Genesis - São Paulo (21 e 22 de Maio de 1977)

Genesis foi uma das bandas pioneiras em apresentações internacionais em terras brasileiras e em algunsGenesis in Brazil 1977 dias o Brasil recebe shows de dois dos seus músicos, primeiramente Phil Collins e em março é a vez de Steve Hackett. Mas quem se lembra da passagem do Genesis pelo país em 1977? Os shows fizeram parte do Projeto Aquarius e aconteceram no Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Vinicio Ricardo Meirinho esteve em dois shows em São Paulo e conta como foi!


Genesis no Ginásio do Ibirapuera em São Paulo (21 e 22 de Maio de 1977) 
TEXTO: Vinicio Ricardo Meirinho - Curiosidades Michael Meneses – IMAGENS: Acervo Pessoal e Internet

Genesis no Brasil 1977 Ingresso do Show em SP

Genesis in Brasil São Paulo 1977Estive nos dois dias de apresentações do Genesis em São Paulo em 1977 e as considero inesquecíveis. Em primeiro lugar pela música, e em seguida pelos efeitos visuais que na época foram impressionantes, mas hoje quase uma brincadeira de criança. Minha única frustração foi me deparar com Chester Thompson na bateria (até perceber todo o seu potencial), pois esperava ver Bill Bruford, que sempre foi um dos meus ídolos e que me entusiasmou a tocar bateria. Não sabia que ele já tinha saído porque a informação era muito escassa naquela época e ainda não havia internet. 

Pode ser que hoje, para as novas gerações, seja um absurdo se impressionar com uma ou duas apresentações de uma banda, por mais que se ame a sua música. Espero que compreendam que uma apresentação desta magnitude era algo raro naqueles dias. Dificilmente alguém se aventurava por aqui. Antes disto apenas Santana e Alice Cooper tinham vindo e este causou um verdadeiro tumulto no Palácio das Convenções do Anhembi (venderam mais ingressos do que a lotação permitia) e até hoje ele mesmo se lembra disso. Eu mesmo, presente a este evento, vi pessoas quase serem esmagadas pela multidão superior ao que o local permitia. No ano de 1975 uma excursão do Led Zeppelin foi cancelada porque consideraram que o Brasil não tinha público para o Rock! Absurdo! É certo que entre os progressivos, Wakeman veio antes, em 1975, em uma apresentação conjunta com a Orquestra Sinfônica Brasileira, também no Projeto Aquarius e a qual infelizmente não pude ir. 

Escrevi este texto em 2014 no Facebook (agora com ligeiras modificações) porque um amigo me presenteou com uma gravação muito boa feita diretamente da mesa de som durante uma das apresentações em que estive (Link abaixo para quem desejar ouvir). Que grata surpresa ao ouvir! Ótimas recordações afloraram a minha mente e espirito. A bela e transcendente música da qual me recordava, toda a energia daqueles momentos, os lasers verdes (hoje algo comum por causa da computação, mas na época um portal para outra dimensão), as flores de borracha acionadas por bombas de ar (uma coisa absolutamente ridícula hoje em dia), a tentativa de falar português do Steve e do Phil, aquele fantástico duo de baterias, a excelência instrumental de Steve, Tony, Rutherford e Phil e muito mais! Dois amigos recentemente me informaram que foram utilizados faróis de avião na iluminação e que foram colocados espelhinhos no teto que ainda lá estão para reflexão da luz.  As partes que mais ficaram na lembrança: O início arrebatador com “Squonk”, os lasers estonteantes combinados à segunda parte de “One for The Vine”, o show com o pandeiro de Phil Collins em “I Know What I Like”, de dar inveja a muita gente de escolas de samba e o final apoteótico que começa com “Supper's Ready” prosseguindo com “Dance On A Volcano” e o poderoso Dueto de Baterias culminando com “Los Endos” e o retorno deles ao palco com “The Lamb Lies Down On Broadway” até terminar de maneira brilhante em “The Musical Box”.

Genesis in Rio 1977Ouvi essa gravação por vários dias na época enquanto ia e voltava do trabalho e, infelizmente não é só de boas emoções que me recordei. A alegria veio combinada com muita tristeza, muita melancolia e saudades de amigos queridos que não mais aqui estão. Um deles em especial: Igor Bilevic. Ele foi o meu único companheiro nessa jornada nestes dois dias e senti não poder ter o prazer de compartilhar a gravação com ele. Inexplicavelmente, de todos os meus amigos da época, ninguém quis ir a esse show. Mesmo a gente contado em detalhes como tinha sido a primeira apresentação e voltando para assistir a segunda. O Universo realmente se encarrega de providenciar esse tipo de situação. Lembro muito bem de nossa emoção naqueles dois dias. Da maneira como saímos atordoados daquele primeiro show, completamente embasbacados e sem saber o que fazer depois daquela experiência impressionante. Único pensamento em comum! Tínhamos que voltar e precisávamos ter aquela experiência novamente! E foi o que fizemos... e tudo se repetiu! Hoje, ele não está mais aqui, mas numa das últimas vezes em que nos falamos lembrava muito bem disso tudo. 

Não é esse o único motivo, porém, da tristeza e da melancolia. Na época destas apresentações estava Album Genesis in Concert Fita Vinil Brasildando os meus primeiros passos em direção a me tornar músico (baterista e percussionista) e tinha muitos sonhos pela frente com meus 20 anos de idade. Sonhos que infelizmente não se concretizaram e que se perderam no meio de diversos caminhos que não me arrependo de ter tomado, pois também me ofereceram diversos aprendizados. Reflito que talvez fosse uma pessoa diferente hoje, não sei se para pior, ou melhor, se tivesse escolhido outros caminhos, mas o fato é que deixei de realizar algo muito importante, sei disso!  Quando ouvi a gravação tudo se intensificou por causa de um momento muito delicado e de decisões muito importantes que precisava tomar e tudo isso, para bem ou para o mal, foi me oferecido pela lembrança da bela musica do Genesis e desses momentos inesquecíveis.

Em 2014, quando escrevi este texto, até fiquei receoso do que poderiam pensar em virtude do relato emocional, mas quando vi os comentários de vários amigos e de outros que acabaram se tornando meus amigos por causa desta publicação percebi que a música quando de qualidade, traz estas experiências em maior ou menor grau a todos nós. Termino este relato dizendo que para mim não há como viver sem a presença da música progressiva que tanto amo e que se tornou parte inseparável de mim e da minha vida.

Curiosidades da Passagem do Genesis pelo Brasil:
1 – No show do Rio de Janeiro, Phil Collins usou uma camisa do Flamengo. 
2 – Reza a lenda que a TV Globo registou todo o show em Porto Alegre/RS, porém um possível especial nunca foi ao ar.
3 - Falando em vídeos, o único registro que encontramos é este trecho de “I Know What I Like” de um dos shows em São Paulo: https://youtu.be/g-zl2SsVNlo
Album Genesis in Concert Fita K7 Brasil4 – Segundo a Revista Pop da época e em matéria assinada por Peninha Schmidt, no Rio a banda “Desbundou” pelo Brasil: No RJ Phil Collins comprou discos do Gilberto Gil, Milton Nascimento e Walter Franco. O batera Chester Thompson foi visitar Hermeto Pascoal. Phil Collins, Chester e o tecladista Tony Banks pegaram a Rodovia Rio-Santos e foram conhecer a cidade de Parati no Sul Fluminense, e ainda rolou um futebol: Os times reuniram os músicos, equipe técnica, Rede Globo e equipe da gravadora Phonogram.
5 – Já em 1978, o Genesis participou da trilha sonora da novela “Dancin 'Days”, da Rede Globo com a faixa “Follow You Follow Me”. No mesmo disco, sons do The Commodores, Village People e Blood Sweat and Tears.
6 – Para promover a passagem da banda pelo Brasil, a Som Livre lançou em Vinil e K7 o álbum “Genesis - In Concert”. Porém o disco não possui faixas “Ao Vivo”. Hoje o disco que é visto como item de colecionador contem as faixas: “Fountain of Salmacis”, “Can Utility, Dancing Out”, “Ripples”, “I Know What I Like”, “Stagnation”.
Genesis in Brasil São Paulo 1977 CD Boteleg7 - Muitos bootlegs dos shows do Genesis pelo Brasil circulam entre os fãs, lojas e pela internet. Segue alguns links que destacamos: 
Genesis – Live in Rio – Transmissão da Rádio Eldopop FM: https://www.youtube.com/watch?v=JklZjIvL65w
Genesis - São Paulo - 21/05/1977: https://youtu.be/HfiWwN7TRPo
Genesis - Show completo em 21/05/77: https://www.dropbox.com/sh/3iqdnhvcf6wng9e/AACEmVOaEJZiA1mZ3a0whz77a?dl=0

 

Tudo sobre os shows do Phil Collins no Brasil: http://portalrockpress.com.br/phil-collins-no-brasil-%E2%80%93-%E2%80%9Cmais-que-uma-noite-a-mais%E2%80%9D

Vinicio Ricardo MeirinhoVinicio Ricardo Meirinho – É baterista e editor do site especializado em Rock Progressivo http://peculiarprog.com/. Nos anos 1970/80 tocou bateria na banda Abadon, banda que teve entre seus integrantes o tecladista Kodiak Bachine que depois integrou o Agentss, banda paulista de New Wave da primeira metade dos anos 1980. Vinicio também produz e apresenta o Programa Momento Prog na Radio RST todas as quintas-feiras. ESCUTE: http://rstradiorock.com.br/

Portal Rock Press - Shows que marcaram época