“Não é Feitiçaria... Nem Tecnologia! Eso és Brujeria in Rio”

Após uma semana quente, a quinta-feira amanheceu chuvosa em diversas regiões do Rio de Janeiro. Mas não era água o suficiente para Brujeria RJ 17 5 2018 FOTO FABIANO SOARESafastar o fogo infernal do Brujeria no Teatro Odisséia. Os mexicanos, liderados por Juan Brujo, mostraram que o peso da banda está nas músicas e presença de palco, e não apenas em integrantes famosos. A noite ainda contou com as bandas Ataque Periférico e No Trauma!

“Não é Feitiçaria... Nem Tecnologia! Eso és Brujeria in Rio”
Ataque Periférico + No Trauma + Brujeria (MEX / EUA)
Teatro Odisséia – Lapa/RJ – 17 de Maio 2018
TEXTO e FOTOS: Fabiano Soares e Michael Meneses!

Ataque Periférico RJ 17 5 2018 FOTO FABIANO SOARESO “Clube Ataque Periférico de Power Violence da Favela” deu o ponta pé inicial ao jogo. O time entrou em campo, com RicardoAtaque Períferico RJ 17 5 2018 FOTO FABIANO SOARES Fester agarrando na bateria, Athos Moura na linha de Baixo, Rafael Parra partindo para cima nas palhetadas e Valcimar Lucas gritando com a torcida. Mesmo em número ainda pequeno, seja na “Geral” ou na “Arquibancada” a torcida respondeu lembrando exibições no Rato no Rio, no Espaço Cultural 911, duas arenas do subúrbio carioca, palcos de espetáculos gloriosos da equipe! Opa!! Isso é resenha de show de rock ou narração de jogo de Futebol!? Calma, explicamos essa inspiração! A banda Ataque Periférico teve o show focado no último trabalho, “Tua Gloria é Lutar” disco conceitual sobre a história do time do Flamengo. Logo, temas Ataque Periférico RJ 17 5 2018 FOTO MICHAEL MENESEScomo “Flamengo é Pica”, “Dezembro de 1981” e “Saudades do Galinho” não ficaram de fora dos sons convocados ao Set list. Também entraram em campo sons veteranos como “Senador Bagdá” e “Ataque Periférico”! Vale lembrar que partidas com o Ataque Periférico não tem prorrogação, jogador fazendo cera, disputa de pênalti, “é crossover lá é FLA”!

No Trauma RJ 17 5 2018 FOTO MICHAEL MENESES O público já estava em maior número e no gás quando o No Trauma subiu ao palco apresentando um Metalcore que agradou desde seus fieis seguidores aos fãs mais antigos e exigentes do Brujeria. Afinal, o que o No Trauma mostrou emNo Trauma RJ 17 5 2018 FOTO FABIANO SOARES seu set foi uma banda afinada e merecedora daquele momento. Sabe quando você busca um sonho e realiza tal? Então, tocar no mesmo palco do Brujeria era o sonho dos músicos do No Trauma, o próprio vocalista narrou esse antigo desejo. Que sirva de inspiração e foco às bandas novas da cena. Façam como o No Trauma: acreditem! Falando em acreditar, tanto o No Trauma como o Ataque Periférico reconheceram todo o empenho da produção do show para que o Brujeria tocasse no RJ. A Rock Press também parabeniza tal iniciativa.

“Brujeria Si, Trump No!”

Brujeria RJ 17 5 2018 FOTO FABIANO SOARES

Rapidamente o palco começou a ser preparado para a atração principal da noite, e mais rápido do que o esperado, começou a sampler introdutória de “Cuiden a los niños”. Brujeria RJ 17 5 2018 FOTO MICHAEL MENESESAgitação e correria mesmo sem estrelas do metal e nem mesmo medalhões da banda, como Pinche Peach ou Fantasma, o Brujeria, liderado por Juan Brujo, dava início ao seu sonoro ritual.

Um ritual obscuro, bonito, violento e com espaço para o humor. Intercalando músicas rápidas, como “Colas de Rata”, “El Desmadre” e “La Migra”, com outras mais cadenciadas, como “La Ley del Plomo” e “Hechando Chingasos”, e com o auxílio de El Sangron, um Brujo de barriga saliente (e de fora) conseguia o fôlego para cantar até o final. Não sei os pseudônimos dos outros músicos que tocam nessa turnê do Brujeria RJ 17 5 2018 FOTO FABIANO SOARESBrujeria, mas vale dizer que seguraram a responsabilidade e fizeram o público curtir, seja se batendo, seja olhando, ou seja, segurando o celular o tempo todo pra cima, filmando, fotografando ou sequelando. 

Toda a violência e revolta contida nas letras, no entanto, não faziam desse show uma caricatura, com público malvado e todos com boquinha em formato de ^ : rolavam umas poses engraçadas e dancinhas tímidas, acompanhadas de uma cara de chapaço - uma mistura de chapado com Brujeria RJ 17 5 2018 FOTO FABIANO SOAREScansaço. Aliás, Brujo foi agraciado por um fã, que entregou-lhe um cigarro manual bem apertado, dando "a su corpo o que necesita ... la vida loca necesita herbita". A paródia de Macarena, aliás, foi o que encerrou o show, com playback rolando enquanto os músicos saíam do palco, e Brujo cantava, como se fosse um karaokê - às vezes atrasava um pouco até. Poético.

Mas desculpe pelo spoiler, não cheguei ao fim ainda. O público abriu rodas monstruosas ao longo do show, e também era visível nos rostos suados a energia do ambiente. Enquanto fotografava, minha câmera e lentes eram batizadas por gotas satânicas, vindas dos mais variados demônios, (eu incluso). Enquanto pingos de suor abundavam em minha camisa (uma com a capa do Brujerizmo, que me acompanha desde 2003), faltava-me umBrujeria RJ 17 5 2018 FOTO FABIANO SOARES pingo de decência, pois se eu tivesse, a jogava fora: rasgada, suada, desbotada, poída. Mas o suor se lava e o resto tá do jeito que eu gosto.

Houve interação com o público entre as músicas, e até o pedido para uma "chica hermosa" ser a responsável por virar a plaquinha de "Si" e "No" em "Consejos Narcos", pedido prontamente atendido por uma fã que subiu ao palco. E lógico, teve Brujo e Sangron puxando as machetes! Dessa vez, machetes coloridas e estilizadas; a de Brujo tinha a cara de Zapata e armas desenhadas. E óbvio, um personagem estava em destaque durante todo o show, e sendo mencionado diversas vezes: o puto Donald Trump! Digamos que por conta de seus discursos racistas e xenofóbicos, principalmente contra mexicanos, a figura esdrúxula de Trump, agora presidente dos EUA, é um alvo mais do que justo para a banda descarregar o ódio e usar como exemplo de inimigo. Parêntese sem parêntese: espero que não sigamos o exemplo dos ianques ao botar um idiota na presidência, como o Bolsonaro, mas tô gostando de ver as bandas do underground se posicionando contra o racismo e xenofobia dele.

Brujeria RJ 17 5 2018 FOTO MICHAEL MENESESE no desfile de petardos brutales durante a noite, o show, que durou pouco para fãs que queriam ouvir muito Brujeria RJ 17 5 2018 FOTO MICHAEL MENESESmais coisa, contou com poucas músicas do novo álbum, Pocho Aztlan, e muitas músicas do Brujerizmo e do Raza Odiada. Sim... A banda tocou apenas duas músicas do álbum de estreia, Matando Güeros: a faixa título e “Desperado”. Assim como o Carcass (uma das bandas que cercam a lenda do Brujeria), que no ano passado, em show no Circo Voador, não tocou nenhuma faixa do primeiro álbum, parece que os mexicanos estão deixando os trabalhos mais antigos para trás. Será que é para vender uma tour de comemoração num futuro próximo, tocando esses álbuns na íntegra? Carcass + Brujeria tocando o Reek of Putrefaction e o Matando Güeros, na íntegra, em tour conjunta! Melhor parar de sonhar e finalizar aqui. 

Um showzaço, cheio de energia e rodas pavorosas, defaria de primeira! Se não foi, perdeu! E nem tem desculpa de "ahh, quinta-feira! Eu trabalhava na sexta...". O show acabou às 22:30, horário tranquilo para voltar para casa. A não ser, é claro, pelo transporte horrível da cidade do Rio de Janeiro. Mas aí, é administração da Igreja Universal, e não vamos estragar o papo falando dessas merdas. O satanismo do Brujeria é muito mais legal!

Portal Rock Press