Ney Matogrosso -“Atento aos Sinais e em sintonia com o público” - RJ - 20/1/18

Um espetáculo literalmente “Atento aos Sinais” e em sintonia com o público, assim podemos definir a passagem da turnê “AtentoNey Matogrosso Atento aos Sinais 20 1 18 RJ Foto LARISSA FERREIRA aos Sinais” de Ney Matogrosso pelo Rio de Janeiro. O show que teve ingressos esgotados foi calcado em releituras de nomes novos e veteranos compositores, o que deu espaço para que Ney fosse livre para percorrer pelo rock, samba, bolero e até na batida funk, dando magnitude ao espetáculo.
 

Ney Matogrosso - Km de Vantagens Hall - RJ/RJ – 20/01/2018
“Atento aos Sinais - Um espetáculo em sintonia com o público” 
TEXTO: Daniele Rodrigues – FOTOS: Larissa Ferreira

Ney Matogrosso Atento aos Sinais 20 1 18 RJ Foto LARISSA FERREIRA

Ney Matogrosso Atento aos Sinais 20 1 18 RJ Foto LARISSA FERREIRAFlashes de luzes coloridas riscam o palco e a intensa “Rua da Passagem – Trânsito” abre o show, mostrando que a noite promete. Com o refrão “Todo mundo tem direito à vida / Todo mundo tem direito igual”, entoado por uma das figuras mais icônicas da música brasileira. Assim foi a abertura do show da turnê Atento aos Sinais, no Rio de Janeiro e prestes há completar cinco anos e que teve seu início em 2013. Dirigido pelo tecladista da banda, Sacha Amback, Atento aos Sinais traz um repertório que mescla músicas conhecidas e composições de artistas novos ou menos conhecidos do grande público, como Rafael Rocha e Dan Nakagawa e o alagoano Vitor Pirralho.

O que o público presenciou na casa de shows Km de Vantagens Hall, foi um espetáculo Ney Matogrosso Atento aos Sinais 20 1 18 RJ Foto LARISSA FERREIRAprimoroso. A presença do artista multifacetado ocupou cada espaço do ambiente. Sua voz imponente, de timbre raro, o típico olhar de rapina, fitando a plateia e a performance de um bailar vigoroso, Ney Matogrosso, com um figurino reluzente, assinado por ninguém menos que Ocimar Versolato, Milton cunha e Marta Reis, brilhou e agradou ao público, que magnetizado, correspondeu em total sintonia. Um set list eclético, rock, samba, bolero e até uma batida funk adicionada à música Beijos de Imã, serviu de objeto para que o cantor mostrasse toda sua versatilidade. Seja no bolero “Freguês da Meia Noite”, do rapper paulistano Criolo, na romântica “Isso Não Vai Ficar Assim”, a qual recebe beijos do público ou na “Tupi Fusão” (Vitor Pirralho) um mangue beat vertiginoso, Ney Matogrosso não poupa no vigor e na personalidade. 

Ney Matogrosso Atento aos Sinais 20 1 18 RJ Foto LARISSA FERREIRAUm sistema importado de iluminação completa a dramaticidade do espetáculo, se somando, em algumas músicas, às projeções ao fundo, como em “Two Naira Fifty Kobo” (Caetano Veloso) nas imagens, povos indígenas do Brasil e em “Vida Louca Vida” (Lobão e Bernardo Vilhena) com projeções de fotos da época do Secos e Molhados e outras já da carreira solo, na década de 70, inspirando a uma análise existencial, de que a vida já foi muito “louca”.
 
Ney vem acompanhado de uma banda composta por Sacha Amback (direção musical e teclado), Marcos Suzano e Ney Matogrosso Atento aos Sinais 20 1 18 RJ Foto LARISSA FERREIRAFelipe Roseno (percussão), Dunga (baixo), André Valle (guitarra), Aquiles Moraes (trompete) e Everson Moraes (trombone) promoveu releituras de músicas, adicionando metais, que deu um tom ainda mais vibrante às composições. Exemplo do tom arrojado dado a “Roendo as Unhas” (Paulinho da Viola).

O sucesso da turnê, sem dúvidas está nesse poder que Ney Matogrosso tem de dialogar com as mais variadas emoções do público. Nos tempos em que se fala tanto em crise criativa na música, um intérprete como ele evoca a sensação de brasilidade, de pertencimento a uma cultura diversa e valiosa. – Daniele Rodrigues.

Ney Matogrosso Atento aos Sinais 20 1 18 RJ Foto LARISSA FERREIRA

Set list - Ney Matogrosso - RJ/RJ – 20/01/2018
Ney Matogrosso Atento aos Sinais 20 1 18 RJ Foto LARISSA FERREIRA1. Rua da Passagem – trânsito (Arnaldo Antunes e Lenine)
2. Incêndio (Pedro Luís)
3. Vida louca vida (Lobão e Bernardo Vilhena)
4. Roendo as unhas (Paulinho da Viola)
5. Vida torta (Itamar Assunção)
6. A ilusão da casa (Vitor Ramil)
7. Two Naira Fifty Kobo (Caetano Veloso)
8. Freguês da meia noite (Criolo)
9. Isso não vai ficar assim (Ney Matogrosso)
10. Não consigo (Rafael Rocha)
11. Tupi Fusão (Vitor Pirralho)
12. Samba do Blackberry (Rafael Rocha e Alberto Continentino)
13. Todo mundo o tempo todo (Dan Kanagawa) 
Bis:
14.
Amor (Secos e Molhados - João Ricardo e João Apolinário)
15. Poema (Cazuza e Frejat)
16. Ex amor (Martinho da Vila)
17. Beijos de Imã (Jerry Espíndola, Alzira E, Arruda e Ney Matogrosso).


 

Portal Rock Press