Jimmy & Rats + Flogging Molly in Rio - Um Dia para esquecer, mas uma noite para desejar que o mundo fosse apenas o palco do Circo Voador - 7/10/18

Domingo, 7 de outubro de 2018, dia cinzento. Mas não era o cinza chumbo do nosso horizonte. É o Rio de Flogging_Molly_In_Rio_Circo_Voador_Brasil_7_10_2108_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PERESJaneiro tendo seu dia de ilha enevoada, como um bom dia irlandês. Acinzentado ancestral na cor dos olhos, Celtic Punk, Folk, cerveja, Jimmy & Rats e Flogging Molly.

Jimmy & Rats + Flogging Molly in Rio - Um Dia para esquecer, mas uma noite para desejar que o mundo fosse apenas o palco do Circo Voador - 7/10/2018.
TEXTO: Edy R. Monteiro  – FOTOS: Antônio Carlos Paes

Mágicas assim não acontecem por acaso, guiados pela tin whistle encantada, os bons caminhos nos levavam ao Circo Voador. Dave King, um legítimo Leprechaun, cheio de malemolência carioca, dividiu conosco a sorte do seu trevo de quatro folhas em um show incrível do início ao fim.
 
Jimmy_e_Rats_Circo_Voador_7_10_2108_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PERESA noite começou com uma reunião que promete render bons frutos: Jimmy & Rats desta vez seguiram o som da flauta certa e deram o primeiro passo em uma estrada que esperamos seja longa - e possam repetir boas apresentações como a de domingo. Abençoado seja aquele primeiro músico que envenenou o som do banjo e do acordeom. Nunca foi tão agradável ouvir batidasJimmy_e_Rats_Circo_Voador_7_10_2108_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PERES hard-core com esse contorno doce estridente ornando da melhor maneira possível! Com o repertório bucaneiro despretensioso do Rats e as músicas que Jimmy compôs no Matanza, tivemos no palco uma reunião de artistas que não apenas tocaram, mas desfrutaram de todas as canções... Rearranjados para caber na proposta da nova formação, "Tempo Ruim" e "Sabendo que Posso Morrer" ficaram bem complementadas com o lamento do som do banjo de Fernando - sempre muito presente. Jimmy, extremamente à vontade no palco, acrescentou em "Medo" e "Do Meu Jeito" uma nova vibração com seu vocal grave enervado. Essas ótimas adaptações só aumentam a expectativa para criações dessa união. 
 
Flogging_Molly_In_Rio_Circo_Voador_Brasil_7_10_2108_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PERESFlogging Molly no palco, começam o show com "(No More) Paddy's Lament". Para os presentes, o instante foi de acabar os lamentos e ter a melhor hora e meia que um show de música pode proporcionar. Não é tão fácil quanto Flogging Molly faz parecer, mas uma carreira sólida proporciona com o passar do tempo shows cada vez mais vibrantes. Além das canções do novo álbum, "Life is Good", tivemos no set músicas dos discos, "Swagger", "Drunken Lullabies", " Within a Mile of Home" e "Float".
 
Logo no início, quando Dave King puxa o primeiro hit "Drunken Lullabies", o público já estava mais do que aquecido. Dali pra frente,Flogging_Molly_In_Rio_Circo_Voador_Brasil_7_10_2108_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PERES foi uma escalada de ótimas performances. Nas pausas, ficávamos com a simpatia do falante vocalista, que tinha o domínio total da atenção do público. Dave King saudou o Brasil, outras bandas, sua lata de Guinness e agradeceu Jimmy pelo show anterior e o público, saudando-os com um set recheado de muitos sucessos.
 
A qualidade do show não ficou apenas com seu front man. Em "Black Friday Rule", Dennis Casey (Guitarra) e Mike Alonso (Bateria) fizeram uma empolgante performance, arrancando urros da platéia. A harmonia bem ritmada do baixo Nathen Maxwell com o banjo Flogging_Molly_In_Rio_Circo_Voador_Brasil_7_10_2108_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PERESde Bob Schmidt também encantaram! Matt Hensley e as peripécias elásticas de seu acordeom não faltaram. Bridget Regan ficou a cargo da hipnose, todas as notas, ora com violino, ora com a tin whistle, mantinha o público em transe para explodirem no meio da pista quando a guitarra entrava acelerando.
 
Fechando com chave de ouro, o primeiro single, "Salty Dog", e todos deixando na pistaFlogging_Molly_In_Rio_Circo_Voador_Brasil_7_10_2108_FOTO_ANTONIO_CARLOS_PERES a última gota de suor alegre deste domingo. De frente aos nossos olhos fomos teletransportados, passamos pelas nuvens cinzas e entramos na trilha do arco-íris. Nosso amigo Leprechaun, muito generoso, usou sua música pra mostrar que cada pote pode ter muitos tesouros, até seguros por fortes fios vermelhos. Além do ouro, recebemos animação legítima, o começo de nova união e um Circo Voador que por horas se desgrudou do outro mundo cinza. Obrigado Flogging Molly! – Edy R. Monteiro.

Postado por Michael Meneses quarta-feira, 10 de outubro de 2018 12:42:00 Categories: Bandas Nacionais Celtic Punk Cerveja Circo Voador Flogging Molly Folk Jimmy & Rats Lapa/RJ Matanza Punk Rock Show
Portal Rock Press