Caesar Rock” foi criada através de uma improvisação no estúdio e faz um trocadinho com “She’s a rock” (“ela é uma rocha”). “Despite Repeated Warnings” retoma a ideia de maratona de Paul, com partes bastante distintas, iniciada como uma balada, ele torna-se um rock em sua segunda parte. A letra trata de pessoas que negam a mudança climática, e segundo Paul, é endereçada a Donald Trump. Mas, ele lembra que infelizmente, ele não é o único, e que têm muitos deles por aí. A vinheta “Station II” introduz o medley “Hunt You Down/Naked/C-Link”, encerra o álbum. “Get Started” e “Nothing For Free” saíram na versão “Target”. A “Traveller’s Edition”, caixa cuja embalagem é uma mala, traz: as inéditas “Frank Sinatra’s Party” e “Sixty Second Street”; “Who Cares (Full Length), “Come On To Me (Live At Abbey Road Studios)”, “Fuh You (Live At Cavern Club)”, “Confidante “Live At LIPA)” e “Who Cares (Live At Grand Central Station)”. Além de uma edição em vinil duplo e outra em cassete, postais, pôsteres, cópias de letras escritas à mão por Paul, duas litografias de suas pinturas, mapas, um quebra-cabeça, entre outros itens. O título e a capa têm base numa pintura de McCartneyEgypt_Station_Travellers_Edition_Paul_McCarteney de 1988.

Um esquema de divulgação especial foi montado para o lançamento de “Egypt Station”. Fotos enigmáticas foram postadas nas redes sociais de Paul na internet e no dia 10 de junho o conteúdo de sua página no Instagram foi totalmente removido. No dia de seu aniversário (18/06) foi anunciado o lançamento do álbum e do primeiro single, um duplo lado A com “I Don’t Know” e “Come On To Me” que saiu dois dias depois. “Get Enough”, outro single seria lançado em dezembro. Como parte da divulgação, Paul participou dos programas: “Carpool Karaoke” no "The Late Late Show” com James Corden em Liverpool; e do “Tonight Show” de Jimmy Fallon, nos EUA. Paul fez um show-surpresa no Liverpool’s Philharmonic Dining Rooms. Ele repetiu a ideia das apresentações surpresa no estúdio Abbey Road que transmitido pelo Spotify, no Cavern Egypt_Station_cartaz_Paul_McCartneyClub e na Grand Central Station em Nova York com transmissão ao vivo pelo YouTube.

Freshen Up Tour...
O show realizado em Québec, no Canadá, em 17 de setembro deu início à “Freshen Up Tour”. “Who Cares”, “Come On To Me”, “Fuh You” e “From Me To You” entraram no “setlist”. Depois de uma pausa no final de 2018, a turnê retornou em março desse ano, com shows no Chile e na Argentina e chega ao Brasil. A banda que já toca com Paul desde 2002, foi acrescida de um naipe de metais dando um novo colorido à sua sonoridade.  No show de Londres, em 16 de dezembro, Ringo e Ronnie Wood se juntaram à banda no bis e tocaram “Get Back”. Na mesma apresentação, “Wonderful Christmastime” teve participação do coral Capital Children’s Choir.

Novas estações...
Na música, “That Was Me”, ele relembra momentos de sua vida desde a infância à fama, e embora lhe pareça estranho, ele sabe que o menino escoteiro, o estudante promissor, o baixista daquela famosa banda dos anos 1960 que tocou em porões e na TV, é o mesmo Paul que “está aqui agora” e segue incansável aos 76 anos de idade, nessa estrada longa e sinuosa. É com essa energia que ele chega ao Brasil essa semana com a “Freshen Up Tour”. - Robert Moura.


LEIA AS OUTRAS PARTES DESSE DOSSIÊ EM:  http://portalrockpress.com.br/dossies

ROBERT MOURA - É natural de Belo Horizonte. Bacharel em Música (UEMG) e Mestrando em Artes (UEMG). Professor na Alaúde Escola de Música. Tocou guitarra em bandas de Rock na capital mineira. Atualmente seu trabalho está focado no violão clássico e trilhas para teatro.

Rock Press

Comments