GREEN DAY - Sambódromo do Anhembi/SP – 3/11/2017

Considerada uma das bandas mais influentes da década de 90, o Green Day desembarcou no Brasil com a Green Day Revolution Radio World Tour. green-day-credito-frank-maddocksDepois de uma apresentação arrasadora na Arena Jeunesse no Rio de Janeiro a banda segui para nova apresentação apoteótica em São Paulo dessa vez no sambódromo, transformando palco do carnaval paulista em uma verdadeira arena californiana do punk rock.

Green Day - Sambódromo do Anhembi/SP – 3/11/2017
Texto: Carlos Delagusta 

Na noite anterior a banda já havia feito um show épico no Rio de Janeiro e a expectativa era por algo a altura em SP, e novamente foi épico! O Sambódromo é um espaço bem amplo e ainda assim, estava lotado, com gente de varias partes do país, e muitos trajando com as clássicas camisetas com estampas do Ramones e cabeleiras coloridas, (a maioria verde!). A banda The Interrupters formada pela vocalista Aimee Interruptor, os irmãos Bivona e Kevin na guitarra e os irmãos gêmeos Justin e Jesse, no baixo e bateria deu o ponta pé inicial da noite. O destaque da apresentação foram às músicas "Take Back The Power”, “She got Arrested” e “On a Turntable”, alguns dos sons já aguardados pelos fãs presentes, como o jovem Lins Erin que saiu da cidade de Batatais/SP para conhecer melhor a banda de Los Angeles e com certeza saiu do sambódromo satisfeito. 

Fazia sete longos anos que o Green Day não vinha ao Brasil, muitos fãs estavam na espera já bastante tempo. Porem eis que o show teve inicio com homenagens aos clássicos do rock, como “Bohemian Rhapsody”, do Queen, e “Blitzkrieg Bop”, do Ramones, além de “Also Sprach Zarathustra”, de Richard Strauss, preparando a plateia para o que estava por vim, a primeira música da noite, “Know your enemy”. Na sequência seguiram “Bang Bang” e “Revolution Radio”. O palco era gigantesco, com uma iluminação impecável e um cenário rico em pirotécnico, cascatas de fogo. A participação do público foi intensa, o que deu direito a alguns felizardos a serem convidados pelo próprio Billie a subir ao palco e cantar e tocar junto com a banda. Billie deixou a multidão ainda mais envaidecida ao utilizar uma bandeira do Brasil e não para por ai, pois ainda teve espaço para “Garota de Ipanema” executada em um saxofone. 

Como todo bom frontman em atividade, o entertainer e eterno “Babyface” Billie Joe, orquestrou a performance dos fãs no palco e seus moshes,  molhou a plateia com jatos d’água, lançou camisetas com uma réplica de lançador de granadas e usou fantasias de carnaval, além dos constantes gritos de “Do you felling me?”, “I love São Paulo” e “I want hear your passion!”, mostrando o desejo de interação total num exemplo de comunicação incontestável com o público. Sobretudo em momentos de notoriamente politizada, fez seu protesto com o grito: “Não ao fascismo, não ao racismo, não ao sexismo e não a Donald Trump”, além de erguer a bandeira do Movimento LGBT. 

Já perto do final, o show ainda teve um bloco mix de versões para “Break on Through/Always Look on the Bright Side of Life / (I Can’t Get No) Satisfaction / Hey Jude”. A volta pro seu primeiro “bis” que tirou todo mundo do chão, deu-se com nada menos que "American Idiot" e "Jesus of Suburbia”, logicamente alguns dos vários momentos em que o “pogo” comeu solto na arena do samba! Finalizaram o set com um momento acústico, onde apenas Billie no palco entoando: “21 Guns” e “Good Riddance” e fechando com estilo uma noite fez jus ao espaço apoteótico do Sambódromo, afinal foram mais de 3 horas de show que deixaram muitos presentes na expectativa de um retorno em breve do power trio ao Brasil. – Carlos Delagusta.

Postado por Michael Meneses quinta-feira, 23 de novembro de 2017 16:50:00 Categories: Arena Jeunesse Green Day LGBT Punk Rock Queen Ramones Samba Sambódromo do Anhembi Show The Interrupters
Portal Rock Press