PAUL McCARTNEY – De 1961 à 1966 - O fenômeno da Beatlemania

Paul McCartney desembarca com a Freshen Up Tour em março no Brasil. Promovendo o álbum Egypt Station, Paul_McCartney_dossiê_1961_à_1966lançado ano passado. Os shows têm datas agendadas para São Paulo (dias 26 e 27/3) e Curitiba (30/3). Rock Press dá seguimento ao dossiê em sete capítulos sobre a vida e obra de Paul. Neste segundo capítulo, iniciamos a Beatlemania, abordando a fase de Paul junto aos Beatles, entre os anos 1961 e 1966.

DOSSIÊ: PAUL McCARTNEY – THE LONG AND WINDING ROAD
CAPÍTULO 2: De 1961 à 1966 - Parte 1: A Beatlemania. 
TEXTO: Robert Moura – FOTOS: Divulgação

paul_mccartney_freshen_up_no_brasil

Uma coisa que costuma chamar a atenção de quem assiste a um show de Paul McCartney é a energia com a qual ele se apresenta durante três horas de espetáculo. Na Freshen Up Tour, seu setlist mantém esse padrão com cerca de 40 músicas. Os ingressos para a apresentação no Allianz Park em São Paulo no dia 26 de março estão esgotados. Mas, é possível comprar para o show extra que será realizado no dia 27, e para a apresentação no Estádio Couto Pereira em Curitiba que acontece dia 30. Os ingressos estão à venda em: https://bit.ly/2Danf47. E nós seguimos na espera com o segundo capítulo do dossiê. “Well, gather ‘round people, let me tell you the story!!!”

Os Beatles têm um novo baixista...                                                                   
Em abril de 1961, os Beatles voltariam a Hamburgo para tocar no Top Ten Club. Stu Stucliffe decide deixar a banda para viver na Alemanha com Astrid Kirchherr de quem se tornara noivo. Ele vinha protelando essa atitude há algum tempo, pois havia se dado conta que música não era a sua. Paul, que eventualmente tocava piano e bateria nas apresentações, passou a ser novo baixista. A princípio, ele não queria assumir o instrumento, mas com as recusas de John e George, acabou cedendo. Prestativo, Stu emprestou seu baixo a Paul até que ele comprasse um. Sua escolha pelo baixo Höfner, cujo modelo imitava o corpo de um violino, se deveu ao fato da fábrica oferecer opção para canhoto, e o preço em conta. A banda seguiria como um quarteto.
 
Tony Sheridan e a gravação de “My Bonnie”...                                             
Tony_Sheridan_and_The_Beat_Brothers_Single_My_Bonnie_1961Durante a estadia em Hamburgo surgiu um convite para os Beatles acompanharem o cantor Tony Sheridan na gravação do single “My Bonnie”, uma canção anônima com arranjo do próprio cantor. Nas sessões foram gravadas sete canções, entre elas, duas sem a participação de Tony: um cover de “Ain´t She Sweet” com John fazendo a voz principal e a instrumental “Cry For A Shadow” de autoria de George Harrison e John Lennon. Lançado pela Polydor, o compacto de “My Bonnie” teve repercussão razoável nas paradas alemãs e foi creditado a Tony Sheridan e os Beat Brothers que era o nome da banda que costumava acompanhá-lo. (Outro detalhe para a troca do nome: a palavra "beatles" em alemão tinha pronúncia próxima da palavra “pidels” que soava como “peedles” e significa pênis).
 
Cavern Club...
De volta à Liverpool, os Beatles passaram a tocar nas sessões de meio-dia no Cavern Club, a convite do DJ Bob Wooler. O Cavern era um clube de jazz, mas como a adesão ao rock foi bem sucedida, o local mudaria seu estilo e os Beatles viraram atração regular. Entre 1961 e 1963, eles tocariam 275 vezes no local. A banda ganhava popularidade na cidade, e Bill Harry, amigo de escola de John, destacá-los em seu jornalzinho musical, Mersey Beat.
 
A namorada Dot Rhone...
Entre 1959 e 1961, Paul namorou seriamente com Dorothy Rhone, ou simplesmente, Dot. Como a discrição sempre foi uma das características de Paul, pouca gente sabia do enlace. Em 1961, Dot engravidou. Ela não teve apoio em casa, porém, Jim McCartney se encantou com a ideia de se tornar avô a acolheu e recomendou ao filho que fizesse o certo: se casar. Paul até já havia presenteado Dot com uma aliança de noivado anteriormente, quando ela e a namorada de John, Cynthia Powell (futura esposa e mãe de seu filho, Julian), visitaram os rapazes em Hamburgo. Lamentavelmente, Dot sofreu um aborto natural aos três meses de gestação. Pouco depois, o namoro findaria.

Brian Epstein, o empresário...                                 
Brian Epstein_e_BeatlesBrian Epstein era descendente de uma família judia cujo avô fizera fortuna em Liverpool, inicialmente com uma loja de móveis e depois com a NEMS (North End Music Stores), loja de equipamentos musicais. Brian tornou-se administrador da NEMS, que cresceria com a venda de discos. Ele tomou conhecimento dos Beatles no final de 1961, através do jornal Mersey Beat. Beatles_in_Mersey_BeatEm um encontro com Bill Harry (editor do jornal e amigo de John), Brian perguntou sobre a banda que estampava a capa da edição cuja manchete dizia “Beatles assinam contrato de gravação”. Além de negociar com Bill, uma coluna no jornal que ele passaria a assinar sobre lançamentos fonográficos, Brian também encomendou à Polydor uma caixa do disco “My Bonnie”. Ao saber que eles tocavam no Cavern Club, Brian resolveu ir lá conhecê-los. Empolgado com o que viu, compareceu a todas as apresentações deles no Cavern por três semanas. Um interesse surpreendente para ele que tinha interesse na música em geral, sobretudo, a música clássica, mas detestava Rock’n’Roll.

Depois de uma reunião com os Beatles, Brian passou a empresariar a banda, atividade à qual nunca havia se dedicado. A postura pouco profissional dos Beatles, que bebiam, fumavam e falavam palavrões no palco, não agradava a Brian que procurou discipliná-los. Ele seria, ainda, o responsável por mudar o visual rebelde do grupo com roupas de couro adotadas em Hamburgo para os comportados terninhos. Paul se tornou aliado de Brian nessa questão, pois seus anseios pelo sucesso e admiração pelo estilo do empresário convergiam. Do outro lado, John se revoltava a cada nova concessão.

O teste para a Decca Records...  
Uma das primeiras realizações de Brian Epstein foi conseguir uma audição para os Beatles na Decca Records em Londres. Durante o teste, realizado no dia primeiro de janeiro de 1962, eles tocaram quinze canções de seu repertório, entre elas covers como “Three Cool Cats”,“Searchin” “The Sheik Of Araby”, além das canções originais de Lennon e McCartney: “Like Dreamers Do”, “Hello Little Girl” e “Love Of The Loved”. Acostumados com a energia trocada com o público, eles estranharam o clima frio do estúdio (sem contar o fato que tiveram uma viagem bem cansativa na noite anterior), e não fizeram uma de suas melhores performances. A banda foi dispensada. A Decca assinou com Brian Poole and The Tremeloes que realizou um teste no mesmo dia dos Beatles. Também foi considerado que por serem de Londres, os Tremeloes renderiam menos gastos com transporte. Consta que um dos executivos da gravadora afirmou que “bandas com guitarras estão fora de moda”, mas, isso pode ter sido apenas para amenizar educadamente os motivos da dispensa. Chateados com a recusa, voltaram para Hamburgo para uma temporada de sete semanas no Star Club. Ao desembarcarem no aeroporto de Hamburgo, encontraram Astrid Kirchherr sozinha e desolada que lhes deu a notícia que Stu havia falecido no dia anterior devido a uma hemorragia cerebral.
 
Um novo George: Martin, o produtor. E um novo baterista: Ringo Starr!... 
Foi somente na Parlophone, selo pertencente à gravadora EMI que os Beatles conseguiram chamar a atenção de um produtor: George_Martin_e_os_BeatlesGeorge Martin. De formação clássica, Martin era oboísta e maestro. Ele havia assumido a linha pop do selo, se interessou e quis gravar um single com a banda. No entanto, o baterista não havia o agradado e Martin propôs substituí-lo para a gravação. Não houve resistência por parte de John, Paul e George, pois, embora gostassem de Pete Best como pessoa, nunca haviam se empolgado com ele na banda. Assim, eles aproveitaram para tirá-lo de vez do grupo e chamaram um velho amigo de Liverpool com quem haviam tocado antes em Hamburgo e que já vinham desejando: Ringo Starr. Ele tocava com o Rory & the Hurricanes e também já havia acompanhado Tony Sheridan, e considerado um dos melhores bateristas de Liverpool. Como parte do combinado para sua entrada na banda, Ringo teve que raspar a barba e adotar o penteado usado pelos Beatles. A estreia do novo baterista foi polêmica. Acostumados com Pete Best, boa parte dos fãs que frequentavam o Cavern se manifestou no início do show aos gritos de “Pete forever, Ringo never!” (“Pete para sempre! Ringo nunca!”). Eles chegaram a sofrer agressão física por parte de fãs, que, inclusive deixaram George com um olho roxo. Mas, logo, a musicalidade e simpatia de Ringo conquistariam o público.
 
O primeiro compacto: “Love Me Do”/“P.S. I Love You”...
Beatles_Single_Love_Me_DoEm setembro, eles entrariam no estúdio 2 da Abbey Road para gravar seu primeiro compacto. Como as músicas apresentadas pelos Beatles não agradaram a George Martin, ele sugeriu à banda gravar a música “How Do You Do It?” de Mitch Murray. Eles resistiram, pois queriam gravar composições próprias. Depois de alguma relutância de Martin, as canções de Paul e John, “Love Me Do”e “P.S. I Love You” foram as eleitas. De início, até por não saber que trariam um novo baterista, o produtor queria que o músico de estúdio, Andy White tocasse a bateria na gravação. Assim, depois de gravar uma versão de “Love Me Do” com Ringo, uma nova sessão foi feita com Andy na bateria e Ringo tocando uma pandeirola. (Anteriormente, eles chegaram a realizar uma gravação com Pete Best na bateria, logo descartada por George Martin). Martin terminou optando pela versão com Ringo na bateria. Porém, o lado B, “P.S. I Love You” ficou com Andy na bateria e Ringo tocando maracas. “Love Me Do” alcançou o 17º lugar na parada de compactos mais vendidos da Billboard. (A música “How Do You Do It?” foi gravada por Gerry & the Pacemakers também produzido por Martin e empresariado por Brian Epstein, reproduzindo o arranjo criado pelos Beatles. A canção alcançou a primeira posição nas paradas).

No final de 1962, nova (e última) excursão para Hamburgo e na volta gravaram seu segundo single. John e Paul já haviam mostrado a música “Please Please Me” para Martin. Originalmente ela era bem lenta, e ele a achou um pouco monótona. No entanto, após acelerarem o andamento, ela soou satisfatória. Para o lado B, “outro de Lennon e McCartney”: “Ask Me Why”. O disco alcançou o primeiro lugar nas paradas das revistas New Music Express e Melody Maker.

O primeiro LP...                                                                  
Beatles_Please_Please_MeO sucesso do single “Please Please Me” abriu o caminho para que eles gravassem seu primeiro LP que ganhou título homônimo à canção. Gravado em cerca de doze horas, o repertório, que incluía as quatro canções lançadas previamente, foi completado com mais quatro canções de Lennon e McCartney e seis covers. O disco abria com o rock arrasador “I Saw Her Standing There” com Paul fazendo o solo vocal, e fechava de forma igual com John cantando a primeira voz de “Twist and Shout”. A prática utilizada nos shows de revezarem os vocais principais entre os integrantes seria mantida com Paul e John compondo “Do You Want To Know A Secret” para George cantar, e Ringo fazendo o vocal na regravação de “Boys”, hit do grupo vocal feminino The Shirelles. O LP permaneceu no primeiro lugar das paradas por trinta semanas.
 
Dick James e a Northern Songs…                                                                    
Paul e John resolveram firmar a parceria com um acordo que faria com que sempre assinassem suas canções em dupla. E de fato, por um bom tempo eles manteriam essa prática, sempre com um opinando o que o outro começava e dando alguma contribuição (embora, John tenha dito que apenas as composições na época da Forthlin Road fossem verdadeiras parcerias, suas músicas só teriam mesmo um caráter totalmente individual a partir de 1968). Para administrar os direitos autorais canções, John e Paul assinaram contrato com Dick James, por intermédio de Brian Epstein que foi conquistado por Dick ao conseguir uma apresentação para a banda no programa de TV Thank Your Lucky Stars. Dono da Dick James Music, e ainda novo no ramo, ele propôs montarem uma empresa separada para cuidar exclusivamente da obra de Lennon e McCartney. Surgia assim a Northern Songs. Conforme o acordo, Dick receberia 25% das cotas, Charles Silver, o contador e seu sócio outros 25%, com John e Paul ficando com 20% cada e Brian com 10%.

Lennon e McCartney também comporiam para outros artistas empresariados pela NEMS e produzidos por Martin. Assim, Billy J. Krammer and The Dakotas gravaria “I’ll Be On My Way”, “Bad To Me”, “I’ll Kepp You Satisfied” e “From A Window”; a banda The Fourmost, “Hello Little Girl” e “I’m In Love”; a cantora Cilla Black, “Love Of The Loved”, “It´s For You” e “Step Inside Love”; Gerry And The Peacemakers, “Hello Little Girl”; e Tommy Quickly, “Tip Of My Tongue”. Com o crescente sucesso, eles começaram a participar de programas de rádio e televisão, e fariam uma série de excursões. Neil Aspinall que acumulara à função de motorista às de assistente pessoal e roadie da banda passou a contar com Mal Evans que fora contratado para ajudá-lo com o equipamento.

A Beatlemania...
Beatles_Single_She_Loves_YouOs dois compactos seguintes “From Me To You”/ “Thank You Girl” “She Loves You”/”I´ll Get You” também conquistariam o primeiro lugar. Inacreditavelmente, em setembro, junto com o compacto de “She Loves You”, eles estariam ocupando o primeiro lugar com o LP “Please Please Me” e também com o EP “Twist and Shout”. Em outubro, os Beatles participaram do programa de TV, Val Parney´s Sunday Night At The London Palladium, alcançando a audiência de quinze milhões de espectadores. No dia seguinte, eles estamparam a capa de todos os jornais londrinos. O Daily Mirror usou o termo “Beatlemania” para descrever o alvoroço causado pela apresentação da banda na plateia e nas pessoas que se concentraram do lado de fora do teatro que sem terem como entrar, esperavam apenas ver os Beatles. Outra aparição importante foi no Royal Variety Show. O evento era uma tradicional festa de caridade com a presença da família real. Os Beatles_e_a_Rainha_ElizabethBeatles tocaram: “From Me To You”, “She Loves You”, “Til There Was You” e “Twist and Shout”, antes dessa, John pronunciou a famosa frase: “Os dos lugares mais baratos, por favor, aplaudam. E o resto de vocês podem apenas chacoalhar as jóias”, se dirigindo ao camarote real. A piada ousada de John conquistou o público, e também a Rainha Mãe que os cumprimentou após o show. Dias depois, o espetáculo foi transmitido pela TV. Foi nesse período que começaram a aparecer os “produtos beatles”. Roupas, materiais escolares, copos, bottons, e até perucas que imitavam seus cortes de cabelo eram comercializados por astutos empresários que perceberam um novo mercado. E a percepção foi confirmada com o lançamento do novo single, “I Want To Hold Your Hand”/“This Boy” que mais uma vez alcançou o primeiro lugar das paradas britânicas.
 
Jane Asher...                                                                                                  
Em abril de 1963, os Beatles foram jurados no programa de TV Juke Box Jury. A audiência do programa foi recorde. Uma das juradas foi a jovem atriz, Jane Asher com quem Paul viria a desenvolver um romance. Paul passaria a viver na casa da família de Jane, na Wimpole Street. Ele ocuparia a água-furtada da casa, um quartinho destinado aos serviçais que ele considerava mais confortável que o apartamento no qual ficava em Londres com os outros Beatles quando estavam na cidade ou suas redondezas. Richard, o pai de Jane era médico psiquiatra. Margaret, a mãe era professora de música, ela havia sido professora de oboé de George Martin, e ensinou Paul a tocar flauta doce. Aproveitando que a casa tinha uma salinha de música com um piano, o local passou a ser o novo ponto de encontro para Paul e John trabalharem suas composições. O irmão de Jane, Peter também era ator. Ele formaria uma dupla com Gordon Waller, que, inclusive, gravou canções de Paul e John escritas especialmente para eles, “World Without Love”, “Nobody I Know” e “Woman”, sendo que essa última foi assinada com o pseudônimo de Bernard Webb por ideia de Paul para testar como seria a recepção no mercado de uma música sem a assinatura Lennon/McCartney. E ela chegou às paradas, mesmo não sendo dos seus melhores trabalhos.

O relacionamento com Jane fez com que Paul passasse a conviver com a vanguarda da classe artística da Swinging London. Jane o apresentou a vários profissionais do teatro e do cinema. Eles frequentavam os restaurantes e boates da moda e curtiam intensamente a vida noturna da cidade. Em 1965, Paul deixaria a residência dos Asher e se mudaria para uma casa na Cavendish Avenue em St. John’ Wood. O namoro evoluiu para um noivado, mas eles terminariam o relacionamento antes do matrimônio.
 
With The Beatles... 
Beatles_with_the_beatles_no_Brasil_BeatlemaniaO segundo LP dos Beatles, “With The Beatles”, foi lançado em novembro com uma encomenda antecipada de 250 mil cópias, e se tornaria o primeiro álbum da história a ultrapassar a venda de um milhão de cópias. Eles insistiram para que as canções lançadas anteriormente nos compactos não fossem incluídas no novo trabalho. O disco trazia mais um punhado de composições da dupla Lennon/McCartney como “It Won´t Be Long”, “All I’ve Got To Do”, “Little Child”, “Hold Me Tight”, “Not A Second Time”  e “I Wanna Be Your Man” (esta última cantada por Ringo, e também gravada pelos Rolling Stones). George apresentou sua “Don’t Bother Me”, começando a requisitar seu espaço como compositor na banda. “Till There Was You”, “Please Mr. Postman”, “Roll Over Beethoven”, “You Really Got A Hold On Me”, “Devil In Her Heart”, e “Money” foram os covers selecionados para o disco. John comandaria a maior parte dos vocais, mas “All My Loving” foi o maior sucesso do disco, com vocal de Paul, e uma marcante linha de baixo, ao estilo walking bass que começava a esboçar o legado que ele deixaria para o instrumento no rock. A capa trazia uma foto dos rapazes em preto e branco com um contraste que deixava metade de seus rostos à meia-luz criando um clima misterioso e elegante. O trabalho foi realizado por Robert Freeman, inspirada nas fotos que Astrid Kirchherr havia feito com eles em Hamburgo. A arte dessa capa seria uma das mais imitadas da indústria discográfica, bem como outras dos Beatles. Eles fecharam o ano de 1963 com o “The Beatles’ Christmas Show”, um espetáculo idealizado por Brian Epstein, com 10 noites de apresentações, no qual além de tocar, os Beatles realizavam alguns sketches no palco. As apresentações também contavam com artistas convidados como Cilla Black, The Fourmost e Billy J. Kramer and The Dakotas.

O ano de 1964 seria extremamente produtivo para a banda. Em fevereiro, em turnê pela França, eles gravaram versões em alemão das músicas “I Wanna Hold Your Hand” e “She Loves You” que viraram, respectivamente, “Komm, Gib Mir Deine Hand” e “Sie Liebt Dich”. A Odeon Records, filial da EMI na Alemanha acreditava que, assim, eles fariam mais sucesso no país.
 
Os Beatles conquistam os EUA...
Beatles_Introducing_The_Beatles_LP_EUASe os Beatles haviam conquistado a Inglaterra, por que não seria possível fazer o mesmo com a Nova Inglaterra? A banda vinha excursionando com sucessos por diversos países da Europa, mas até então, a Capitol, gravadora subsidiária americana da EMI, vinha ignorando-os. Os singles “Please Please Me” e “She Loves You” haviam sido lançados nos Estados Unidos pelos selos pequenos Vee-Jay e Swan Records, assim como o primeiro LP renomeado como “Introducing...The Beatles”. No entanto, o crescente sucesso da banda na Inglaterra fez com que se atentassem e lançassem o single “I Want To Hold Your Hand” (com “I Saw Her Standing In There” no lado B), e o LP “Meet The Beatles”, com um repertório que misturava canções dos dois primeiros LPs ingleses e dos singles lançados anteriormente. Ambos se tornaram primeiro lugar nas paradas americanas.

Surpreendido com a popularidade dos Beatles ao ver o movimento que eles causaram no aeroporto em Londres, Ed Sullivan, Coletiva_de_imprensa_dos_Beatles_na_chegada_aos_EUA_no_Aeroporto_JFK_em_1964apresentador do programa de maior audiência da TV dos Estados Unidos, os contratou para se apresentarem em seu programa. Ficaram combinadas duas apresentações ao vivo e uma que seria gravada para futura exibição. O desembarque da banda no país em janeiro de 1964 foi apoteótico, uma multidão os aguardava no Aeroporto J. F. K., em Nova York. Desde uma improvisada e divertida coletiva no aeroporto, a banda conquistaria a imprensa norte-americana. Setenta e quatro milhões de pessoas assistiram a apresentação deles no Ed Sullivan Show, batendo um recorde de audiência. Uma estatística deu conta de que durante os minutos em que os Beatles estiveram no ar, os crimes cometidos por jovens caíram, sendo registrados apenas 3% do que era regular naquele período. Eles se apresentaram no Coliseum em Washington e fizeram duas sessões na mesma noite no Carnegie Hall, todas com ingressos esgotados. Em agosto, retornaram aos EUA com uma turnê de três semanas pelo país (e foi estendida com uma passagem por Vancouver, Toronto e Montreal no Canadá) confirmando as boas primeiras impressões causadas por eles, com 31 apresentações em 25 dias. (Durante a turnê, os Beatles receberiam a visita de Bob Dylan no Hotel Delmonico. Eles já admiravam Dylan por seu disco Freewheelin’, e a influência de Dylan sobre a banda não seria apenas musical: durante aquela visita, Dylan apresentou a maconha aos Beatles que nunca a haviam experimentado).
 
A Hard Day´s Night…                                                                                 
A_Hard_Days_Night_cartaz_do_filmeCom o sucesso crescente, surgiam todos os tipos de convite para a banda, e um caminho comum era o cinema. Dirigido por Richard Lester e com roteiro de Alun Owen, “A Hard Day’s Night”  foi o primeiro longa-metragem protagonizado pelos Beatles. O enredo baseava-se em dois dias da vida da banda que terminaria com uma apresentação na TV. O filme, que se tornou sucesso de público e recebeu as bênçãos da crítica, tem importante papel no que viria a ser os videoclipes. O mote para o título do filme veio de uma frase gramaticalmente errada proferida por Ringo, após um dia cansativo, o baterista disse “It´s been a hard day´s night” (“essa é a noite de um dia duro”). Paul e John captaram imediatamente a graça da frase e desenvolveriam a canção com esse tema. (No Brasil, o filme foi chamado de “Os Reis do Iê-Iê-Iê” perdendo a sua originalidade).

Beatles_A_Hard_Days_Night_e_Os_Reis_do_Ié_Ié_IéAs músicas, “A Hard Day’s Night” (que abria o disco e o filme com um tonitruante acorde inicial, digno de uma sinfonia de Beethoven), “I Should Have Known Better”, “If I Fell”, “I’m Happy Just To Dance With You” (outra de John e Paul feita especialmente para George cantar), “And I Love Her”, “Tell Me Why” e “Can’t Buy Me Love” (composta por Paul, e lançada anteriormente como single, tendo a música “You Can’t Do That” como lado B),Beatles_Single_Can't_Buy_Me_Love que fizeram parte da trilha ficaram no lado A do LP. E o lado B trazia: “Any Time At All”, “I´ll Cry Instead”, “Things We Said Today”, “When I Get Home”, “You Can´t Do That” e “I’ll Be Back”. Este seria o primeiro álbum totalmente autoral da banda. Em junho, eles lançaram um EP que era praticamente um mini-tributo ao Rock’n’Roll com “Long Tall Sally” de Little Richards, “Matchbox” de Carl Perkins, “Slow Down” de Larry Williams e “I Call Your Name” de John e Paul. Devido à internação de Ringo para uma cirurgia na qual retirou as amígdalas, o baterista Jimmy Nicol, o substituiu tocando com os Beatles durante a turnê pela Dinamarca, Holanda, Hong Kong, Austrália e Nova Zelândia.
 
Beatles For Sale...                                                                                               
Beatles_For_SaleA banda terminou o ano de 1964 com o lançamento do disco, “Beatles For Sale”. Gravado um tanto quanto às pressas para aproveitar as vendas de Natal, eles iriam recorrer aos covers dos velhos tempos para completar o álbum, que trazia oito canções originais. Uma semana antes, eles haviam lançado o compacto “I Feel Fine”/“She´s A Woman”, outro Top 1. Destacaram-se as canções, “Baby´s In Black” (que faria parteBeatles_Ensaio_capa_do_disco_For_Sale constantemente do repertório dos shows), e “Eight Days A Week” (o maior sucesso do disco). De suas canções prediletas, John cantou “Rock And Roll Music” de Chuck Berry, Paul “Kansas City/”Hey, Hey, Hey, Hey” (medley baseado no arranjo de Little Richard), George se encarregou de “Everybody’s Trying To Be My Baby”, e Ringo de “Honey Don’t”, ambas de Carl Perkins. Da lavra Lennon/McCartney também eram “No Reply”, “I’m A Loser”,I’ll Follow The Sun”, “Every Little Thing”, “I Don’t Want To Spoil The Party” “What You’re Doing”. As releituras de “Mr. Moonlight” de Dr. Fellgood and The Interns, “Words Of Love” de Buddy Holly completavam o disco. A banda ainda fez nova temporada do “Beatles Christmas Show”, no Hammersmith Odeon em Londres.
 
Help!...                                                                                                       
Beatles_Help_CapasInicialmente intitulado “Eight Arms To Hold You”, o segundo filme dos Beatles, acabou se chamando “Help!”. A história, que tinha inspiração nos filmes de James Bond, girava em torno de um anel que deveria levar ao sacrifício quem o usasse. E, no filme, este era Ringo. Dirigido, mais uma vez, por Richard Lester, apesar do sucesso comercial, o filme não agradou à crítica, nem aos próprios Beatles. Além de não gostarem do roteiro, durante as filmagens eles estavam mais envolvidos com a maconha do que com o filme em si. O uso descontrolado da marijuana os deixava quase sempre sem condições de filmarem no período da tarde, uma vez que o seu consumo começava já no café da manhã. Ringo que havia sido o destaque em “A Hard Day’s Night” foi mais uma vez o beatle que melhor se saiu no filme.

Apesar da repercussão não muito boa do filme, uma trilha sonora dos Beatles nunca falhava. John apresentaria, além da faixa-título, Beatles_Cartaz_do_Filme_Helpa dylanesca “You’ve Got To Hide Your Love Away” e “You´re Going To Lose That Girl”. Paul responderia com “The Night Before” e “Another Girl”. Juntos eles cantariam “Ticket To Ride” (também lançada como single tendo a música “Yes It Is” como lado B). Uma das parcerias que Paul costumava chamar de “muito mesmo” (ou seja, aquelas em que ele e John tiveram participação praticamente igual na composição), ela apresentaria uma sonoridade inovadora, desde a introdução da guitarra, a levada da bateria e a mudança súbita de ritmo no final. George traria “I Need You”, nova faixa de sua autoria. O lado B do disco continha canções que não figuravam na trilha: “Act Naturally”, de Buck Owens, tinha os vocais de Ringo (John e Paul fizeram “If You’ve Got Trouble” para Ringo, mas, não gostaram dos resultados e ela foi abandonada). John conduziu “It´s Only Love”, “Tell Me What You See” e “Dizzy Miss Lizzy” de Larry Williams. George também trouxe, “You Like Me Too Much” indicando que os Beatles definitivamente tinham um novo compositor. E Paul, além de “I´ve Just Seen A Face”, gravou a primeira canção solo de um beatle, “Yesterday”. Como ele, foi o único beatle a participar da faixa, que conta com a participação de um quarteto de cordas com arranjo escrito por George Martin, se cogitou mesmo lançá-la como um compacto solo de Paul McCartney. Composta depois de Paul ter sonhado com sua melodia, “Yesterday” se tornaria a música mais regravada da história, chegando a mais de três mil versões. Como a criatividade deles parecia não ter fim, o single de “Help!”, trazia uma nova canção da dupla Lennon/McCartney, “I’m Down”. Ela foi composta por Paul no estilo de Little Richard com a função de substituir “Long Tall Sally” no encerramento dos shows.

Beatles_Live_Shea_Stadium_1965Em 1965, os Beatles fizeram sua segunda turnê norte-americana. Apesar de mais curta (duas semanas com 16 shows em 10 cidades) causaram o mesmo alvoroço da excursão anterior tocando em arenas maiores. Entre eles, realizariam um show histórico no Shea Stadium no dia 15 de agosto batendo o recorde de público sendo assistidos por 55,600 pessoas. Uma semana depois, os rapazes de Liverpool realizaram um de seus sonhos: conhecer Elvis Presley. O encontro aconteceu na casa de Elvis, em Hollywood. Depois de algum nervosismo, eles acabaram relaxando e John teria, inclusive, realizado uma jam session, durante a qual Elvis tocou o baixo.

No dia 26 de outubro, eles se tornam Membros da Mais Excelente Ordem do Império Britânico (M.B.E.). A condecoração causou polêmica, uma vez que houve quem não achasse os Beatles dignos da honraria (na verdade, o menor dos cinco títulos concedidos pela Coroa Inglesa). Anos depois, John Lennon devolveria sua medalha em protesto contra a participação da Inglaterra na Guerra do Vietnã.

Nesse mesmo ano, os Beatles experimentariam LSD. Primeiro, George e John, de forma involuntária. Após um jantar na casa de um dentista que eles conheciam, o anfitrião inseriu o alucinógeno em seus cafés sem que eles vissem. Na época o ácido lisérgico não era ilegal, e podia ser comprado como um medicamento. Somente mais tarde lhes foi revelado que haviam ingerido LSD. Classificando a experiência como assustadora, mas fantástica, eles trataram de aplicar a novidade nos outros companheiros de banda. Paul demorou um ano e meio, e foi o último a experimentar. Sempre cauteloso com relação ao uso de drogas, ele temia pelos resultados que o uso do LSD pudesse gerar. Porém, ele causaria polêmica, inclusive com os companheiros, ao admitir numa entrevista que havia feito uso do alucinógeno.
 
Rubber Soul... 
Beatles_Rubber_SoulFechando o ano de 1965, os Beatles lançariam “Rubber Soul”, um disco que começava a mostrar uma mudança maior no direcionamento da banda dando início à experimentações mais ousadas com as primeiras pitadas de psicodelismo. “Drive My Car” abre o disco e tem mais uma das interessantes linhas de baixo de Paul. Em “Norwegian Wood”, George usaria uma cítara pela primeira vez numa música pop, instrumento pelo qual se apaixonou após ouvir o indiano Ravi Shankar. “Nowhere Man” apresentava um belo arranjo a três vozes feito por John, Paul e George. De autoria de George eram “If I Needed Someone” e “Think For Yourself”, na qual Paul gravou o baixo com um pedal de fuzz (efeito de distorção, usado basicamente na guitarra até então). “Michelle”, outra canção “mais de Paul”, é uma de suas grandes baladas, à qual John responde com “Girl”. Em “What Goes On”, Ringo canta e surge pela primeira vez como compositor em parceria com John e Paul que seguindo com a ascendente qualidade, ainda, fizeram “In My Life” (balada nostálgica de John que seguia sua linha de letras mais existenciais e confessionais), “You Won’t See Me”, “The Word”, “I´m Looking Through You”, “Wait” e “Run For Your Life”. Incansáveis, no mesmo dia em que foi lançado o LP “Rubber Soul”, eles colocariam no mercado o single “We Can Work It Out”/“Day Tripper” considerado como tendo dois “lados A”. Os últimos lançamentos mostravam o desenvolvimento musical dos Beatles, inclusive a experimentação dos recursos de estúdio sempre com o apoio e interesse de George Martin que não poupava esforços na tentativa de atingir os desejos musicais da banda, além de ele mesmo sugerir várias ideias que seriam usadas nas gravações.

Revolver...
Beatles_RevolverPela primeira vez uma canção de George Harrison abre um disco dos Beatles, “Taxman” (com o solo de guitarra executado por Paul). George também compôs “Love You To” (desenvolvendo sua influência da música indiana) e “I Want To Tell You”. A épica, “Eleanor Rigby” de Paul, com uma letra muito bem construída, tem ele no vocal principal com John e George nos backings, acompanhados apenas por um octeto de cordas. Paul apresentaria mais uma de suas baladas perfeitas, “Here, There And Everywhere”. Ringo canta a música se tornou o maior sucesso dos Beatles em sua voz, “Yellow Submarine”. “I’m Only Sleeping” trazia mais uma inovação: durante a sessão de estúdio, acidentalmente o técnico colocou a fita com o solo de guitarra gravado por George ao contrário, e ao ouvir o som resultante, os Beatles resolveram incluir assim mesmo. “For No One” é uma balada “mais Paul”, com acompanhamento feito por um cravo e um solo de trompa, mais uma inovação no universo rock. O álbum se completava com “She Said She Said”, “And Your Bird Can Sing”, “Doctor Robert” “Tomorrow Never Knows”, canções que eram “mais de John”;“Good Day Sunshine” e a empolgante “Got To Get Into My Life” (com inspiração na soul music e um vibrante naipe de metais) que eram mais de Paul. A capa foi criada pelo amigo de Hamburgo, Klaus Voorman. Beatles_As_duas_Capas_de_Yesterday_and_Today(Nos EUA foi lançado o LP “Yesterday and Today” com músicas extraídas de “Revolver” e outros discos. Na foto da capa, feita por Robert Whitaker, os Beatles apareciam vestidos de açougueiros, segurando bonecas com as cabeças arrancadas e pedaços de carne. Alguns teriam visto na foto, um manifesto contra a guerra do Vietnã. No entanto, essa não foi a intenção de Whitaker, ele simplesmente quis fugir do padrão de fotos da banda. Considerada de mau gosto, a substituíram por uma capa “mais comportada”).

Dois meses antes de “Revolver”, foi lançado o single “Paperback Writer”/“Rain” que rendeu uma participação no programa Top Of The Pops. Porém, eles haviam decidido evitar participações nos programas de TV, e como solução para a divulgação das novas canções começaram a utilizar os chamados “videos promo” (vídeos que dariam origem aos videoclipes). Em dezembro foi lançada a primeira coletânea oficial da banda: “A Collection Of Beatles Oldies” que incluiu a música “Bad Boy”, cover de Larry Williams, lançada anteriormente no álbum americano, “Beatles VI”. Nesse ínterim, Paul, juntamente com George Martin, compôs a trilha sonora do filme “The Family Way” que lhes rendeu o prêmio Ivor Novello com a música “Love In Open Air”.
 
O fim das turnês...
Com arranjos mais elaborados, instrumentação extra e uso de efeitos de estúdio, as músicas foram se tornando cada vez mais difíceis de serem reproduzidas ao vivo, principalmente com a dificuldade deles se ouvirem por causa dos gritos da plateia e o sistema de som precário da época. Somando isso ao estresse provocado por contratempos como a passagem pelas Filipinas, quando quase foram linchados por não terem comparecido a uma festa da família real; e a polêmica criada pela frase de John, extraída de uma entrevista realizada na Inglaterra, em que ele dizia “que os Beatles eram mais populares que Jesus Cristo”, que foi citada totalmente fora de contexto e gerou uma revolta de religiosos do sul dos EUA que organizaram uma fogueira com seus discos, eles decidiram encerrar as turnês. No dia 29 de agosto de 1966, no Candlestick Park em São Francisco, eles fariam seu último concerto. – Robert Moura.
 
No próximo capítulo do dossiê: Paul, os Beatles e a segunda metade dos anos 1960! A revolução musical realizada pelos Fab Four e a conturbada separação da banda.

ROBERT MOURA - É natural de Belo Horizonte. Bacharel em Música (UEMG) e Mestrando em Artes (UEMG). Professor na Alaúde Escola de Música. Tocou guitarra em bandas de Rock na capital mineira. Atualmente seu trabalho está focado no violão clássico e trilhas para teatro.

Rock Press

Comentários