BETO GUEDES, MARCUS VIANA/SAGRADO CORAÇÃO DA TERRA e 14-BIS - Histórias de União, Reunião e Liberdade (Ainda que Tardia)!

Além, da fortemente marcada origem mineira, os músicos que sobem ao palco do KM deBETO_GUEDES_14_BIS_MARCUS_VIANA Vantagens Hall, no próximo sábado (15/2), no Rio de Janeiro, têm comum o amor pelos Beatles, pelas belas melodias e arranjos sofisticados, característicos de muitos dos ídolos do Rock Progressivo que os influenciaram nos anos 1960/1970. Os ingressos estão à venda, e vale muito conferir esse encontro. Conheça um pouco da história na matéria que segue...

BETO GUEDES, MARCUS VIANA/SAGRADO CORAÇÃO DA TERRA e 14-BIS
Histórias de União, Reunião e Liberdade (Ainda que Tardia)! 

TEXTO: Rick Olivieri
FOTOS: Beto Lívia e Divulgação

Podemos dizer que o som moderno de Minas Gerais teve seu pontapé inicial com o Clube do Esquina (que, além de Beto Guedes tinha também Milton Nascimento, Lô Borges e seus irmãos, Wagner Tiso, Toninho Horta, e outros que foram chegando, como Fernando Brant e Flávio Venturini), surgido na década de 1960, mais precisamente em 1963, em Belo Horizonte. Unindo música folclórica regional, Villa-Lobos, Bossa Nova, Jazz e Rock, aquele grupo de músicos/compositores, que gravaria seu primeiro álbum em 1972, mudaria o jeito como MG era visto pelo restante do Brasil.

Lô Borges conta que, um belo dia, apresentou o LP “A Hard Day's Night”, dos Beatles, a Beto Guedes e este ficou meio ressabiado com o cabelo comprido dos rapazes. Mas, ao ouvir o conteúdo, foi amor instantâneo àquela sonoridade inovadora.

Beto Guedes e Sua Alma de Borracha

Alberto BETO_GUEDES_FOTO_Beto_Líviade Castro Guedes, nascido em Montes Claros, no ano de 1951, assumiu o nomeClube_da_Esquina_1 artístico de Beto Guedes e, ainda nos primórdios, aos 18 anos, participou do Festival Internacional da Canção, com a enigmática (para não dizer hermética, em termos de letra) “Feira Moderna”, co-autoria de Lô Borges e Fernando Brant. Conseguiu obter considerável projeção participando dos discos “Clube da Esquina I (foto) e Clube da Esquina II”, antes de partir, definitivamente, para uma carreira solo com o lançamento de seu primeiro e primoroso LP, "A Página do Relâmpago Elétrico" (foto), em 1977. O álbum teve boa recepção e trazia as excelentes "Maria Solidária", "Lumiar" e "Nascente", que viriam a se tornar clássicos que o cantor sempre tem que incluir em seu setlist.
Beto_Guedes_ALBUM_A_Página_do_Relâmpago_Elétrico
No ano seguinte, viria "Amor de Índio", seu maior sucesso comercial até hoje, e que trazia, ainda, a já conhecida "Feira Moderna". De lá pra cá, foram muitos sucessos em constante execução em rádios e TV e um legado de boas canções que atravessaram as décadas e sobreviveram ao teste do tempo.

Outros destaques da carreira de Beto Guedes (que abre a noite), várias das quais, devem estar presentes no show: "Sol de Primavera", "Paisagem da Janela", "O Sol da Terra" e "Canção do Novo Mundo" (uma bela homenagem a John Lennon).

Por Dentro do Sagrado Coração Da Terra

Marcus_Viana_Foto_DivulgaçãoEm seguida, capitaneada pelo virtuoso violinista Marcus Viana, se apresenta a banda Sagrado Coração da Terra, que fez , ao longo de quatro décadas, seu nome no rock progressivo da América Latina para o mundo. Formado em 1979 e tendo lançado seu disco de estréia em 1984 (foto), o grupo vem com sua formação clássica: Marcus Viana (voz, violino elétrico e teclados), Augusto Rennó (guitarra), Ivan Correa (contrabaixo), Eduardo Campos (bateria e percussão) e Danilo Abreu e João Viana (ambos nos teclados). Contando, ainda, com a participação especial da cantora Mila Amorim.Sagrado_Coração_Da_Terra _PRIMEIRO_ÁLBUM

Com cordas e teclas que muitas vezes, lembram a força dos ventos, as curvas das águas e outros sons da Mãe Natureza, uma seção rítmica que se mostra una tanto com o que vai pela densa floresta como pelo chão seco do sertão, e com a voz de Marcus Viana estabelecendo o contexto para o cenário montado (mostrando, ao contrário do que pensam alguns, que a letra também é importante para dar profundidade à música), o Sagrado traz nessa turnê desde os clássicos de sua carreira (incluindo grandes sucessos televisivos) até algumas novidades em seu trabalho.

Perdidos em Abbey Road: Uma juventude que se achou nos Beatles

14_bis_ Crédito_Divulgação

O 14 Bis nasceu em 1979, com os irmãos Flávio e Cláudio Venturini (teclado e guitarra, respectivamente, além de violão e vocais), Hely Rodrigues (bateria, percussão e vocais), Vermelho (teclado, violão, baixo e vocais) e Sérgio Magrão (baixista vindo do RJ e único não mineiro do grupo). Flávio e Sérgio vinham do Terço e, como os demais integrantes, eram influenciados, como dito anteriormente, pelos Beatles e também pelo Hard Rock, Progressivo e Psicodélico dos anos 1960/1970 e, logicamente, pelo Clube da Esquina, do qual Flávio também fizera parte. 
14_BIS_DISCO
A banda, que já havia acompanhado Beto Guedes, fez seu primeiro registro em LP (homônimo), no final de 1979. O álbum trazia, pelo menos, três grandes sucessos: "Perdidos Em Abbey Road" (uma clara alusão ao quatro rapazes de Liverpool), "Canção Da América" e "Natural". Já em 1980, viria o segundo disco, com as ótimas "Bola De Meia, Bola De Gude", "Caçador De Mim" e "Planeta Sonho".

Em 1981 veio o terceiro disco, "Espelhos das Águas" e o som da banda que, muitas das vezes, ficava numa alternância entre o Soft Rock e a MPB, vai dando sinais de que a década que se iniciava traria novos paradigmas, com as suítes de Yes e Genesis cedendo espaço para um formato mais acessível, para a execução nas rádios. São desta fase os sucessos "Nos Bailes da Vida", "Linda Juventude" e "Todo Azul do Mar", entre outros. Flávio deixou a banda em 1988 para seguir sua carreira solo (que já havia começado em 1982) e coube ao seu irmão, Cláudio, assumir o comando do grupo. 

O 14 Bis fecha, com chave de ouro, a noite deste encontro que, certamente, será memorável para todo o público presente. Não percam, pois, vale muito a pena conferir e prestigiar a obra destes grandes músicos, advindos de um tempo em que as letras e os arranjos eram lapidados como joias preciosas e se respeitava a inteligência do ouvinte consumidor. #Recomendamos! - Rick Olivieri*

SERVIÇO:

BETO GUEDES + MARCUS VIANA + 14 BIS – Km de Vantagens Hall - Rio de Janeiro

BETO_GUEDES_14_BIS_MARCUS_VIANA

DATA: Sábado, 15 de fevereiro de 2020 às 22h - Abertura dos portões: 20h30
LOCAL: Km de Vantagens Hall RJ - Av. Ayrton Senna, 3000 - Shopping Via Parque - Barra da Tijuca – RJ/RJ
INGRESSOS: 
No Local:
 (Sem taxa de conveniência) - Km de Vantagens Hall RJ - Av. Ayrton Senna, 3000 - Shopping Via Parque - Barra da Tijuca - Terça-feira a Sábado - 12h às 20h e aos Domingo e feriados - 13h às 20h.
Antecipados: (Com taxa de conveniência) - No site: https://bit.ly/2OGrwCW
Venda a grupos: grupos@t4f.com.br
CLASSIFICAÇÃO: De 12 a 14 anos: Permitida a entrada acompanhados dos pais ou responsáveis legais. De 15 anos em diante: Permitida a entrada desacompanhados.
EVENTO: https://www.facebook.com/events/481654522498404/
OBS:
A casa possui acesso para deficientes
Meia-entrada: Obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário: no ato da compra e entrada do evento (para compras na bilheteria oficial e pontos de venda físicos) / na entrada do evento (para compras via internet).
Estacionamento do Shopping: Preços variados.
CAPACIDADE: 6.640 pessoas
REALIZAÇÃO: Time For Fun
COPATROCÍNIO: Budweiser

 

*Rick Olivieri - Músico e apreciador do bom e velho Rock, seja ele feito pelos Beatles, ou pelas bandas de Progressivo etc.

 

CONTATO COM A ROCK PRESS: http://www.portalrockpress.com.br/contato

Portal Rock Press