Columbus, filme de Kogonada - "As Linhas Retas da Poesia" - Por Jonildo Dacyony

Aplaudido pela critica internacional e faturando prêmios em diversos festivais pelo mundo, Filme Columbus do diretor KogonadaColumbus chega às salas do Brasil dia 14 de Setembro. O longa marca a estreia do diretor Kogonada. O novo PORTAL ROCK PRESS, assistiu e APROVOU!

"Columbus" de Kogonada
As Linhas Retas da Poesia
Por Jonildo Dacyony

Ao receber o press-release do filme, pensei em como começar a escrever sobre o mesmo. Sem querer fazer pré-julgamentos, mas eram tantas as impressões positivas a respeito do longa que, honestamente, chega a passar pela cabeça sobre o quanto havia aqui de presunção, principalmente em tempos atuais, onde artistas são elevados ao posto de gênios instantaneamente e são retirados da posição no momento seguinte. 

Frivolidades à parte, se a tarefa de escrever sobre um filme tão aclamado pela crítica internacional não se apresenta uma das tarefas mais fáceis, para fãs de cinema não é difícil imaginarmos que a empreitada de dirigir o primeiro filme não seja nada simples. Kogonada, orgulhoso imigrante sul-coreano (como ele mesmo se define), nascido em Seul e criado no meio-oeste estadunidense, realiza esse seu primeiro trabalho escrevendo e dirigindo e editando com a segurança de um veterano.  A produção ficou a cargo, entre outros, de Aaron Boyd, conhecido por blockbusters como 10.000 AC, O Dia Depois de Amanhã e 2012. Temos também, nomes como Andrew Miano, Danielle Renfrew Behrens, Giulia Caruso, Ki Jin KIm, mas vale destacar a presença do versátil (produtor, diretor, roteirista e ator) Chris Weitz, que trabalhou em produções como Lua Nova (Saga Crepúsculo), A Bússola de Ouro, entre outros.

Columbus é uma cidade do estado de Indiana, com pouco mais de 44 mil habitantes. Possui uma arquitetura modernista, algo que contrasta com o ar conservador e as terras agrícolas do meio-oeste norte-americano. A inspiração para este trabalho, segundo Kogonada, veio de uma viagem feita com a família há alguns anos. As edificações, assinadas por nomes como Eero Saarinen, I.M. Pei, Richard Meier, entre outros, fazem com que a cidade se torne algo muito além do que o cenário onde a história se desenvolve. A percepção e sensibilidade do diretor a transformaram em um personagem fundamental da trama, intrinsecamente conectado aos dramas das pessoas que ali vivem.

O filme mostra a história de Casey (Haley Lu Richardson), que vive com sua mãe (Michelle Forbes) e trabalha em uma empresa de limpeza e conservação. Moram em uma casa simples, que contrasta com a já citada arquitetura modernista da cidade. A moradia das duas possui um aspecto triste, reforçando as desilusões amorosas da mãe de Casey e a falta de perspectiva das duas. Richardson não só faz jus à posição de uma das melhores revelações do cinema em 2017, como supera as expectativas. Dá ao personagem um tom exato, que em alguns momentos, fazem o expectador sentir as angústias de sua personagem, antes mesmo do desenrolar da história. Esqueça aquela adolescente "patricinha" de Fragmentado. O que vemos aqui é uma atuação digna de uma veterana da sétima arte. 

John Cho deu uma declaração acerca deste trabalho, dizendo que havia esperado toda sua vida para participar de um trabalho como esse. De fato, não há como discordar ou duvidar da afirmação do ator. Jin, seu personagem, possui as características típicas de um genuíno oriental, aspectos que povoam nosso imaginário, mas que podem ser uma verdadeira armadilha podendo levar ao caricato, ao clichê. Porém, definitivamente não é o caso aqui. Cho exibe uma atuação soberba: a sobriedade oriental, que chega a beirar a frieza, diante da situação do pai à beira da morte. Contudo, o personagem também expõe um lado menos sisudo, bem humorado e blasé, algo contraposto pela personagem da esposa de seu pai, vivida por Parker Posey, que mostra sua maneira, digamos, mais ocidental de lidar com a situação. Mas a relação dos dois não fica somente nisso. Uma das coisas mais interessantes aqui, é que os personagens possuem entrelinhas, uma profundidade, cujo tempo de desenvolvimento não necessita ser muito extenso para entendermos. 

O encontro dos dois personagens principais se dá diante de um dos mais belos cenários da trama, se bem que chamar algumas locações do longa de cenário, acaba por limitar a importância que os desenhos arquitetônicos do lugar possuem dentro do contexto. Não é exagero afirmar que a cidade é o terceiro protagonista da película, seja construções com um estilo mais tradicional ou as modernistas, que são quase onipresentes na história, o fato é que elas estão ali dialogando com Casey e Jin, quando estes se encontram e todas as vezes que compartilham suas incertezas, frustrações e esperanças.

Ao assistir Columbus, a impressão que se tem é que as linhas retas desenhadas na cidade, não contrastam, mas complementam as curvas e os altos e baixos presentes nos dramas humanos apresentados. Sem dúvida, uma interação poética.

INFORMAÇÕES EXTRAS
COLUMBUS / EUA / 104 min / 2017 / Drama
ELENCO:
John Cho (Star Trek), Haley Lu Richardson (Fragmentado), Parker Posey (Café Society), Rory Culkin (A Fita Azul), Michelle Forbes (The Killing).

EQUIPE:
Escrito, Dirigido e Editado por:
 Kogonada
Produzido por: Andrew Miano p.g.a. Aaron Boyd p.g.a. Danielle Renfrew Behrens
Produzido por: Chris Weitz p.g.a. Giulia Caruso p.g.a. Ki Jin Kim p.g.a.
Produtores Executivos: Bill Harnisch  Ruth Ann Harnisch
Produtores Executivos: Max A. Butler  Mattia Bogianchino  Beatrice Camerana
Direção de Fotografia: Elisha Christian
Direção de Arte: Diana Rice
Figurino: Emily Moran
Música: Hammock
Produção: Superlative Films, Depth Of Field E Nonetheless Productions

Sobre Kogonada:
Nascido em Seul e criado no Centro-Oeste dos Estados Unidos. Ele foi descoberto pela Filmmaker Magazine (25 Novas Caras do Cinema Independente) e pelo The New Yorker por seu trabalho visual e por suas críticascomissionadas pela Criterion Collection e pela Sight & Sound. Reside atualmente em Nashville com sua esposa e seus dois filhos. "Columbus" é sua estreia como diretor. Para ver os trabalhos anteriores de Kogonada. Site Oficial do Diretor: www.kogonada.com

FESTIVAIS:
Sundance Film Festival / Rotterdam International Film Festival / Jeonju International Film Festival / Seattle International Film Festival / BAMcinemaFest / Champs-Élysées Film Festival / Munich International Film Festival / Karlovy Vary International Film Festival / Taipei Film Festival / New Zealand International Film Festival / Independent Film Festival of Boston (Prêmio Especial do Júri) / Valleta Film Festival (Melhor Filme e Melhor Atriz).

TRAILER: http://bit.ly/ColumbusTrailer

Postado por Michael Meneses sábado, 9 de setembro de 2017 11:34:00 Categories: Cinema
Portal Rock Press - Lançamentos