CRADLE OF FILTH + KRISIUN – Uma noite extremamente épica no Circo Voador/RJ

Numa sexta-feira, no templo mais eclético do Rio de Janeiro, mais Cradle_of _Filth_Rio_BRASIL_FOTO_Eduardo Hollanda_Portal_Rock_Pressprecisamente na Lapa, Circo Voador, tivemos mais uma noite de metal extremo. Os gaúchos do Krisiun, os britânicos do Cradle of Filth vieram mostrar que o rock extremo está vivo. A parte triste da noite foi que por motivos de força maior os cariocas do Dark Tower não puderam se apresentar.

CRADLE OF FILTH + KRISIUN – Uma noite extremamente épica no Circo Voador/RJ!
Circo Voador - Lapa/RJ - 24/5/2019
TEXTO: Marcelo Pereira – FOTOS: Eduardo Hollanda

Cradle_of _Filth_Rio_BRASIL_FOTO_Eduardo Hollanda_Portal_Rock_Press_24-05-19

KRISIUN... 
Krisiun_Eduardo_Hollanda_Portal_Rock_Press_24_05_19Após mudanças de horário, eis que às 21h10 entra o trio brasileiro mais pesado e atual grande defensor do metal tupiniquim no exterior, que pisava novamente num palco carioca. Precisamente em 2004, fizeram a reabertura do local após a treta do João Gordo num show do Ratos de Porão em 1996 que o então prefeito César Maia, sim, o pai de Rodrigo Maia, (que nasceu no Chile, Terra Krisiun_Eduardo_Hollanda_Portal_Rock_Press_24_05_19de Tom Araya) e atualmente é o presidente da Câmera dos Deputados, que em decisão judicial, a prefeitura teve que refazer o local já que a mesma prefeitura na gestão do próprio Cesar Maia demoliu, e por isso foi lembrado pela banda tamanha empatia que os gaúchos têm pelo público carioca e pelo Circo Voador.

Interessante ver o público cantarolando e agitando as músicas como enxergando ser uma banda headliner, Krisiun_Eduardo_Hollanda_Portal_Rock_Press_24_05_19desdenhando do complexo de vira-latas de muitos em valorizar o estrangeiro, e mais interessante, ver a banda tocando como se estivessem no início de carreira, dando espaço entre as músicas, bebendo água, demorando a falar algo no microfone, onde para mim mostra a simplicidade dos integrantes num show intimista que destrincham toda bagagem de estrada e nos fez ter um show nostálgico, principalmente para os cinquentões que resgataram o clima dos primórdios shows da banda. Ninguém precisa falar de marketing e sim da pureza e sinceridade de fazer o que gosta sem se importar com mecanismos de perfeição. Os três músicos, Alex Camargo (baixo/vocal), Moyses Kolesne (guitarra) e Max KolesneKrisiun_Eduardo_Hollanda_Portal_Rock_Press_24_05_19 (bateria), nos prestigiaram com uma mescla de quase toda carreira num show intimista e posterior ao sucesso da turnê europeia, iniciada em março deste ano. Incrivelmente temos potencial para exportar, mas temos que fazer o dever de casa e não deixar morrer a essência do underground, pois esse trio gaúcho mostrou como executar um metal extremo e feito com a certeza de quem se dedica para tal. Parabéns aos que os assistiram à noite com direito a versão de Ace of Spades do Motorhead!

CRADLE OF FILTH...
Cradle_of _Filth_Rio_BRASIL_FOTO_Eduardo Hollanda_Portal_Rock_Press_24-05-19Chegado o grande momento da noite com os ingleses do Cradle of Filth, que estavam divulgando a Lustmord and Tourgasm 2019, que na realidade é para comemorar os 21 anos do álbum “Cruelty and the Beast” de 1998 na íntegra (aclamado na cena black metal) e outros petardos de diversas fases, já que só do álbum tem quase 1 hora de música. Vou aqui fazer uma comparação esdrúxula sobre rock `n`roll e futebol, duas paixões de ingleses e brasileiros! Considero a última revolução no futebol o carrossel holandês de 1974 (sei que muitos não tinham nascido), que assombrou o mundo com sua versatilidade e rodízio de jogadores por diversos pontos do campo fazendo ter a famosa triangulação com maestria que deixava os adversários atônitos. Já sei: Você vai me perguntar o porquê disso? Simples! A banda surgiu em 1991 com um estilo pré-definido como black metal, mas o som da banda é algo obscuro, pesado, melódico e outros adjetivos, onde o grande mestre Dani Filth seria o Cryff, famoso maestro daquele time, que consegue entreter gregos & troianos em que para mim foram percursores nesta mescla de qualidade. No metal a revolução foi na era NWOBHM e pouco depois Thash/Speed/Black Metal onde só os bons são fazem história. Entenderam a mensagem ou preciso desenhar que sempre foi um black metal atemporal?Cradle_of _Filth_Rio_BRASIL_FOTO_Eduardo Hollanda_Portal_Rock_Press_24-05-19

Mudado a batera que tinha uma proteção transparente em volta dela e do excelente Martin, cheguei a lembrar do filme "Matador de Aluguel", de 1989 com Patrick Swayze que era segurança num bar em que tinha o guitarrista cego Jeff Healey como atração da casa; na lateral do palco, diversos ventiladores como caixas de retorno para os músicos, teclado no outro extremo e um pequeno patamar no meio desses instrumentos para servir de passarela para o desfile do frontman como prévia do que podíamos esperar dessa pioneira apresentação em solo carioca.

Dani Filth (vocal), dispensa comentários por ser o cérebro pensante em conceder ao público um show coeso, firme e agitado que muitos parecemCradle_of _Filth_Rio_BRASIL_FOTO_Eduardo Hollanda_Portal_Rock_Press_24-05-19 entreter com o clima sombrio, pesado, místico, paradoxal que hipnotiza mesmo quem aprecia um vocal menos gutural e cadenciado com certa dose de melodia. Ele sabe como ninguém alternar seu vocal não tornando repetitivo ou maçante pelas diferentes timbragens no decorrer de 1 hora e meia de show. Falar da dupla de guitarras, Richard Shaw e Ashok, é como chover no molhado em pleno sol escaldante, que apreciamos e olhamos para a nuvem de água que paira no céu Cradle_of _Filth_Rio_BRASIL_FOTO_Eduardo Hollanda_Portal_Rock_Press_24-05-19tamanho entrosamento e agito que fazem durante todo espetáculo. O baixista Daniel Firth é de uma energia contagiante que incorpora o duo de guitarras, que aliado a parte melódica e sinfônica destrinchada pela tecladista Lindsay Schoolcraft com seu chamativo sobretudo e as batidas precisas de Martin Skaroupka fazem dessa mistura de sons, ecoar como uníssono que deixa a banda ser reconhecida já nos primeiros acordes, ou seja, tem identificação própria.

Cradle_of _Filth_Rio_BRASIL_FOTO_Eduardo Hollanda_Portal_Rock_Press_24-05-19Este clássico do black metal dos idos de 1998, é baseado na vida da “Condessa de Sangue”, como era conhecida a húngara Elizabeth Bathory. Pelas letras demoníacas, vampirescas, de contexto sexual, ocultista e coisas do mundo não existencial, agregado ao visual meio que medieval, místico e de outras conotações com uma forma teatral de ser, faz lembrar os shows do Alice Cooper (sem o mainstream deste) e ver por onde semeou Aleister Crowley. Como ponto negativo, tivemos algumas falhas no som que mesmo acontecido algumas vezes não irritou o publico e banda, que pareceram desdenhar da cereja que faltou no bolo.

Cradle_of _Filth_Rio_BRASIL_FOTO_Eduardo Hollanda_Portal_Rock_Press_24-05-19Parabéns pela produção da OnStage Agência & No Class Agency que segue no fortalecimento da cena carioca nos presenteado com um dos melhores shows de 2019. Quem perdeu, não vai sentir o clima do estádio. Copa de 1982?

Resta aos cariocas a chance de assistir ao menos o Krisiun em julho no festival Garage Sounds. Porém, não podemos deixar e reconhecer que a parte lamentável da noite, foi que infelizmente, por motivos técnicos de força maior a banda Dark Tower não pode se apresentar e perdemos com toda certeza a chance de assistir mais um grande show desta noite, que torno a dizer, foi épica! - Marcelo Pereira.

Próximos eventos com produção da OnStage Agência & No Class Agency:

SHOW: Living Colour Vivid 30th Celebration 
DATA:
 Quinta-feira, 13 de junho, às 19hs
ABRETURA: Seu Roque
LOCAL: Circo Voador - Av. Mem de Sá, S/N – Lapa/RJ
INGRESSOS: https://www.tudus.com.br/
EVENTO: https://bit.ly/2WtyJI8

SHOW: Face to Face
DATA:
 Quinta-feira, 4 de julho, às 19hs
LOCAL: Teatro Odisséia - Av. Mem de Sá, 66 – Lapa/RJ
INGRESSOS: https://bit.ly/2FhVWpp
EVENTO:https://bit.ly/2ZOcgYF
PRODUÇÃO: OnStage Agência & Solid Music Entertainment

Portal Rock Press