Loreena McKennitt - A Musa Canadense no Rio! - 2/11/2018

Dizer que a espera foi longa e grande a ansiedade pelos cinco anos que separaram a primeira e a segunda vinda deLOREENA_MCKENNITT_NO_BRASIL_2018_RJ Loreena McKennitt ao Brasil é chover no molhado. O fato é que, não só pra quem não teve a oportunidade de assistir ao show de 2013, mas para todos os fãs brasileiros, essa foi a primeira vez que a cantora desembarcou por aqui com uma turnê que promove um álbum de inéditas, visto que o último foi "The Wind that Shakes the Barley", de 2010. Desta vez, Loreena e banda divulgam "Lost Souls", lançado em maio deste ano.

Loreena McKennitt  - A Musa Canadense no Rio!
Km de Vantagens Hall RJ - 2 de Novembro 2018
TEXTO: Jonildo Dacyony

A apresentação no Rio de Janeiro, em 02/11, foi a penúltima desta passagem pelo Brasil, sendo a última em Belo Horizonte, (04/11). Depois, McKennitt seguiu para Buenos Aires, Argentina, e Santiago, Chile, onde encerrou a turnê sul-americana. A expectativa em relação ao show na Cidade Maravilhosa se tornou ainda maior devido às informações sobre as duas apresentações em São Paulo em 30 e 31/10, incluindo dezenas de fotos feitas pelos fãs e divulgação do set list. Alguns fãs se diziam apreensivos, pois foi exatamente a questão dos flashes dos smartphones que causaram alguns problemas no RJ, em 2013.

Novamente, a casa de shows escolhida foi o antigo Metropolitan, que agora se chama Km de Vantagens Hall e é uma das maiores da cidade. Era uma noite de temperatura amena e céu nublado, típica da primavera carioca, e os fãs compareceram em grande número. Casa cheia e os minutos de atraso pareciam uma eternidade, mesmo pra quem esperou tanto tempo. Apagam-se as luzes, a banda entra no palco e começa a executar "She Moves Through the Fair", do primeiro álbum, seguida de "All Souls Night", do álbum "The Visit", que aliás foi a canção que me apresentou a Loreena. 

"Lost Souls" é um álbum excelente, produzido pela própria cantora, que não abre mão da qualidade de cada detalhe ali incluso. Assim, imagino como deve ser difícil escolher quais as canções que serão apresentadas na turnê, mas acho que qualquer uma seria uma feliz escolha, dada a qualidade da obra. Então, depois do início com dois clássicos e após dizer que não acreditava que haviam se passado cinco anos, McKennitt apresentou duas canções do novo trabalho: "A Hundred Wishes" e a ótima "Ages Past, Ages Hence".

Uma das mais festejadas da noite, "Marco Polo", que é uma das mais belas composições instrumentais do repertório da artista, com seu acento árabe, ganhou uma versão ao vivo mais pesada e ficou entre duas canções do álbum "An Ancient Muse": "Raglan Road" e "Penelope's Song".

Uma das marcas registradas de Loreena é o perfeccionismo, a forma minuciosa como aborda os temas e o jeito que tem para falar sobre seu processo de criação, partindo da inspiração até o resultado final. Dessa maneira, ela explica o que a fez compor "Spanish Guitars and Night Plazas", que abre o novo álbum e é sem dúvida, uma das melhores canções contidas ali. Na sequência, veio a tradicional "The Star of County Down", que na versão de McKennitt não tem nada de "pub irlandês".

Existem músicas que são atemporais, passam de geração em geração sem perder a essência. "The Bonny Swans" é uma dessas obras que atravessam o tempo sem que sua beleza seja afetada, e essa versão em que a guitarra de Brian Hughes e o violino de Hugh Marsh dialogam, talvez seja uma das melhores em seus quatro séculos de existência, e para dar sequência a tão célebre peça, nada menos que o poema de Alfred Lord Tennyson, "The Lady of Shalott", onde o Cello de Caroline Lavelle "conversa" com a harpa de Loreena, seguida de "As I Roved Out", um dos hinos do folk irlandês.

Pra quem estava apreensivo por conta dos problemas ocorridos no show de 2013 no RJ, esse foi um momento crucial: Loreena afirmou entender o fato de as pessoas gostarem de fotografar o artista durante sua  performance, mas explicou o quanto isso poderia atrapalhar a concentração, portanto, essa seria a hora de todos sacarem seus aparelhos e fotografarem os músicos. Tocaram "Santiago", mas não sem antes ela falar sobre sua relação com os peregrinos do famoso caminho.

Em outra conversa com o público, um dos momentos mais marcantes da noite: um paralelo entre a era das redes sociais e o poema de W.B.Yeats, "Stolen Child", que é um dos destaques do início de sua carreira.

De volta ao acordeon, McKennitt e banda provocam frisson no público aos primeiros acordes de "The Mummers Dance", outro ponto alto da noite, que talvez não tenha ganhado somente de "The Old Ways", em termos de participação da plateia.

Na parte final da apresentação, a canção-título do novo trabalho e após um brevíssimo intervalo, o gran finale com "Tango to Evora", uma das mais queridas entre os brasileiros.

Houve quem esboçasse uma ponta de frustração por causa da ausência de "Dante's Prayer", que encerrou os shows em SP, mas mesmo os fãs mais exigentes não podem negar que o set foi impecável, tanto na escolha das musicas, quanto na execução. O que esperamos agora é que nos transformemos em parada obrigatória nas turnês da musa canadense. - Jonildo Dacyony.

Posted by Michael Meneses Monday, November 12, 2018 4:13:00 PM Categories: Folk Km de Vantagens Hall - RJ Loreena McKennitt Show
Portal Rock Press