DJANGOS – 20 Anos do álbum “Raiva Contra Oba Oba”

Parece que foi ontem, o fato é que discos históricos da década de 1990 estão na casa dos 20, 25 anos. Um dessesDjangos _ FOTO_Bruno_Bastos é o álbum “Raiva Contra Oba Oba” da banda carioca Djangos que comemora 20 anos com direito a show na Audio Rebel/RJ, dia 22/7. Na mesma festa, Melvin, o músico dos 1000 shows e das trocentas bandas se apresenta com Melvin & Os Inoxidáveis, banda que lança seu primeiro EP. Aproveitamos para uma rápida entrevista com a banda Djangos na coluna 1, 2, 3, 4...

DJANGOS – 20 Anos do álbum “Raiva Contra Oba Oba” 
ENTREVISTA: Michael Meneses – FOTOS: Michael Meneses e Bruno Bastos/Divulgação.

Djangos_Raiva_Contra_O_Oba-Oba_1998Formada na década de 1990 e vivenciando o auge do it yourself daquela década, o Power Trio do Ska Carioca é formado por Marco Homobono (guitarra e voz), Jj Aquino (Bateria) e Lyle Diniz (baixo), comemora o 20 aniversário do seu mais importante trabalho, o álbum, “Raiva Contra Oba Oba”, que teve produção de Tom Capone e João Barone (Paralamas do Sucesso). Passados 20 anos, a banda se reúne para um show comemorativo na Audio Rebel em Botafogo/RJ, na ocasião que contará com as participações de Flávio Correa (Trombone) e de David de Souza (Trompete). No repertorio além dos sons do disco, surpresas são esperadas. Aproveitamos o momento para um papo com a Homobono e Jj Aquino na coluna 1, 2, 3, 4...

1 – O disco “Raiva Contra Oba Oba” tá completando 20 anos, falem um pouco daqueles tempos. De uma banda que estava com seus “Corações & Mentes” no underground carioca e que de repente estavam gravando pela WEA.
Djangos _ FOTO_Bruno_BastosHomobono: Naquela época, apesar de nossas reclamações usuais, a música independente em geral tinha mais público, festivais e mais lugares para abrigar shows de bandas autorais. Nesse cenário, a partir do momento em que cristalizamos o nosso estilo calcado numa mistura de ska, ragga e punk rock e que mudamos nosso nome para Kamundjangos, as coisas começaram a acontecer. Antes do contrato com a Warner, em 1997, tínhamos passado pela EMI Odeon, que lançou o famigerado "Paredão", coletânea de novas bandas naquele tempo, que nos conferiu uma boa divulgação na mídia que veiculava rock, como a MTV e algumas rádios FM.
JJ Aquino: Acho que tudo começou com a demo Concrete Django que gravamos, e que foi produzido pelo Yuka e Kassim. Foi com essa fita demo que deu frutos para o Paredão e conseguinte o Raiva... Na época fazíamos muitos shows, quase não ensaiávamos, era show atrás de show. Acho que chegarmos na WEA por consequência disso. Lógico que a força do Yuka que era da WEA e do João Barone na produção do disco fortaleceu a nossa chegada à gravadora.


2 – Da fita demo ao streaming, muita coisa surgiu nesses 20 anos. Quais lições tiraram disso tudo e o que vocês fizeram nesse tempo?
Homobono: acho que a maior lição foi a de tirar proveito da tecnologia, pois ela possibilitou coisas que eram muito caras para uma banda independente. Desde gravar um disco a filmar um clipe. Isso facilitou muito. Desde as gravações do nosso segundo disco, "Mundodifusão", que foi produzido pelo Marcelo Yuka, nós começamos a flertar com a música eletrônica e os softwares de programação. Isso me levou a desenvolver o meu trabalho solo assim como me possibilitou participar de tributos (como foi o "Jeito Felindie", em homenagem à banda de pagode Raça Negra) e até participar de trilhas sonoras de curtas independentes.
JJ Aquino: Pra mim ficou mais fácil gravar, ouvir música... mas sou old shcool, ainda gosto de CD, de Vinil... acho que nestes formatos você têm mais contato com o que foi gravado. Gosto de saber quem participou das gravações, que estúdio foi, quais instrumentos foram usados... E acho que a galera nova não está muito preocupada em tirar o som do instrumento, timbrar, mas isso não é errado, é somente diferente.


3 – Como será o futuro, a banda volta ou só teremos esse show comemorativo e o que cada músico da banda anda fazendo Djangos _ZINE VOADOR_30_8_2011Circo_Voador_ FOTO_Michael_Menesesatualmente? Quais projetos estão por vim?
Homobono: Posso falar de minha vontade, por exemplo. Gostaria de gravar músicas novas dos Djangos, num esquema back to the roots, tocando essa mistura característica do "Raiva", essa cruza de ska, ragga e punk. Gostaria de levar esse show dos 20 anos do nosso primeiro disco para o máximo possível de palcos. Paralelo a isso, eu dei um pontapé na minha carreira solo, lançando meu primeiro EP ano passado. Pretendo dar continuidade a isso também, assim como eventuais parcerias e convites que pintem por aí.
JJ Aquino: Queremos voltar, gravar coisas novas... mas tudo vai depender deste show comemorativo. Eu fiz trilha sonora, hoje estou muito ligado a um estúdio em Jacarepaguá/RJ que é o Estúdio 175, que tenho me empenhado em saber umas coisas de áudio. Tenho tocado com duas bandas bacanas, a Dellacorde e a Coletivo X. Tenho gravado também várias coisas minhas, um CD com vários amigos, mas tá muito lento, um dia consigo terminar. (Risos). Homobono lançou um ótimo EP. O Lyle ficou compondo em casa. Ele até me chamou pra gravar as bateras pra ele. Estou esperando até agora... (Risos).


4 – O que podem adiantar do show de 20 anos sem estragar a surpresa?
Homobono: Talvez a maior surpresa sejam nossos cabelos brancos. Além disso, Djangos é uma banda de combate, nossas letras têm uma preocupação social muito forte e no meio da pasmaceira atual, da despolitização da música pop e da maioria dos jovens, isso talvez seja uma coisa inédita para muitos ouvidos e mentes.
JJ Aquino: Acho que será um show para os fãs que viraram amigos. Durante esse tempo todo fizemos muitos amigos, e acho que reencontrar esta galera no show será emocionante...
Homobono: Porra, João! Você está certíssimo, pois toda pessoa que dizia gostar dos Djangos e se aproximava da gente, virava Djangos _ZINE VOADOR_30_8_2011Circo_Voador_ FOTO_Michael_Menesesnossos amigos! Então, acho que a gente não tem nenhum fã, pois todos viraram amigos! (Risos). Isso é a mais pura verdade, da qual me orgulho muito! Obrigado por viverem isso comigo!


5 – Deixe suas mensagens finais aos leitores da Rock Press...
Homobono: Agradeço muito a Rock Press pelo espaço concedido a nós concedido para comunicar um pouco do nosso sentimento e nossa alegria de fazer parte de uma banda que compõe suas próprias músicas desde o começo. Antes isso era mais apreciado, hoje nem tanto. A revista representa uma audiência valiosa para nosso trabalho. Grato.
JJ Aquino: Acho que tenho vários exemplares da Rock Press, época dos anos 90. Bom saber da volta da Rock Press no formato cibernético!! E apareçam neste show na Audio Rebel. Forte abraço!


SERVIÇO: DJANGOS – 20 Anos do álbum “Raiva Contra Oba Oba”
Djangos e melvin na Audio Rebel em 22 7 2018SHOWS: 
Djangos + Melvin & Os Inoxidáveis 
LOCAL: Audio Rebel - Rua Visconde de Silva, 55, Botafogo/RJ.
DATA: Domingo, 22 de julho às 18h.
ESCUTE: Djangos - “Comando Ska”: https://www.youtube.com/watch?v=yN87cSTf2Tw
ESCUTE: Melvin & Os Inoxidáveis: https://open.spotify.com/artist/4GpgjcIYYaQ5ekK7cevlrW?si=GIGCPmU7Rw2RMhMnPVnBjQ
INGRESSOS: No local ou no site: https://www.sympla.com.br/djangos-raiva-contra-oba-oba-20-anos--melvin--os-inoxidaveis__315063
INFOS: https://www.facebook.com/events/1889096604717159/

Portal Rock Press